The Last of Us: Parte 2 – Não é tudo isso!

74
The last of Us: Parte 2

Fala galera, hoje vamos falar de The Last of Us: Parte 2, um jogo aclamadíssimo exclusivo de PS4 (inclusive acabou de ganhar o prêmio de melhor jogo do ano) que foi lançado em Junho desse ano, e eu tive a oportunidade de jogar a sequencia dessa franquia recentemente, porém, diferente de muitos minha experiencia não foi tão positiva assim, aqui embaixo eu falo o porque dessa pequena decepção.

[ALERTA!!!] – Esse post vai ter muito spoiler do jogo, então quem não jogou ainda sugiro que leia isso em um outro momento.

O Jogo

The Last of Us: Parte 2 gira em torno de duas personagens, a nossa velha conhecida Ellie e uma nova integrante a fortíssima (bota forte nisso!) Abby, obviamente que a história no começo foca na Ellie, mostra o quanto ela cresceu e como anda a vida dela na cidade de Jackson (uma comunidade que briga dia a dia por sua sobrevivência) após ter fugido dos vaga-lumes na primeira parte dessa franquia. A história do jogo tem um ritmo de um filme, primeiro nos ambienta de tudo que está ao nosso redor (e nos ensina os comandos do jogo) e vai partindo para os acontecimentos que vão ditar a sequência dos fatos.

Eu diria que o jogo no começo te choca muito, pois o primeiro fato relevante da história é extremamente forte e traumático…

VOU ALERTAR NOVAMENTE, QUEM NÃO JOGOU AINDA, E NÃO QUER PEGAR SPOILER SAIA DESSE POST JÁ, POIS O PARÁGRAFO ABAIXO É FORTE!!!

… Então, o Joel é capturado e morto (cruelmente) pela Abby e seus amigos, isso mesmo, automaticamente você começa a odiar a Abby a partir daquele momento, e o pior de tudo, ela da o golpe de misericórdia em frente a Ellie, porém em um momento de misericórdia ela deixa Ellie viva… em teoria isso teria sido o pior erro dela, porém foi só em teoria mesmo.
Cara eu diria que a história se separa em 3 atos, todos sobre vingança.

VINGANÇA 1

Obviamente depois de ter seu “pai” morto diante dos seus olhos, Ellie enche seu coração de ódio e ressentimento e parte atrás de vingança, ela está decidida a matar Abby e todos os seus amigos… Ela parte atrás de sua vingança, junto com sua amiga (crush e/ou namorada) Dina em direção a Seattle a cidade base da organização que Abby faz parte, a WLF, que são mais uma comunidade tentando sobreviver. Nesse trajeto obviamente que Ellie e Dina encontra vários perigos, infectados, soldados da WLF, mais soldados da WLF, ai pra mim já começa o problema, você mata mais pessoas do que infectados ao decorrer do jogo, mas tudo bem, você tem que matar pra sobreviver.

Durante o caminho ela sai encontrando cada uma das pessoas que estava na sala onde Joel foi morto, e pra cada um ela pergunta de Abby e depois como uma bela justiceira mata após arrancar a informação que precisa. E por ai vai, sai matando geral, mata todo mundo, mata gente pra caramba mas não encontra Abby, porém o que ela não contava é que Abby encontraria ela…

VINGANÇA 2

Durante tudo que jogamos com a Ellie, Abby também não estava parada, e ai o jogo nos surpreende, eles nos colocam para jogar com a Abby e ver tudo sob sua perspectiva… Um parenteses aqui agora, jogar com a Abby é muito mais fácil do que com a Ellie, primeiro que ela é forte pra caramba e mata geral na pancada, e outra, você já começa com munição pra caramba, então pra meter bala sem dó em geral.

Ai nesse momento do jogo você já ta bravão, torcendo pra que seja rápido essa parte, pra gente poder voltar a ser a Ellie e matar essa maldita de uma vez por todas, porém não é bem assim, você joga um tempão com a Abby, tempo o suficiente pra descobrir que ela matou o Joel porque o Joel matou o pai dela, quando salvou a Ellie no final do primeiro jogo, tempo o suficiente pra você descobrir que ela não é uma desalmada sem coração, pois ela salva um casal de irmãos que são cicatrizes (uma outra comunidade que quer sobreviver no mundo), então você joga tempo o suficiente pra pegar um carinho pela personagem… Ai até eu achei legal, porque o jogo te coloca na confusão, de qual lado você vai ficar no confronto final (eu tava fechadão com a Ellie).

Mas beleza, vida que segue, a Abby sai matando geral por ai, mais gente do que infectado também, ai ela começa a seguir o rastro de corpos que a Ellie vem deixando, e ao descobrir que Ellie matou o homem que ela amava, ela parte atrás de sua vingança…

O CONFRONTO

Abby e Ellie se encontram, finalmente, o momento de uma das vinganças serem concluídas chegou… ai você pensa: “cara, agora eu mato a Gracyane Barbosa de Seattle, jogo me devolve pra Ellie pra eu atirar na cara dela”… só que não, você continua comandando a Abby, ai você fica confuso, porque você vai ter que matar a Ellie?! Mais um erro do jogo, nessa parte você vai enfrentar a Ellie no mano a mano, e amigo, na porrada, mas nem em mil jogos que a Ellie ganha daquela mulher, a mulher é o the Rock do mundo dos games, a Ellie é um palito… tanto que você é obrigado a ganhar com a Abby, porém a Abby decide não matar a Ellie, só pediu pra cada um seguir seu caminho… já não gostei.

O FINAL QUE NÃO É FINAL

Depois de tudo isso, o jogo te coloca em uma parte do jogo onde a Ellie já ta vivendo a vida dela, casada com a Dina e com o filho (é a Dina ta grávida desde o começo do jogo, mas isso não é importante, não muito), ai você joga um pouquinho, ai vem o Tommy (irmão do Joel, que também estava tentando se vingar, mas a Abby da um tiro nele pra ele ficar de boa) que ta todo lascado, e fala onde a Abby está, Ellie decide então que tem que terminar o que ela começou…

VINGANÇA 3 (pois é, mais uma)

Ai você volta pra Abby, mostra como ta a vida dela, ela ta tentando encontrar uns vaga-lumes que tem uma base escondida, só que no meio da investigação ela é capturada por um outro grupo de pessoas que sequestra quem eles encontram pela frente (o mundo lá é tipo The Walking Dead, várias facções). Ellie ao chegar no local, descobre que a Abby foi capturada, e vai lá resgatar a Abby, pra poder matar ela… sem nexo total, a mulher já tava lascada, volta pra casa e deixa ela morrer… Ellie enfrenta todo mundo e mata geral, encontra Abby, solta ela e finalmente vamos pro confronto final.

Como a Abby ta toda debilitada, ta bem na cara que a gente vai ganhar, porém a Abby da um pau na Ellie novamente, porém a Abby desiste de lutar e se entrega, ai a Ellie ta com a faca e o queijo na mão pra finalizar tudo, porém ela deixa a Abby ir embora, porque vem na sua cabeça o Joel.

E FIM!!!

CONCLUSÃO

Gente, vocês devem estar lendo e falando, cara mas acontece muito mais coisa, o jogo é bom, tem mestre, tem muita arma, tem uns infectados diferentes, tem guerra… tabom, tem tudo isso, mas que objetivo você conclui no jogo? Qual o ponto de ficar correndo atrás de alguém o jogo pra chegar na hora H e não fazer nada? Por que?

Imagina se você joga God of War todo, mata geral, passa por todo mundo, o Kratos chegar na cara de Zeus e fala: “Quer saber? Deixa pra lá, vai lá Zeus, tá de boa”, você ia pegar o CD do jogo e quebrar no meio.

Ou seja, o jogo é muito bom, tem uma boa jogabilidade, bom gráfico, é criativo, mas a história é uma porcaria, que história ruim, e pra mim a história faz grande parte do que o jogo pode ser, por isso The last of Us: Parte 2 não é tudo isso.

Bom pessoal, fico por aqui, espero que vocês tenham gostado, para conferir mais novidades e opiniões sobre os jogos visite nossa seção de games aqui no site.

Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here