Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot) – 1ª temporada – Resenha

O consultor criminal William James Moriarty coloca em cheque toda a aristocracia para acabar com a desigualdade social. Com essa movimentação, ele ganha um concorrente em inteligência, Sherlock Holmes.

1392
Exibição Original: 11 de Outubro de 2020 à 20 de dezembro de 2020
Título Original: Yuukoku no Moriarty | Moriarty the Patriot | 憂国のモリアーティ
Estúdio: Production I.GDistribuidora: Funimation
Criação: Ryōsuke Takeuchi | Direção da animação: Kazuya Nomura

Chega ao fim a primeira temporada de um dos animes mais hypados da temporada, Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot). Já fizemos aqui no Meta uma resenha de primeiras impressões e concluiremos aqui uma resenha mais completa do que foi esta primeira temporada e o que esperar da segunda. A obra foi escrita por Ryousuke Takeuchi e baseada no mesmo universo de Sherlock Holmes (Sir Arthur Conan Doyle). A animação ficou por conta da Production I.G;.

RESUMO

A trama tem como plano de fundo o Império Britânico do século XIX, sendo o mesmo uma das maiores potências globais. É com isso que Yuukoku no Moriarty passa a trabalhar. Tendo este cenário, há uma forte divisão de classes nas cidades britânicas, que prejudica diversas famílias e crianças, sendo uma delas William James Moriarty e seu irmão Louis James Moriarty. Os dois ganharam este nome depois de serem adotados pela família Moriarty, mais precisamente o primogênito Albert, que enxergou nas crianças (para além da inteligência) um senso de justiça muito forte e as apoiou desde então.

É então que a trama fica ainda mais interessante em Yuukoku no Moriarty, pois os irmãos passam a efetuar a justiça contra esta sociedade injusta de uma maneira muito obscura e por vezes violenta. Os três irmãos, principalmente William, torna-se então um grande consultor de crimes da Grã-Bretanha e ajuda as pessoas que desejam justiça contra a aristocracia. Porém, no meio disso tudo, somos apresentados a Sherlock Holmes, que passa a se interessar em solucionar estes casos misteriosos contra os aristocratas da sociedade. A partir daí começa um embate de mentes entre os personagens.

TRAMA

Misturando muito mistério, drama e uma dose de humor (partindo de Sherlock), o anime de Yuukoku no Moriarty traz junto a sua trama policial um embate de mentes e personalidades muito fortes. Coisa semelhante a o que já foi visto em Death Note. São personagens que já foram vistos, lidos e ouvidos em diversos outros lugares mas com uma roupagem mais interessante. Primeiramente porque parte de dois pontos de vista diferentes que interagem entre si.

O anime já trata logo de mostrar a vida, experiência e visão de mundo de William e seu irmão Louis e o quanto o que eles fazem, por vezes sendo muito mais violento, tem certa empatia. Mas é nessa margem do que é certo da justiça com as próprias mãos ou não é que se aborda o personagem de Sherlock e seu companheiro de investigação Watson. Até quanto é justo ou não todas aquelas atitudes?

PERSONAGENS

Este é um dos tópicos que não precisa de tantas discussões. É mais um daqueles animes da onda de animações que tratam de falar muito mais sobre pontos de vista do que uma luta de “bem vs mal”. Há uma certa empatia e até mesmo atração pela personalidade excêntrica de William logo de cara pelos seus ideais, olhar e modo de falar. Sua inteligência então, nem se fala, pois esse é um ponto inicial para que os personagens se desenvolvam no anime.

Sherlock também já se torna interessante logo de cara pela forma como ele aparece inicialmente, como pensa sobre tudo o que acontece à sua volta, sua inteligência e também pelos seus conflitos e dilemas que é tratado de uma forma muito interessante dentro do anime de Yuukoku no Moriarty.

Os outros personagens coadjuvantes também cada um com sua personalidade trazem um tom mais interessante para a animação. Albert com seu bom coração, Watson com sua bondade e pensamento rápido, Louis com sua doçura e lealdade ao irmão que sempre o defendeu mutuamente, Sebastian com seu jeito mulherengo e durão e Fred com sua quietude, mas muito ágil e perspicaz.

TRILHA E ANIMAÇÃO

A animação não foge nada dos padrões. É construída de uma maneira muito bem feita e com um ótimo jogo de luzes quando mostram as ações dos Moriarty. O cenário do século XIX também ficou bem fidedigno. Os efeitos especiais também ficaram bem “compráveis”. Um exemplo disso é a cena de Sherlock confuso em seus pensamentos em meio a grande fumaça de cigarro. Como já citado, o estúdio por trás do anime é Production I.G (os mesmos de Psycho-Pass, Haikyuu!!, Neon Genesis Evangelion, Kuroko no Basket e Vinland Saga).

A trilha sonora com um pouco de música clássica e uma leve aceleração nas cenas de desenvolvimento dos assassinatos deram um tom bacana. A opening de Yuukoku no Moriarty trouxe uma mistura interessante de ópera clássica com batidas aceleradas de eletrônica. Já a ending surpreende um pouco pelo tom e cenário do anime, pois termina com uma eletrônica um pouco mais rápida.

CONSIDERAÇÕES

O anime termina em um ponto muito alto e cheio de mistério (o que não falta desde o início). A expectativa para a segunda temporada, que chega em abril de 2021 é muito grande, pois a cada encontro de William e Sherlock, as coisas vão ficando muito mais interessantes, principalmente pelos seus diálogos cheios de blefes e ironias. Isso fica ainda mais cativante e hipnotizante no último episódio da temporada quando os dois “trabalham juntos” e ao final, um novo desafio começa a rondar a Grã-Bretanha. Aí somos apresentados a novos personagens para a próxima temporada.

Siga o Meta nas redes e confira mais resenhas de anime aqui.

Análise Crítica
Data
Título Original
Yuukoku no Moriarty 1ª Temporada
Nota do Autor
51star1star1star1star1star

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here