Goblin Slayer – Resenha

2
37

Goblin Slayer – Resenha da primeira temporada do anime

goblin-slayer-resenha-poster.jpg

Exibição Original: 07 de Outubro de 2018 a 30 de Dezembro de 2018
Título Original: Goblin Slayer / Goburin Sureiyā / ゴブリンスレイヤー
Estúdio: White Fox| Nº de Episódios: 12
Avaliação: ★★★☆☆ (Bom)

Um dos animes mais comentados e assistidos da última temporada, Goblin Slayer é a adaptação de uma série de light novel japonesa criada por Noboru Kannatuki. Quem realiza é o estúdio White Fox, também conhecido por Steins;Gate e Akame ga Kill!.

Se você ainda não assistiu Goblin Slayer, provavelmente, no mínimo, ouviu falar de seu polêmico primeiro episódio, que chocou espectadores e críticos de animes mundo afora e que, certamente, contribuiu para a popularidade que a obra atingiu imediatamente. Isto é um ponto imprescindível para se falar sobre ele, mas voltaremos a isto daqui a pouco.

goblin-slayer-resenha-01

Tratando da sinopse, Goblin Slayer apresenta um mundo RPG clássico, onde aventureiros dos mais diversos tipos e classes – desde guerreiros, magos, arqueiros e clérigos, por exemplo – saem em busca de missões para ganhar recompensas, livrar o mundo de demônios e, especialmente, se tornarem heróis de alta patente e ganhar reconhecimento.

Um destes guerreiros de alta patente é o personagem-título e protagonista, o Matador de Goblins, uma figura de poucas palavras que jamais é visto sem seu elmo e está sempre de armadura. Ele é conhecido por lutar unicamente contra goblins – embora seja um guerreiro exímio – e sua obsessão por estas criaturas passa a ser conhecidas nos primeiros episódios.

goblin-slayer-resenha-02.jpg

Voltemos agora ao famigerado primeiro episódio. A obra opta por apresentar cenas de extrema violência e estupro quase que de cara, com o objetivo único de gerar choque e repercussão. Embora haja um contexto para tal, é claramente apelativa e dá a impressão de que o anime terá um tom futuro que não reflete exatamente o que vemos nos episódios seguintes.

A sexualização em Goblin Slayer é, majoritariamente, desnecessária, tirando a seriedade que o anime tenta passar em momentos-chave e tornando-o até mesmo bobo em algumas situações. Isto, aliado a alguns momentos em que há diálogos pouco construtivos, dá a impressão de que a série, inicialmente, não sabe muito bem para onde caminhar – os lados sombrios, dramáticos e de repente com tons de comédia e ecchi não se conversam.

goblin-slayer-resenha-04.jpg

No entanto, é inegável o aumento na qualidade do anime a partir da segunda metade da temporada, onde a trama começa a caminhar com mais objetivo e somos imersos em um tom mais dramático. A adição de novos personagens, batalhas de tirar o fôlego e a resolução de alguns mistérios acerca do Matador de Goblins e mesmo do universo que permeia a obra torna tudo mais interessante.

Os personagens que formam a guilda que passa a acompanhar o protagonista se mostram figuras interessantes. Eles representam classes indispensáveis em obras de RPG, tendo suas caraterísticas exploradas fora e dentro do ambiente de batalhas. As lutas, inclusive, são um prato cheio aos fãs do gênero, onde há a combinação de estratégia para enfrentar os inimigos com magia, ataques físicos, invocações e outras artimanhas típicas destes jogos, com um tom empolgante que o anime oferece para essas situações.

goblin-slayer-resenha-03.png

Mas, acima da questão desta questão de arquétipos e seu funcionamento dentro da trama, os coadjuvantes, incluindo aqueles que não lutam, cumprem seu papel na jornada do herói: a evolução do protagonista. É nítida toda a mudança pela qual o Matador de Goblins passa ao longo dos doze episódios e o quanto ele se torna muito mais interessante e carismático graças ao impacto gerado pelos personagens que o cercam. E sua evolução é coroada com os acontecimentos do episódio final, em especial a última cena, que fecha com chave de ouro o ciclo do personagem-título até então.

Goblin Slayer é um anime que deixa a impressão de que poderia ter sido mais. Mais objetivo, mais envolvente, e que deveria ter explorado mais o universo em que se situa e mesmo um pouco mais de seus personagens como um todo. Mas que, orbitando em torno de seu protagonista, cumpre seu objetivo, ainda que leve alguns episódios para amadurecer e apontar a direção que deseja tomar e levar o expectador.

goblin-slayer-resenha-05.jpg

Uma curiosidade é que o anime, em momento algum, menciona o nome dos personagens – eles são referidos apenas por seus arquétipos. Mas você pode conferir os nomes e mais sobre eles neste link.

Goblin Slayer está disponível na Crunchyroll.

Confira outras resenhas de animes e mangás aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais e se inscreva no nosso canal – assista abaixo nosso vídeo sobre os personagens.

ASSINATURA

Análise Crítica
Data
Título Original
Goblin Slayer
Nota do Autor
31star1star1stargraygray