Lucifer 5ª temporada (Netflix) – Resenha

Em nova temporada na Netflix, Lucifer enfrenta mais problemas sobre suas relações e sua família.

338
Título Original: Lucifer
Ano: 2020
Criação: Tom Kapinos | Nº de Episódios: 08
Avaliação: ★★★★★ (Excelente)

Recentemente a 5ª temporada da série Lucifer foi disponibilizada pela Netflix. Ficamos sabendo então que a série será dividida em duas partes. Esta primeira contém 8 episódios. Contando com um novo vilão, muito interessante por sinal, a série continua com o olhar que a Netflix dá para adaptação nas telas digitais.

A série começa nos mostrando a detetive Chloe Decker (Lauren German), Maze (Lesley-Ann Brandt) e Ella (Aimee Garcia) muito sentidas pela partida de Lucifer (Tom Ellis), mostrada ao fim da quarta temporada. Dor sentida em um nível muito maior por Chloe e Maze por saberem para onde ele foi.  Lucifer também aparece bem abatido executando seu trabalho no inferno. Apesar do tempo lá andar de forma bem diferente da Terra, como ele mesmo disse.

É aí então que um novo personagem e vilão na perspectiva de toda a obra aparece, Miguel. O arcanjo se mostra irmão gêmeo de Lucifer, mas de um temperamento completamente diferente do irmão. Miguel deixa claro logo de início que quer tomar a vida e relações do irmão gêmeo para si ou então estraga-las. Ele passa então a enganar todos a sua volta, mostrando-se ao contrário de Lucifer, o verdadeiro rei da mentira. Com o passar da série, os personagens acabam descobrindo a real identidade de Miguel, fazendo com que Lucifer volte para a Terra.

Esta nova temporada de Lucifer apesar de apresentar um importante novo vilão, ele não aparece com tanta frequência em todos os episódios e por vezes não parece ser o principal foco da série. A obra tratou de falar e desenvolver mais os personagens e seus medos e desafios. Alguns flashbacks são até mesmo trazidos à tona para que isso seja trabalhos da melhor forma.

A relação entre Lucifer e Chloe são muito mais evoluídas e desenvolvidas. Novos desafios para a própria personalidade do rei do inferno são postos. Dan (Kevin Alejandro) aparece na série fazendo algumas pontas entre a trama correrem e se conectarem. Amenadiel (D.B. Woodside) e Linda (Rachael Harris) também são desenvolvidos a partir do filho, principalmente, mostrando um outro lado dos personagens.

Mesmo a trama não apresentando frequentemente Miguel, ainda assim ela faz com que os espectadores se liguem à série, principalmente pelo plano de fundo “celestial” trabalhado e a forma com que Lucifer lida com seus próprios limites e personalidade. Mazeekin nesta quinta temporada também ganhou grande destaque.

A trilha sonora da série continuou dando ótimo clima e encaminhando as cenas de forma exemplar. Elas tendem muito para rock, pop e vaporwave. Em alguns casos devidos a cenas específicas, também corre para um jazz. Podem conferir clicando aqui.

Lucifer termina de forma ainda mais impactante do que terminou a quarta temporada e começou esta. As últimas cenas trazem um folego ainda maior para a obra, deixando quem assiste ansioso para os próximos episódios. A Netflix até o momento em que isto é escrito não falou sobre a data da segunda parte da quinta temporada, mas os episódios já têm nome.

Clique aqui para saber mais resenha sobre séries e siga o Meta nas redes sociais.

Análise Crítica
Data
Título Original
Lucifer 5ª temporada
Nota do Autor
51star1star1star1star1star

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here