The Batman – Resenha

Um novo Batman, de um novo tempo, mas para todas as gerações. Confira nossa resenha de The Batman e entenda por que este filme é imperdível!

Confira nossa resenha de The Batman (2022), dirigido por Matt Reeves e estrelado por Robert Pattinson

Mexer com o Morcegão mais querido no universo pop é sempre como cutucar um vespeiro; a chance de um enxame te atacar, em caso de represália, é bastante alta. Mas Matt Reeves, felizmente, foi corajoso para botar as mãos na casa do morcego e nos presentear com sua incrível e já memorável versão. Vamos à resenha de The Batman.

Reeves, diretor de Deixe-Me Entrar e do último Planeta dos Macacos, foi apontado como realizador da obra ainda em 2017, quando Ben Affleck já era indicado como alguém fora dos planos da Warner para o futuro do Homem-Morcego. Ainda sem os nomes no elenco, o diretor já recebia sobre seus ombros a missão de tocar o futuro do personagem mais importante da DC no universo cinematográfico, com a não-distante trilogia de Christopher Nolan ainda a fazer sombra.


Porém, como se verá nesta resenha de The Batman, Matt Reeves conseguiu fazer uma abordagem original e cativante de Batman e seu universo, mesclando elementos dos quadrinhos, games, suas próprias referências e claro, um excelente elenco. Não à toa, o filme já ultrapassou U$ 248 milhões em faturamento.

SINOPSE DE THE BATMAN

resenha de the batman. robert pattinson vive bruce wayne

Atuando há apenas dois anos nas ruas de Gotham City, Batman passou a causar medo nos criminosos, mas também levou Bruce Wayne (Robert Pattinson) para as profundezas, tornando o jovem herdeiro a pessoa mais reclusa da cidade. Com apenas alguns aliados como o mordomo Alfred Pennyworth (Andy Serkis) e o tenente James Gordon (Jeffrey Wright) entre a rede corrupta de funcionários e figuras de destaque da cidade, o vigilante solitário se estabeleceu como a personificação da vingança entre os cidadãos.

Quando um assassino tem como alvo os homens públicos mais importantes de Gotham, uma trilha de pistas enigmáticas leva o Morcegão a conhecer Selina Kyle (Zöe Kravitz) e, também, a investigar a trama que envolve a nata do submundo, onde estão presentes o Pinguim (Collin Farrell), Carmine Falcone (John Turturro) e um enigmático Charada (Paul Dano).

O DETETIVE BATMAN

O Homem-Morcego ficou conhecido nas últimas décadas por uma personalidade mais sombria, igualmente refletida em seu universo. Nos quadrinhos, o Batman detetive originalmente aventuresco, que vivia algumas histórias às vezes com caráter quase cartunesco, teve uma faceta mais obscura trazida à tona a partir dos anos 80 e início dos anos 90 com títulos como Cavaleiro das Trevas, A Piada Mortal e A Queda do Morcego. Essas histórias mostravam um lado mais perverso de Gotham, seus vilões e até mesmo do próprio Batman, um sujeito perturbado por suas circunstâncias. O público passou a abraçar este novo herói, que inclusive teve seu uniforme enegrecido.

No cinema, essa transição também ocorreu. Os primeiros quatro filmes de Batman – do clássico de 1989 ao Batman & Robin de 1997 – tentavam – com suas respectivas diferença, vale ressaltar – equilibrar a figura do detetive de Gotham com o vigilante justiceiro, mesclando uma linguagem ainda mais próxima aos quadrinhos clássicos, às animações, e que se refletia em películas mais coloridas e menos violentas. A trilogia de Nolan que se iniciou nos anos 2000, entretanto, abraçou de vez o Batman sombrio, recluso e violento que já se consolidava em algumas histórias das HQs.

Esta passou a ser a imagem mais percebida do herói, a que, junto do advento das redes sociais, se fixou com o grande público. Com a figura do Batman de Nolan interpretado magistralmente por Christian Bale fresca à mente, aliado ao histórico mais recente das HQs, a tentativa de um Batman mais otimista e dado ao humor, interpretado por Ben Affleck no universo de Zack Snyder, foi recebida com ceticismo e certa dose de rejeição.

Dado esse contexto, The Batman pareceu ter levado todo o histórico do Morcegão para construir um filme – e potencial universo – onde conseguisse resgatar traços da essência do personagem e sua origem sem deixar de lado a marca sombria que tanto agrada o grande público. Neste longa, o Homem-Morcego é essencialmente um detetive e atua de fato como um companheiro não oficial do Comissário Gordon.

resenha de the batman. comissário gordon vivido por Jeffrey Wright

O plot principal e diversos momentos do filme, inclusive, tem inspiração enorme na HQ Batman Ano Um, que conta o início da jornada de Batman como vigilante, sua parceria com Gordon e a conflituosa relação com a polícia e as autoridades de Gotham. Outras HQs como O Longo Dia das Bruxas, Batman: Ego e outras histórias e Vitória Sombria também influenciaram fortemente o novo longa.

Além de beber nestes quadrinhos, Reeves consegue mostrar que o filme também traz influências mais recentes de outras obras multimídia do personagem, como a série de jogos Batman: Arkham. As coreografias de luta lembram muito a forma de combate que o personagem possui nos games, e o início do filme tem uma sequência que nos faz pensar estarmos de fato jogando os fabulosos jogos da série.

Assim, The Batman se mostra rico em referências e elementos para criar um novo épico do Morcegão capaz de agradar seus mais diversos fãs, mas todos esses conceitos ainda conseguem se mostrar mais primorosos quando a parte técnica entra em cena. E, além da edição e fotografia, é preciso destacar: a bela trilha sonora e, sem dúvidas, o elenco.

ELENCO DE THE BATMAN

Ao ser anunciado como o novo Bruce Wayne em 2019, o ator Robert Pattinson causou um reboliço nas redes com a imediata rejeição de fãs mais conservadores que, especialmente, ainda o atrelavam a imagem “juvenil” do personagem Edward Cullen, de Crepúsculo, embora Pattinson já tivesse um vasto currículo de excelente atuações até ali.

E o ator, aqui, faz mais uma vez seu nome, entregando um Batman marcante: um vigilante forte e imponente, mas ainda relativamente inexperiente, que apresenta suas fragilidades e inseguranças; mais palpável, como o humano que é. Um Homem-Morcego que ainda busca exatamente seu ideal, mas que não desiste por acreditar, no mínimo, que Gotham não está totalmente perdida.

O reboliço se estendeu também ao casting de Zöe Kravitz como a Mulher-Gato, mas a atriz também provou seu lugar, dando vida a uma Selina Kyle cativante e dotada de personalidade, características que sempre fizeram da personagem um destaque no universo da DC Comics. De certo modo, Selina surge como co-protagonista da trama.

A escolha dos dois atores para a famosa e querida dupla Bat-Cat se mostrou um acerto gigantesco e que certamente calará muitos haters. Pattinson e Kravitz possuem química; a Selina de Zöe é tão sedutora e cabeça-quente quanto vingativa e violenta, e igualmente violento e vingativo, embora frio, é o Batman de Robert. Ambos personagens, entretanto, admitem diante um do outro suas vulnerabilidades e somente juntos são capazes de enxergá-las e superá-las.

resenha de the batman, zoe kravitz vive selina e pattinson, o batman

Jeffrey Wright também mostra por que vem se consolidando como um dos atores mais proeminentes de Hollywood e apresenta uma excelente versão de Jim Gordon. Collin Farrell também está incrível (e irreconhecível) como Pinguim, e igualmente ótimos vilões são propostos por Falcone (Turturro) e o psicótico Charada de Paul Dano.

Em um filme onde o grande vilão de fato não está presente somente na figura de um personagem, mas sim em toda uma cidade maculada, o belo elenco escolhido para The Batman consegue dar a vida necessária para que cada figura de Gotham dê a ela a atmosfera que precisa.

A TRILHA SONORA

Elemento fundamental em todo grande filme, a trilha sonora de The Batman é a alma por trás do espetáculo. Uma curadoria que traz faixas tão densas quanto o filme, foi produzida pelo experiente Michael Giacchino (Rogue One, Lost, Star Trek) e divulgada pelo próprio Matt Reeves em seu Twitter oficial:

Uma música, em especial, se destaca na trilha. Something In The Way, do Nirvana, presente no trailer do longa, é a que reflete com clareza o espírito que o filme transmite e foi uma escolha pessoal do diretor, fã da banda. O clima mórbido da canção dá a toada perfeita para que nos sintamos em Gotham sob a perspectiva do recluso Bruce Wayne.

Ouça a trilha sonora completa aqui.

QUANDO THE BATMAN SAI NO HBO Max?

Se você não puder ir aos cinemas conferir The Batman, não se preocupe: o longa já tem data para chegar às plataformas de streaming. Sua estreia no HBO Max está prevista para o dia 17 de abril, ou seja, já no próximo mês.

VEREDITO DA RESENHA DE THE BATMAN

resenha de the batman. batman olha paa o horizonte de gotham

Não é exagero concluir nossa resenha de The Batman afirmando que o filme já faz parte das obras que entraram para o catálogo de versões definitivas do personagem e seu universo. Do mesmo modo que a trilogia Nolan trouxe vida nova ao personagem nas telonas, o filme de Matt Reeves reemplaca o Morcegão não somente para uma nova geração e uma nova década, mas tem a capacidade de conquistar todos os fãs do encapuzado mais famoso da DC Comics.

The Batman é uma prova que DC e Warner não precisam necessariamente de um universo integrado para obter sucesso com super heróis na atualidade. Com bases sólidas de referência, respeitando as raízes dos personagens, mas ousadia para criar, inovar e provocar, é possível agradar o grande público e entregar uma obra marcante e original. E The Batman, felizmente, é tudo isso.

Confira outras resenhas de filmes aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
The Batman
Escritor, publicitário, louco por esportes e entretenimento. Autor de A Última Estação (junto com Rodolfo Bezerra) e CEP e um dos fundadores do Meta Galáxia.
Um novo Batman, de um novo tempo, mas para todas as gerações. the-batman-resenha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here