Parece Que Piorou – Crônicas do Cansaço Existencial – Resenha

Um verdadeiro inventário das aflições e reflexões das mulheres (e homens) adultos da nossa geração

204

Parece Que Piorou – Resenha da HQ de Bruna Maia, lançada pela Companhia das Letras

Ano Publicação Original: 2020
Título Original: Parece Que Piorou – Crônicas do Cansaço Existencial
Roteiro e Arte: Bruna Maia (@estarmorta)
Editora: Companhia Das Letras

Poucas obras personificam tão bem os dilemas do adulto contemporâneo – em especial da mulher adulta – como a recém-lançada Parece Que Piorou – Crônicas do Cansaço Existencial, de Bruna Maia, mais conhecida nas redes sociais pelo seu instagram @estarmorta, que deu origem a este livro lançado pela Companhia das Letras pelo selo Quadrinhos na Cia.

A jornalista gaúcha, radicada em São Paulo desde 2010, iniciou seus desenhos após uma crise de depressão. Seus rabiscos iniciais deram origem ao que no futuro seria a persona @estarmorta nas redes sociais, que viralizou com diversas ilustrações sobre temas como ansiedade e outros transtornos mentais, síndrome do impostor, feminismo e dramas geracionais.

Twitter @estarmorta

Parece que Piorou reúne parte do material já veiculado no Instagram e traz uma série de histórias inéditas, divididas em seis diferentes capítulos: Mente, Corpo, Trabalho, Relacionamento, Amizade e Espiritualidade. Em um formato diferente, a HQ traz páginas únicas ou duplas com ilustrações completas, que se conversam diretamente ou se dividem em pequenos subcapítulos.

Bruna possui um texto ácido e provocador, que anda em perfeita harmonia com seus traços corridos e sem censura. Sempre acompanhada de seus gatos, a autora se retrata em diversas passagens dos seis capítulos, mas também traz personagens genéricos do cotidiano que, certamente, refletem alguém que conhecemos no dia a dia (e que possivelmente julgamos muito).

Twitter @estarmorta

O tom debochado sobre algumas situações e figuras como os “esquerdomachos”, hipsters, a superespiritualidade, cultura patriarcal e a gentrificação de bairros que se tornaram gourmetizados em uma glamourização fútil são retratos mais do que perfeitos da nossa década, do nosso momento. Se você vive em São Paulo, especialmente, vai rir muito e certamente identificar uma série de figuras e chavões com as quais o paulistano se depara todo dia – seja nas redes sociais ou na vida real.

Parece Que Piorou possui esse lado forte do cômico e crítico à sociedade supérflua e ao machismo, mas também pega firme em reflexões sobre ansiedade, insegurança, sexo, feminilidade, relacionamentos e sucesso profissional, mostrando o quanto somos vulneráveis e suscetíveis a irmos do céu ao inferno em um mesmo dia – que desafio maior possui o adulto senão sentir-se realizado e vencer seus próprios demônios?

E falando em demônios, um dos grandes pontos de destaque da obra é a presença do Paniquinho – uma figura fantasmagórica e mesmo sádica que perturba a protagonista (e a nós, ao passo que nos identificamos com ela) durante toda a HQ. Um personagem cômico, mas que incorpora aquela voz da dúvida, da incerteza, do pânico que não nos deixa em paz mesmo nos momentos de mais relativa felicidade.

Jornal O Globo

Parece Que Piorou é uma daquelas obras que conseguem ser incrivelmente leves na leitura e impressionantemente precisas e diretas na sua mensagem – a qual captamos de cara uma vez que, conhecendo muitos dos dilemas presentes, nos encontramos facilmente como parte dos relatos da autora.

A HQ pode ser adquirida no site da Companhia das Letras. Você também pode acompanhar mais de Bruna Maia no instagram @estarmorta e conhecer outras HQs da Companhia pela página do selo Quadrinhos na Cia.

Confira outras resenhas de HQs aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here