Sapiens: o nascimento da humanidade – Resenha

Uma brilhante adaptação de um dos maiores best-sellers do século

240

O livro Sapiens: Uma breve história da humanidade alcançou sucesso global e se tornou um dos best-sellers mais vendidos da década, catapultando o professor israelense Yuval Noah Harari como um dos autores mais lidos da atualidade. Agora, a Companhia das Letras, por meio do selo Quadrinhos na Cia, traz o brilhante primeiro volume da adaptação da obra para os quadrinhos, batizada Sapiens: o nascimento da humanidade.

O desafio de transportar a obra de Yuval – um dos livros mais conceituados, completos e provocadores da história recente – para a nona arte parecia gigantesco, mas é feito de forma extremamente criativa pela dupla David Vandermeulen (Bélgica) e Daniel Casaneve (França), com a já famosa e consagrada linguagem e visual dos quadrinhos franco-belgas.

A HQ Sapiens: o nascimento da humanidade nos transporta para a história da existência humana, dividida em quatro diferentes capítulos: Os Rebeldes da Savana; Os Mestres da Ficção; Sexo, Mentiras e Pinturas Rupestres; e Assassinos em Série Intercontinentais. Somos introduzidos aos mais diferentes conceitos sobre a origem humana: as diferentes espécies de humanos que existiram, suas jornadas e sucessões; as revoluções cognitiva, agrícola e industrial; e a relação de nossa espécie com todo ecossistema – e como milhões de anos levaram descendentes de primatas ao topo da ordem animal na Terra.

Estes relatos são feitos na forma de viagem junto ao professor Yuval, como se estivéssemos diante (ou dentro) de um reality show. O narrador é acompanhado por uma série de personagens reais e fictícios, desde historiadores, arqueólogos e antropólogos a personificações como os personagens de quadrinhos Bill Pré-Histórico e sua esposa, e a dra. Ficção e a detetive Lopez, que conduz, por exemplo, um inquérito para apurar se os sapiens são os principais responsáveis pela extinção em massa de espécies como os mamutes e os animais gigantes da Austrália.

Com estes personagens também viajamos no tempo, encontrando, por exemplo, Armand Peugeot, fundador da marca homônima e pioneiro da indústria automobilística; visitamos cidades e eras antigas, acompanhando os primeiros embates entre humanos; e também participamos de exposições e palestras. Um dos trechos mais intrigantes da HQ, inclusive, é a conferência realizada no Rio de Janeiro, nas quais os palestrantes são confrontados por uma típica “família tradicional” e negacionista, expondo um quadro muito atual de nossa sociedade na relação com a ciência.

Além de um tanto engraçada, Sapiens: o nascimento da humanidade é, sobretudo, uma leitura incrivelmente didática. Consegue transmitir o texto robusto de Yuval – e de anos e anos de pesquisa científica dos mais diferentes campos que, juntos, seguem arduamente o rastro de nosso passado – de um modo divertido, inteligente, e com os recursos narrativos e gráficos que só os quadrinhos são capazes de proporcionar. Isto se traduz não somente no roteiro, mas também nas cores, que dão o tom de tempo, espaço e ambiente, e no lindo e criativo letramento.

Por que os sapiens se tornaram a espécie dominante, e não hipopótamos ou rinocerontes? Como foi feita a primeira travessia de humanos entre continentes? Por que existem tantas religiões e culturas distintas? Parte destas respostas estão nesta HQ, e parte seguirá, talvez para sempre, em mistério absoluto. O que aprendemos com esta leitura é que sabemos um bocado, embora o que saibamos ainda seja apenas um fragmento do que foi de fato nossa trajetória do princípio até os dias de hoje.

“Aos extintos, aos perdidos e aos esquecidos. Tudo o que se une está fadado a ser desunido.”

Yuval Noah Harari

Como muito bem pontua o texto de contracapa, Sapiens: o nascimento da humanidade é não somente um dos melhores exemplos de adaptação para os quadrinhos, mas, sobretudo, uma obra pensada para cativar até mesmo quem não tem o costume de ler sobre ciência e história. Uma leitura robusta e provocadora, mas fluida e carismática, gostosa de ler, apreciar e também aprender.

É, portanto, um material mais que recomendado para todos os públicos. Você pode adquirir a HQ neste link. E clique aqui para conhecer as obras do selo Quadrinhos na Cia.

Confira outras resenhas de HQs aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here