Godzilla Singular Point (Godzilla S.P) – Resenha

Mais um anime chega ao catálogo da Netflix e com ele vem um combate gigantesco contra diversos kaijus e um que aterroriza ainda mais, Godzilla.

434

Exibição Original: 25 de Março de 2021 (Japão) | 24 de Junho (Brasil)
Título Original: Godzilla S.P | Godzilla Singular Point | ゴ ジ ラ SP < シ ン ギ ュ ラ ポ イ ン ト >
Estúdio: Bones e Orange
Roteiro: Toh Enjoe | Direção: Atsushi Takahashi

Nesta quinta-feira (24/06) chegou ao Brasil (e para o resto do mundo fora Japão) pela Netflix a primeira temporada do anime Godzilla Singular Point (Godzilla S.P). A obra conta com um tema já muito clássico tanto nas telas do cinema do mundo, como principalmente das nipônicas. O anime é uma produção original da Toho junto com os estúdios Bones e Orange. A animação é dirigida por Atsushi Takahashi, escrito por Toh Enjoe e com o design de Kazue Kato.

RESUMO

A trama contém um roteiro original, mesmo sendo baseado no personagem icônico, Godzilla. Em resumo ela apresenta a busca e investigação incessante de dois jovens gênios, Mei Kamino e Yun Arikawa, sobre os estranhos casos de grandes kaijus aparecendo no Japão. Logo após a aparição de um kaiju, uma espécie de pterossauro, eles passam a investigar como aquilo surgiu e porque vários outros passam a emergir depois.

Em suas pesquisas, os kaijus dão espaço para mais mistérios: uma misteriosa música que possa ter relação com toda a situação, e um monstro especial em meio a tudo aquilo, o nomeado Godzilla. Tendo seus estudos mais avançados sobre os casos, os dois jovens, cada um em suas funções e posições trabalham simultaneamente para deter o que futuramente possa ser a destruição do planeta Terra.

TRAMA

Mesmo utilizando de um plot já muito conhecido como o Godzilla, o anime de Godzilla Singular Point surpreende bastante com a desenvoltura e desenrolar dos mistérios em que os personagens precisam entrar e destrinchar para solucionar os casos. O anime é uma imersão gigantesca em diversas teorias do campo da química e física. Alguns dos diálogos chegam a ter grandes minutagens de trocas teóricas sobre o tema. Apesar disso tudo, a animação não deixa de ficar interessante por conta do desenvolvimento dos personagens e agravamento da situação. O sentimento de “como eles vão escapar dessa?” é o que fica ao fim de cada episódio.

PERSONAGENS

Mei e Yun cumprem um papel muito interessante como protagonistas. Mesmo sendo muito jovens, os dois entram para o hall de personagens de animes extremamente inteligentes. Mesmo tendo o papel dos “nerds”, eles entregam muita empatia com suas personalidades. Apesar de uma densa camada de teorias, Godzilla Singular Point mescla sempre um alívio cômico com os robôs Pelops II, Yung e Jet Jaguar e também pelo pequeno e muito ranzinza Gorou Ootaki. 

ANIMAÇÃO E TRILHA

Estes são dois pontos extremamente bons do anime de Godzilla Singular Point que deixou a obra ainda mais interessante de se acompanhar. Falando primeiramente da animação, ela traz um sentimento nostálgico de algumas animações do início dos anos 2000, tanto por conta da coloração e design dos personagens, quanto por toda construção da cidade. Mesmo sendo muito colorido, esse sentimento é apresentado com uma fotografia um pouco opaca em alguns momentos. O trabalho da Orange foi gigantesco dentro disso tudo para mesclar os grandes kaijus, principalmente o próprio Godzilla junto aos traços da Bones. Alguns frames do monstro gigante chegam ser assustadores, realmente.

Já a trilha é composta de maneira muito boa e natural. Implementando muita orquestra para guiar as cenas de ação, tanto de fuga, quanto de luta dão o toque tradicional para que elas se desenvolvam bem. A música com tema indiano “alapu upala” também constrói muito do cenário de mistério do que está envolto a animação de Godzilla Singular Point, principalmente pela frequência e ecoação que ela é frequentemente mantida. E claro, não pode faltar a tradicional trilha já conhecida de Godzilla. Todas as vezes que o kaiju aparecia, sua presença dava ainda mais um ar assustador e grandioso sendo reproduzido a ela.

CONSIDERAÇÕES

Inicialmente Godzilla Singular Point pode até ser uma animação um pouco maçante de se ver pelas inúmeras teorias e dados muito mais teóricos e difíceis de acompanhar, mas pelo contexto geral vale muito a pena. A construção e evolução de todos os kaijus, principalmente da evolução do Godzilla em suas 4 partes de uma grandiosidade maior ao anime, principalmente pela explicação dada a tudo aquilo. Saber como tudo vai se solucionar, principalmente pelo quebra-cabeça já estabelecido inicialmente mantém quem assiste preso ao anime. Quando tudo chega ao fim há pequenas lacunas a serem respondidas, além disso temos uma grande surpresa propondo com tudo isso uma proposta ainda mais interessante de uma segunda temporada.

Siga o Meta no Twitter e Instagram e veja aqui mais resenhas sobre animes.

Análise Crítica
Data
Título Original
Godzilla Singular Point
Nota do Autor
41star1star1star1stargray

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here