A inveja do corpo feminino nos animes e mangás deve ser remediada

A inveja do tamanho do busto de outra garota de anime é muito prejudicial para os fãs de animes e mangás. Também não ajuda a própria obra.

Kanojo, Okarishimasu / Reiji Miyajima / Kodansha / TMS Entertainment
Kanojo, Okarishimasu / Reiji Miyajima / Kodansha / TMS Entertainment

A inveja do corpo feminino nos animes e mangás deve ser remediada

A animação e os quadrinhos japoneses se tornaram sucesso mundial. Inclusive, os animes são famosos por gritar nomes de ataques a episódios obrigatórios de praia ou de Natal, assim como o uso generoso de fan service, como por exemplo em Fairy Tail e Kanojo, Okarishimasu. Um pouco de fan service ajuda bastante. Quem não adora? O problema é quando torna-se algo mesquinho e pode enviar uma mensagem ruim aos fãs. Um fan service que tornou-se clichê e que deve ser remediada: a inveja do corpo feminino nos animes e mangás.

A piada de algumas personagens femininas que invejam amargamente suas amigas bem dotadas está tornando-se cada vez mais recorrente. Se pararmos para refletir, isso é bem comum entre personagens femininas, mas nada comum entre os personagens masculinos. Assim como qualquer outra pessoa, meninas e mulheres têm formas corporais diferentes que se desenvolvem de maneiras diferentes. As obras japonesas deixam isso claro com os vários designs físicos de suas personagens femininas, o que é bom.

No entanto, é superficial e desnecessário deixar com tanta frequência garota menos dotadas com tanta inveja das figuras mais corpulentas de suas amigas. Mesmo que a inveja e o ciúme sejam comuns entre várias pessoas, não podemos agir como se fossem os melhores sentimentos do mundo e que precisem estar em todas as obras existentes.

Quando a narrativa zomba dos corpos das personagens femininas

Às vezes, parece que um personagem de anime ou mangá vai pensar, sentir ou dizer algo estritamente por uma questão de humor ou para viver de acordo com convenções bem estabelecidas, em vez de falar por si. Tais diálogos ou ações raramente desenvolvem o personagem, pois esse personagem permanece obrigatoriamente vivendo de acordo com certas convenções. De certa forma, isso até quebra a imersão, e a inveja do corpo feminino é um exemplo disso. É verdade que as pessoas, fictícias ou não, muitas vezes têm consciência de seus próprios corpos e podem se comparar com outras por vários motivos. Ter problemas de imagem corporal é uma coisa real e pode ser identificável, por isso não deveria ser apenas uma piada barata e obrigatória.

Essa piada em particular sugere que pelo menos uma personagem feminina, muitas vezes uma adolescente, inveja amargamente a figura mais corpulenta de outra garota. Por discrição, a primeira garota geralmente só pensa nisso para si mesma e não diz nada em voz alta. Contudo, o diálogo interno deixa tudo claro para o público, mesmo que a outra personagem feminina não saiba. Já reparou que, mesmo que essa zombaria não seja tão errada assim, já tornou-se super clichê?

Afinal, sempre vemos que há uma garota invejosa que se sentirá péssima consigo mesma, comparando desfavoravelmente seu corpo com o da outra garota. Geralmente, também há o questionamento: como a outra personagem chegou a esse corpo? Muitas vezes, a piada termina aí, deixando muita coisa meramente implícita. Talvez a garota invejosa esteja chateada porque a garota que ela considera mais bonita receberá toda a atenção dos meninos, por exemplo. Isso ou então a garota invejosa já estava tendo problemas de imagem corporal e ver alguém “mais bonito” só piora. Dessa forma, a própria personagem não nota que, muitas vezes, ela também recebe a atenção de alguns meninos.

Por sorte, obras como Orange, série de mangá escrita e ilustrada por Ichigo Takano, as protagonistas notam mais rapidamente que elas também chamam a atenção de quem elas gostam. Ou seja, todo o desenvolvimento da protagonista se baseava em sua timidez e na vontade de salvar o seu amado. Não exclusivamente em inveja. Dá para sentir um pouco da diferença?

Raramente essa piada leva a um desenvolvimento substancial da personagem ou explora temas simpáticos e relacionáveis de maneira construtiva. Essa piada recorrente é tipicamente superficial e feita puramente por uma questão de humor e, por natureza, é às custas da garota invejosa. Com falta de substância e foco na vergonha do corpo, essa piada recorrente é mesquinha por parte de um roteiro preguiçoso. O humor barato é a única intenção? Não é importante para o desenvolvimento geral do enredo e personagens? Então, por que não evitar?

As narrativas geralmente exploram temas pessoais profundos sobre valor próprio, enfrentando os demônios internos, superando falhas pessoais e muito mais, e isso inclui o tópico da imagem corporal. Se a personagem não vai enfrentar adequadamente a inveja, o ciúme ou qualquer outro sentimento, então não vejo necessidade de abordar apenas como humor barato. É difícil alguma obra tentar ser ao menos como Tomo-chan Is a Girl que se estabelece uma jornada de auto-aceitação. A obra que estreou recente via Crunchyroll pode ter os seus respectivos defeitos, mas o programa já está defendendo que a protagonista permaneça como está. Tomo se esforça para se tornar mais feminina e demora a perceber que seus amigos a amam dessa forma, mesmo sendo mais bruta.

Traços atraentes são unicamente da aparência?

Mesmo para os padrões de serviço de fãs, é superficial e sem sentido que as piadas se concentrem em algo tão simples e tipicamente sem sentido quanto o tamanho do peito de uma garota. E vou repetir: precisa-se sempre reparar no corpo das garotas ditas gostosas nas obras, mas é mais raro encontrarmos personagens masculinos se comparando ou até eles próprios fazendo o estilo dito gostoso. Um dos raros personagens nesse estilo foi o Ban, de Nanatsu no Taizai, e a sua beleza física está longe de ser sua única característica.

O serviço de fãs é uma parte profundamente arraigada do mangá/anime e provavelmente permanecerá assim por muitos anos, mas a discrição ainda é essencial e as piadas mesquinhas estão se tornando cada vez menos aceitas. Um pouco de fan service vai longe, e mesmo com personagens como Juvia Lockser em Fairy Tail ou Tomo Aizawa em Tomo-chan Is a Girl, a beleza externa é apenas uma pequena parte de um personagem.

Com ou sem fan service, qualquer personagem deve receber um desenvolvimento como uma pessoa completa para que possa ser atraente, simpático e emocionante de assistir, independentemente do gênero ou enredo. Esta é uma necessidade universal na narrativa, mas no anime em particular, as personagens femininas geralmente têm designs desequilibrados e até distorcidos. Se dá muita atenção à sua aparência, o que abre as portas para o fan service e certamente a inveja corporal de outras personagens femininas. Não há mal nenhum em ter uma personagem feminina externamente bonita que é adorada por seus telespectadores e outros membros do elenco, mas fazer disso o foco principal geralmente está causando problemas.

Esses personagens podem facilmente se tornar uma desculpa ambulante para fan service, e alguns criadores, como Hiro Mashima de Fairy Tail, muitas vezes caem nessa armadilha. Juvia Locker é assim, sendo definida principalmente por seu amor obsessivo por Gray Fullbuster e a intensa inveja da jovem Wendy Marvell. As personagens femininas mais bem desenhadas são completas com sua aparência, personalidade, falhas, objetivos, relevância temática, força de combate, relacionamentos e muito mais.

Austra Caroline
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here