Preview do Jogo PACER

Uma olhadinha rápida no

69
publicidade contendo naves e o logotipo PACER

Desenvolvido pela R8 Games, PACER é um jogo de corrida com um estilo altamente futurístico e um feeling arcade que quase causa deja vu quando jogado pela primeira vez. O jogo chega com muita atitude para tentar preencher um vazio no gênero de corridas com um grande legado graças à franquia Wipeout.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

PACER tem toda energia e a ambientação que um jogo de corrida de naves deve passar, devido aos visuais e ambientação excelentes. Existe um foco grande no combate e traçado da pista, uma vez que a aceleração está por padrão no botão A. Isso transporta deixa a mensagem clara de que não se deve esperar curvas e traçados técnicos. O jogador tem constantemente de escolher entre coletar munição para uma de suas armas ou um boost de velocidade na pista. Portanto existe um leque de possíveis estilos de jogo e diferentes estratégias a serem adotadas. Existem também diversas opções de customização das naves, com diferentes modelos, partes, armas e pinturas.

Entretanto, alguns aspectos podem melhorar. A desaceleração entre o estado de boost e a velocidade final é muito acentuada, causando a sensação de que a nave está arrastando algo. Isso pode entrar em conflito direto com a mecânica de combate, uma vez que em múltiplas ocasiões só se pode escolher entre munição para uma de suas armas ou um boost de velocidade. Apesar de não sentir a necessidade de frear próximo às curvas, também existe uma sensação de que a velocidade da nave é drenada quando perto delas. O combate é um tanto quanto confuso, as naves têm escudos, mas nenhuma indicação clara de que ele está ativo. Também não existe uma clara indicação de que você causou dano a um inimigo, o que faz com que durante a corrida toda você esteja atirando cegamente contra as naves próximas sem nenhuma certeza de que está sendo efetivo.

pista de corridas ilustrando os gráficos e design do jogo

GRÁFICOS E ÁUDIO

O jogo conta com um visual extremamente satisfatório, desde a agressividade das naves até o design do interior e exterior das pistas. Diversos cenários futurísticos bem feitos compõem o fundo das corridas, dando a cada lugar uma personalidade única e fazendo com que cada pista seja memorável. Os gráficos são bons o suficiente, nada revolucionário, eles oferecem tudo que o jogo precisa. No entanto, um detalhe que eu acho curioso é a ausência de sombras embaixo das naves, isso é mais perceptível na largada onde todas estão paradas umas próximo as outras.

O ponto alto da build atual do jogo é, sem sombra de dúvidas a música. As narrações espalhadas pela corrida que anunciam a falta de escudo ou a contagem para a largada são dispensáveis, mas a música é MUITO boa. Com faixas de música eletrônica de diversos sub gêneros historicamente associados ao gênero de corridas sci-fi, a trilha sonora se destaca. Não existe um momento onde a trilha sonora durante uma corrida não está elevando o clima. É fácil imaginar que todas as faixas sejam apenas instrumentais, mas logo na segunda corrida já tive contato com vocais que não saem do padrão de qualidade de todas as outras faixas.

CONCLUSÕES

PACER tem definitivamente o potencial de se tornar um sucessor espiritual para a série Wipeout. Como a build ainda não é a final, fica difícil e até mesmo errado tirar uma conclusão sobre o produto. Contudo pode-se ter uma visão geral sobre a direção onde esse projeto está indo, e na minha visão, existe um potencial bem grande. O jogo lança oficialmente dia 17 de setembro de 2020 na Steam, PS4 e XBOX ONE. A equipe Meta Galáxia recebeu uma chave de acesso antecipado para poder produzir essa análise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here