Entrevista: Conheça a artista transformista Envy Morningstar

Envy

Entrevista: Conheça a artista transformista Envy Morningstar

Hey, geeks. Tudo bem? Hoje, é dia de conferir a nossa entrevista com Envy Morningstar, uma artista transformista sensacional que atua no estado de Goiás. Aqui, a artista irá narrar as suas experiências como drag queen, assim como seus principais projetos, estudos e muito mais! Além disso, ela fala brevemente do seu período no meio cosplay. Nossos sinceros agradecimentos à artista por ceder essa entrevista conosco do Meta Galáxia! Sem mais delongas, venha conhecer o trabalho sensacional dessa talentosa artista! Para quem quiser acompanhar o seu trabalho no Instagram: Envy Morningstar (@envy_morningstar).

Ainda não conhece bem a arte transformista, mas quer conhecer melhor? Se sim, então confira em nosso portal: Desvendando a Arte Drag: Uma Jornada pelos Significados e Expressões e A primeira drag queen, um negro e ex escravo!

Deseja conhecer mais sobre o meio cosplay? Aqui no Meta Galáxia, temos algumas matérias relacionadas ao meio cosplay. Além disso, já realizamos várias entrevistas com cosplayers, mas o que é isso exatamente? Se deseja conhecer melhor, então leia a matéria em nosso portal: Mas… Afinal, o que é cosplay?

Conheça a artista transformista Envy Morningstar

Meta Galáxia: Há quanto tempo você é artista transformista? Conte um pouco de sua história como artista transformista.

Como drag e mais especificamente como Envy, estou há cerca de 3 anos, mas sempre participei de produções teatrais, embora poucas envolvessem eu vestir de outro gênero, acho porque eu sempre trabalhei mais com o teatro realista que não gosta muito do transformismo, porque eu como um homem cis de quase dois metros, interpretar algo que não seja um homem cis é quase inviável.

Participei também algum tempo como cosplay e claro vi na dicotomia de fazer personagens que tivessem meus estereótipos, como príncipes da Disney, mas eu sinceramente me identifica mais com personagens queer e até com personagens femininas, comecei a fazer alguns personagens sem gênero e depois parti para alguns femininos, o primeiro foi quando fiz a Elphaba, a bruxa má de Oz (do musical Wicked) depois parti mais para os palcos e consegui mais visibilidade pelo Instagram, porque foi bem no tempo de pandemia.

Como foi o processo de criação de sua persona drag?

Eu vejo drag não como uma personagem, se pegarmos o conceito bruto da palavra, mas sim como uma persona, e o que isso quer dizer? Bem, quer dizer que ela não necessariamente faz parte do enredo de alguma obra de ficção ou que tenha uma personalidade muito diferente da do “ator”. Drag é meio como uma forma de se libertar e mostrar uma faceta mais artística sua.

Eu posso fazer muito tipo, e inclusive atuar de maneira diferente como drag, mas isso não quer dizer que ela seja sim, posso muito bem interpretar Julieta como drag, e seria a Envy fazendo a Julieta, que talvez fosse diferente do Pedro fazendo a Julieta. Mas a Envy foi um lado de libertação, no meu caso eu já me repreendi muito, por ser um homem gay a gente sempre houve “você pode ser gay, mas haja como homem” e ficamos com medo de fazer qualquer coisa que seja “delicada” ou dita “feminina”. Então em drag estamos dispostos a nos soltar um pouco sem medo que sejamos julgados, porque já estamos queer o bastante.

Bom, e então poderia falar, a Envy é uma mulher? Eu vejo mais como um ser metamorfo, e isso foi muito inspirado em um personagem de um anime chamado Full Metal Alchemist, em que um personagem de nome Envy (ou Inveja na versão traduzida) podia tomar a forma que quisesse, e como eu era cosplayer, vi que o que eu queria era tomar a forma deles, e como drag eu só não posso tomar a forma deles como posso fazer eles terem a minha cara, então tecnicamente a Envy tem o gênero que ela quer tomar, o que eu acho que é uma característica interessante sobre artistas queer, que gostam de quebrar os padrões “meninas vestem rosa e meninos vestem azul”, poxa eu quero usar verde!

Envy

Onde você costuma se apresentar?

Passei muito tempo só como ator nos palcos, e desde que comecei a fazer drag apresentei 3 vezes no distrito 115, mas com a pandemia tenho feito performances online através do canal Las Tretas e do meu Instagram, sim Instagram Queens são bem fortes hoje em dia, mostrar uma maquiagem bonita e falar na internet tem sido o palco e o começo pra varias queens.

Formações

Quais são suas formações? Você já fez cursos como Teatro e maquiagem?

Sou fotógrafo de profissão e conto isso aqui porque me ajudou a entrar no mundo drag porque comecei muito fazendo fotos para performances em especial a Zelda, que me convidou para gravar o curta dela e vendo a sua historia e suas montações aprendi muito e pude trabalhar com ela em projetos futuros que deram estabilidade pra Envy.

Eu fiz técnico em artes dramáticas no CEP em artes no Teatro Escola Basileu França, foi onde aprendi atuação, mas maquiagem eu devo muito as minhas outras amigas drags, que sempre tem me ensinado coisas novas e puxando a minha orelha quando precisam.

Outros projetos

Você tem canal no YouTube ou tem algum outro projeto?

Bom, estou fazendo shows e fazendo algumas paidas como youtuber no canal Las Tretas, junto com e Alann(a) e com a Zelda. Além disso, também tenho um projeto chamado Self Duet, onde canto in e out of drag (não me julguem pois ainda estou evoluindo na área da musica).

Austra Caroline
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here