Orient: primeiras impressões

Primeiras impressões de Orient, anime que adapta o novo mangá battle shounen de Shinobu Ohtaka: autor de Magi.

70

Olá pessoal. Tudo bem com vocês? A temporada de Janeiro de 2022 começou e nela lançaram vários novos animes. Entre eles, Orient chamou atenção por ser adaptação de mangá do mesmo autor de Magi. Portanto, resolvi falar nesse post sobre as minhas primeiras impressões da série.

Caso não saibam nada sobre essa animação, vejam o guia do blog para conhecê-la. Ela está sendo transmitida pelo Crunchyroll.

Primeiras impressões:

Primeiramente, como já era esperado do seu artista e roteirista, Orient é um típico battle shounen. Muitos clichês presentes desse tipo de obra como lutas, o espirito de aventura, o clima enérgico e a temática de amizade estão presentes aqui.

Contudo, isso não quer dizer que achei o anime descartável. A ideia de algumas pessoas naquele mundo se aproveitarem de uma situação catastrófica para conseguir poder é interessante. Ainda mais com os comentários da narrativa sobre discursos hipócritas e a manipulação dos civis.

Entretanto, ao mesmo tempo, a sua própria abordagem enfraquece toda essa virtude do enredo. O maniqueísmo torna os antagonistas muito caricatos e certos momentos mais bobos do que deveriam. Eu estou falando especificamente da parte final e do drama envolvendo Kojirou.

Aliás, quanto aos protagonistas, eles são a clássica dupla de personalidades opostas: nesse caso o animado arrojado e o calmo refinado. O Musashi é bem carismático e o citado acima, mesmo com os problemas que já falei, tem uma história por trás curiosa a qual pode gerar desenvolvimento e novos contornos para a trama.

A parte técnica está bem dentro do esperado. Não entrega grandes momentos de animação, mas são dirigidos com competência. Além disso, o design dos personagens, a trilha sonora e os cenários são funcionais.

Em conclusão, Orient não se mostrou primoroso em nenhum aspecto nesse início, porém conseguiu me divertir e interessar pelo seu andamento. Então, acredito que vale a pena dá uma chance de pelo menos 3 episódios.

Outros comentários:

Por que uma moto? Existe tecnologia avançada nesse mundo?
Como ninguém percebeu que a picareta dele tinha uma lâmina?
Algumas outras dúvidas que tenho sobre esse mundo: como são escolhidos os jovens que trabalham na mineração? Existem pessoas que questionam o fato deles serem enviados para um local onde provavelmente não poderão mais serem vistos? Seria interessante se respondessem.

Agora eu quero saber de vocês. O que acharam do primeiro episódio? As suas opiniões são sempre bem vindas nos comentários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here