Sergio (Netflix) – Resenha

Análise crítica de Sergio (Netflix) - Resenha, estrelado por Wagner Moura e Ana de Armas, o filme conta a história de Sergio Vieira de Mello.

472

Sergio (Netflix) – Resenha

Sergio (Netflix) - Resenha
Sergio Vieira de Mello

Fala pessoal, hoje vou trazer minha análise crítica do filme Sergio (Netflix) – Resenha. Confesso que esse filme me pegou de surpresa, fiquei sabendo de seu lançamento na quarta-feira (15 de abril, dia do meu aniversário) e fiquei muito interessado em assistir.

O motivo desse interesse é que eu lembro nitidamente do dia em que o prédio da ONU sofreu o atentado, em 2003. E também era nítido para mim que era importante o papel de Sergio Vieira de Mello no mundo, só não sabia o quão importante foi.

Antes de começar a falar sobre o filme, queria dizer que também existe na Netflix um documentário muito interessante sobre a trajetória do Sergio e também sobre o atentado. Aliás, mesmo estando na Netflix, esse documentário foi produzido pela HBO.

Sergio (Netflix) - Resenha
Sergio e Carolina em Timor Leste

O Filme – Sergio (Netflix) – Resenha

Para começar, posso dizer que Sergio, da Netflix, é um filme bem triste. Nele conseguimos enxergar como é difícil querer fazer o que é certo em um mundo em que os interesses políticos, comerciais e o fanatismo religioso. Mas, nesse próprio filme, conseguimos ver que isso é possível.

Dirigido pro Greg Barker, mesmo diretor que fez o documentário de 2009, Sergio conta a história do brilhante diplomata brasileiro que representava a ONU em Bagdá, após a morte do Saddam Hussein na ocupação dos EUA no Iraque, em 2003.

O filme Sergio vai te levar a diversos pontos da vida do diplomata, construindo sua trajetória alternando entre passado e presente. No presente, vamos vivenciar os momentos tensos do atentado em Bagdá e, no passado, vamos entender um pouco mais sobre a trajetória do protagonista em diversos pontos de sua história na ONU.

Tudo começa com uma reunião entre a Secretária Geral dos EUA e Sergio Vieira de Mello (Wagner Moura) que deixa a entender que a presença da ONU será solicitada em breve para mediar e ajudar a estabelecer um novo regime democrático no Iraque, após a queda de Saddam Husseim. Aliás, apesar de nada ser oficial, Sergio está relutante, pois seu momento na vida indica um caminho para cuidar mais do lado pessoal e ele está prestes a se casar com Carolina Larriera (Ana de Armas).

Sergio (Netflix) - Resenha

Eis que a ONU entra oficialmente na linha de frente no Iraque, e Sergio é o escolhido para assumir a missão selada em uma reunião com o presidente Bush, na Casa Branca. Nesse momento vemos como Sergio é uma personalidade carismática, sorridente, um homem bem apessoado e fácil de se gostar.

Ao chegar no Iraque, com toda sua equipe, o personagem vivido por Wagner Moura percebe como a atuação do exército americano tem sido abusiva na ocupação.

O dilema ali era que a ONU, uma organização humanitária independente, era muito associada aos EUA, como se fosse uma aliada. O principal motivo disso era que a ONU havia ajudado o país Timor Leste (que aliás, foi colonizado pelos portugueses e é um dos poucos países no mundo que fala a nossa lingua) a conquistar sua independência.

Esse fato carimbou a ONU como inimigo dos muçulmanos, tendo um vídeo divulgado pelo próprio Osama Bin Laden.

Com o propósito de evitar essa associação entre ocupação americana e a operação da ONU, Sergio ordena que os soldados americanos retirem suas tropas que estão protegendo o prédio. Ele queria mostrar aos iraquianos que a ONU estava ali para ajudar e não estava associada com a ação abusiva dos EUA. Apesar da sua boa intenção, foi isso que facilitou o ataque terrorista que foi assumido pela Al-Qaeda.

Sergio conhece o líder do Timor Leste

O atentado a ONU ocorre bem no início do filme e, como disse anteriormente, a obra se alterna entre momentos do “presente” e do “passado”, assim conhecemos um pouco sobre como Sergio era brilhante como diplomata. Aliás, é em sua mais bem sucedida missão que ele conhece Carolina.

Em Timor Leste, território que era anexado a Indonésia, Sergio consegue não só promover a redemocratização do país, mas como também a independência do mesmo. Esse feito foi incrível, pois ele convenceu a Indonésia, que reprimia os timorenses causando milhares de mortes, a dar a independência desse país com um pedido de desculpas do próprio presidente indonésio.

É nessa fase da história que vemos como o diplomata conheceu Carolina Larriera, uma argentina especializada em economia. Eles se cruzaram em uma corrida matinal a beira mar na capital de Timor Leste e começaram a conversar.

O clima do filme gira entre admiração para com ao brilhantismo de Sergio, seu romance com Carolina e principalmente tensão nos momentos em Bagdá, pois como o atentado ocorre bem na primeira parte do filme, boa parte do “presente” é com Sergio embaixo dos escombros, tendo flashes de momentos de sua vida.

É nesses escombros que Sergio Vieira de Mello morre, com dois militares americanos tentando salvar sua vida, sem nenhum equipamento.

Carolina e Sergio

Áudio e Fotografia

Gostei muito da produção da Netflix nesse filme. Eu diria até que podemos considerar que é um dos filmes “A” da gigante de streaming.

A fotografia está muito boa, com tonalidades bem vibrantes e filtros bem quentes. Gostei muito inclusive de uma das cenas finais, em que os filhos e Carolina vão se afastando da tela, uma das cenas mais emocionantes.

Outra cena muito emocionante é quando Carolina recebe dos militares as alianças, que Sergio mandou para ela nos seus últimos instantes. Difícil segurar as lágrimas nessa hora.

Achei o áudio um pouco alto demais nas vozes. Sabe quando parece que a voz ficou destacada de mais, com a impressão de quela foi gravada separadamente? É meu único ponto técnico a reclamar.

Fato vs Realidade

Algumas coisas são realmente verdade no filme vs realidade, quero citar algumas aqui.

  • Realmente Sergio ficou horas embaixo dos escombros antes de morrer;
  • Carolina e Sergio, já tinham um relacionamento e já usavam alianças;
  • Sergio era casado mas apenas no papel, seu processo de divórcio já estava acontecendo quando ele conheceu Carolina;
  • Sergio era muito mulherengo e já havia tido um caso com uma colega de trabalho;
  • O casal já havia visitado o Rio de Janeiro, esse que no filme era o sonho deles;
  • Gil realmente existiu e teve suas pernas amputadas ao lado do diplomata, mas no filme esse personagem representa tantos outros num personagem só;
  • Sergio não conhecia o Leng Sary, do Khmer Vermelho no Camboja, mas ambos estudaram realmente em Sorbonne, em épocas diferentes.

Atuações – Sergio (Netflix) – Resenha

É incrível a performance de Wagner Moura nesse filme. O empenho que ele teve frente das câmeras é recompensado com uma atuação impecável. Aliás, você nota todos os trejeitos do Sergio de Mello na atuação desse grande ator brasileiro, apesar de ele mesmo falar que não gosta de interpretar pessoas reais.

O empenho dele também foi notado fora do set de filmagens. Li uma entrevista em que ele diz que tentou lançar o filme nos cinemas. Infelizmente a situação do covid-19 não contribuiu.

Ana de Armas teve uma atuação muito boa também. As vezes senti ela um pouco desconfortável no papel, mas talvez seja apenas uma impressão minha.

Conclusão – Sergio Netflix

Recomendo muito o filme Sergio, da Netflix, por ser uma produção muito fiel a história desse que foi um dos heróis da ONU e que é pouco conhecido aqui no Brasil. Precisamos conhecer mais os brasileiros que fazem a diferença pelo mundo, e Wagner Moura fez um grande trabalho no papel de Sergio Vieira de Mello, ou apenas Sergio, como ele era conhecido.

Um filme cativante, envolvente e triste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here