Sick Note (Dá Licença, Saúde) Netflix, 1ª Temporada – Resenha

0
106
Netflix Rupert Grint, left, and Nick Frost star in "Sick Note," now streaming on Netflix.

Sick Note (Dá Licença, Saúde) – Resenha da primeira temporada da série Netflix

sick-note-resenha-poster.jpg

Título Original: Sick Note
Ano: 2017
Criação: Nat Saunders/James Serafinowicz| Nº de Episódios: 06
Avaliação: ★★★☆☆ (Bom)

Lançada pelo canal britânico Sky One em 2017, Sick Note – ou Dá Licença, Saúde, tradução medonha que a série recebeu em terras tupiniquins – foi lançada este mês mundialmente pela Netflix, já com suas duas temporadas completas.

A produção traz nada mais, nada menos que Rupert Grint – o eterno Rony Weasley – como protagonista, além de alguns rostos conhecidos das comédias e filmes britânicos e também jovens atores que se destacam.

sick-note-resenha-02

Falando da primeira temporada, Sick Note conta a estória de Daniel Glass (Grint), um jovem acomodado, mentiroso e ferrado que é diagnosticado erroneamente com câncer de esôfago pelo doutor Iain Glennis (Nick Frost, da famosa Trilogia do Cornetto). A partir disso, Daniel enxerga uma forma de usar o erro do médico a seu favor para conseguir enganar a todos e se livrar de seus problemas pessoais e profissionais.

No entanto, as mentiras contadas por Daniel e Iain se tornam uma verdadeira bola de neve, tomando proporções cada vez mais catastróficas e gerando situações absurdas, das quais o expectador pode sempre esperar o pior. Logo, o nome original da série faz todo sentido: sick note é o equivalente ao atestado médico, comprovação de doença. No caso da trama, Daniel literalmente “mete o atestado” (perceba que a tradução da Netflix sugere qualquer outra coisa com o título escolhido).

sick-note-resenha-03.jpg

Sick Note conta com o clássico humor negro britânico a todo momento, embora em alguns momentos force situações muito óbvias, que eliminam o elemento surpresa, ou mesmo o excesso de repetição de trejeitos de seus personagens (como é o caso de Glennis). Nada, porém, suficiente para cortar o clima da série.

A série desenvolve muito bem seus personagens – todos incrivelmente problemáticos e cheios de controvérsia – apresentando suas facetas de modo que é possível, em um mesmo episódio, torcer para que determinado personagem consiga se livrar de um problema ou que o sujeito, literalmente, se dane e muito.

Daniel, inclusive, é o símbolo maior disso. O personagem de Rupert Grint possui nenhum heroísmo, embora tenha suas convicções de certo e errado, como qualquer pessoa. É um protagonista palpável, que conhece gradativamente as consequências de suas decisões, assim como o Dr. Glennis, que, de certo modo, age como um co-protagonista.

sick-note-resenha-04.jpg

Recheada de humor ácido, cutucadas e absurdos convenientes, Sick Note é uma típica série de comédia britânica com o que o gênero tem de melhor, embora tenha uma primeira temporada que não seja 100% empolgante. No entanto, é inegável sua ótima conclusão e o gancho para a segunda temporada, que vale muito a pena.

Confira outras resenhas de séries aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

ASSINATURA

Análise Crítica
Data
Título Original
Sick Note (1ª Temporada)
Nota do Autor
31star1star1stargraygray