Burn The Witch (anime) – Resenha

Em um mundo onde os dragões são ameaças para os humanos, os bruxos e bruxas precisam manter a ordem e o controle da sociedade.

130
Exibição Original: 2 de outubro de 2020
Título Original: Burn The Witch
Estúdio: Studio Colorido
Nº de Episódios divididos pela Crunchyroll: 3
Avaliação: ★★★★★

Se passando no mesmo universo de Bleach, mais precisamente dois anos depois do último capítulo do mangá, Tite Kubo nos apresenta agora ao universo de Burn The Witch. Apesar de ser um mesmo universo, os ambientes e suas composições tem aspectos muito diferentes em mesmas formas. O filme foi adaptado do mangá e está disponível pela Crunchyroll, que o dividiu em três partes.

Resumidamente, o anime Burn The Witch mostra um mundo onde dragões existem e são seres poderosos e invisíveis para pessoas normais. Por eles serem muito perigosos para a humanidade, existem pessoas especializadas para lutar contra estes animais fantásticos. Estes especialistas são chamados de bruxos e se organizam na Soul Society do Ocidente (fazendo aí a referência ao universo paralelo de Bleach).

Somos apresentados então às protagonistas, Noel Niihashi e Ninny Spangcole, bruxas da Wing Bind (organização de controle, gestão e combate aos dragões). A missão destas bruxas é proteger Londres, tanto a Frontal (humanos), quanto a Reversa (mundo inverso) dos dragões. Apenas quem vive na Londres Reversa, ou transita entre os dois mundos conseguem enxergar os dragões.

Neste cenário, começamos a entrar na trama de Burn The Witch que nos mostra Balgo, amigo de Noel e Ninny que se tornou um “Drangonclad” ou “Possuído por um Dragão”. Isso aconteceu depois de ser mordido por seu amigo de infância Shelby (um dragão se passando por humano). Noel e Ninny, para além de cumprirem suas funções na WB, também devem proteger Balgo, pois ao se tornar um Possuído por dragão, ele também tem o efeito de atrair outros dragões.

O universo de Burn The Witch mostra que um humano que entra em contato com um dragão automaticamente é “infectado” podendo ser preso ou até morto. E é aí que entram as diversas questões que ficaram para se resolver em uma continuação desta obra. Balgo, apesar de ter contato com um dragão e possuir um dragão de estimação que se disfarça de cachorro, é mantido vivo por alguma razão que ainda se explica pouco dentro da obra.

Para além disso, Tite Kubo traz em Burn The Witch quase todos os elementos que trabalhou em Bleach. As diversas divisões de grupos e classes é uma delas. Bem como os bruxos são divididos em diferentes patamares, os dragões também são, e de uma forma muito curiosa. Kubo trabalha neste universo ocidental os contos de fadas e mais para frente dá o nome de dos maiores contos de fadas para os maiores e mais lendários dragões da estória.

Vemos também das magias e conjurações delas muito semelhante ao universo da Soul Society Oriental. As “interferências” mágicas também são semelhantes, tais como Balgo virando um possuído e os amigos de Ichigo ganhando poderes. Vamos aguardar mais para frente como o anime irá trabalhar esses dois universos e se eles irão se encontrar em algum momento. Tendo o mundo reverso e o universo de bruxos e bruxas, a animação lembrou em certos momentos o ambiente de Harry Potter também.

Para além disso, temos também a animação. Apesar dos traços serem muito semelhantes ao de Bleach (por conta de Tite Kubo), a animação parece ter um pouco mais de cor e vida. O estúdio por trás disto é o Studio Colorido. A animação tendo um pouco mais de vida e parecendo até ser movimentações “mais leves”, suaves e “flexíveis” por vezes lembram algumas animações estadunidenses.

As cenas de lutas são muito dinâmicas e bem construídas. O cenário tem muita semelhança com o que é Londres. Burn The Witch traz também na iluminação da animação, principalmente na luta contra os dragões cenas que podem deixar os espectadores em êxtase.

Atualmente a obra está parada, pois Burn The Witch possui apenas 5 capítulos no mangá (contando com o piloto). Aparentemente Tite Kubo está esperando uma boa recepção (que provavelmente terá) da animação para dar continuidade. Ao final do capítulo 4 temos um anuncio de “2ª temporada” para as páginas. Sim, uma segunda temporada para o mangá. Talvez seja essa espera para que Burn The Witch não se torne um Samurai 8 como foi para Masashi Kishimoto depois de ter feito Naruto.

Burn The Witch já nos mostra um universo muito rico e cheio de personagens extremamente fortes, interessantes e intrigantes. O dinamismo da animação, mesmo sendo um filme, já marca um território muito fértil para uma boa sequência. As personagens, tanto protagonistas como coadjuvantes, têm suas particularidades, que assim como Bleach, pode interessar muito o público shounen. E tudo isso, trazendo protagonistas femininas para o universo. Burn The Witch pode se tornar um grande tiro no alvo de Tite Kubo, isso se ele não encher de coisas e se atrapalhar assim como fez no final de Bleach.

Veja aqui a lista que fizemos dos principais personagens apresentados na animação.

Siga o Meta nas redes sociais e veja outras resenhas de animes aqui no site.

Análise Crítica
Data
Título Original
Burn The Witch
Nota do Autor
51star1star1star1star1star

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here