She-Hulk: diferenças da origem na série e quadrinhos

She-Hulk é uma personagem que teve um mandato único e amado nas páginas da Marvel Comics, que começou com sua história de origem muito específica.

Mark Ruffalo como Hulk e Tatiana Maslany como Mulher Hulk em Mulher-Hulk: Defensora de Heróis (Imagem: Marvel)
Mark Ruffalo como Hulk e Tatiana Maslany como Mulher Hulk em Mulher-Hulk: Defensora de Heróis (Imagem: Marvel)

She-Hulk: diferenças da origem na série e quadrinhos

Venha conferir as diferenças da origem da She-Hulk na série e quadrinhos, mas cuidado! Terá spoilers!

O primeiro episódio de She-Hulk: Attorney at Law finalmente chegou, trazendo oficialmente Jennifer Walters / She-Hulk (Tatiana Maslany) para o Universo Cinematográfico Marvel. She-Hulk é uma personagem que teve um mandato único e amado nas páginas da Marvel Comics, que começou com sua história de origem muito específica em Savage She-Hulk # 1 de 1980. Ao trazer o mundo de Jennifer em ação ao vivo, a série decidiu tomar algumas liberdades com a forma como ela inicialmente obtém seus poderes! E aqui está o que você precisa saber sobre essa mudança.

A origem da She-Hulk!

Em um flashback no início do episódio, o público conhece dinâmica de Jen com seu primo, Bruce Banner / Hulk, enquanto eles estão dirigindo um carro juntos. Enquanto os dois discutem sobre Steve Rogers / Capitão América (Chris Evans), eles são surpreendidos pela chegada de uma nave espacial na estrada. Essa surpresa faz o carro de Jen cair em uma vala. Jen consegue sair dos destroços, mas está claramente ferida e sangrando, algo que fica complicado quando ela resgata Bruce de seu lado do carro. O sangue de Bruce de sua ferida se mistura com a ferida aberta de Jen, acidentalmente expondo-a ao seu sangue irradiado com raios gama. É exatamente essa exposição que a transforma na Mulher-Hulk.

Isso é bem diferente de Savage She-Hulk #1, que mostra Bruce visitando Jen na esperança de contar a ela sobre seus superpoderes. Infelizmente, seu encontro se interrompe por um grupo de mafiosos trabalhando para Nicholas Trask, que esperava atacar Jen em um plano de vingança. Jen leva um tiro no fogo cruzado, e Bruce acaba sendo o único que pode lhe dar uma transfusão de sangue – mesmo que ele reconheça que isso poderia expô-la à radiação gama. Jen então acorda, se transforma na Mulher-Hulk e decide ir atrás de Trask e seus homens.

Embora a opinião de She-Hulk: Attorney at Law sobre a origem de Jen seja decididamente diferente, é uma que adiciona um componente interessante à jornada de seu herói. Por um lado, fazer Jen obter poderes totalmente acidentais acaba fortalecendo o vínculo entre ela e Bruce, em vez de ele ter controle direto sobre a transfusão de sangue. Além disso, também levanta simultaneamente a questão de quem – ou o que – está na nave espacial que tirou o carro de Jen da estrada.

A série She-Hulk: Attorney at Law estreou exclusivamente no Disney+. Você pode conhecer o Elenco de Mulher-Hulk: Defensora de Heróis! Também temos em nosso portal: Resenha de Mulher-Hulk: Marvel-Verse!

Se você é um grande fã de quadrinhos, portanto você também poderá gostar de conferir nossas resenhas: Resenha de Sin City: O Assassino Amarelo, de Frank MillerResenha de Rain, HQ por Joe Hill, David M. Booher e Zoe Thorogood! Você também pode conferir: Resenha crítica de Érica, a Magnífica, HQ da franquia Stranger Things e Resenha da HQ Vote Loki, por Christopher Hastings, Stan Lee e Larry Lieber. E não podemos nos esquecer de Solo Leveling, a nova sensação sul-coreana!! Se você procura por mangás legais, pode conferir: Resenha de Vênus Invisível: Coleção de Histórias Curtas, com o Melhor de Junji ItoResenha de GoGo Monster, mangá de Taiyo Matsumoto e Resenha de Hitler, mangá de Shigeru Mizuki publicado pela Editora Devir!!  Além disso, você também pode ler a nossa matéria: Critérios – Como fazemos Críticas e Análises.

Austra Caroline
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here