Animes e o Dia Nacional do Rap – Parte 1

Aproveitando o Dia Nacional do Rap, falaremos um pouco sobre as questões que envolvem a cultura nerd e o universo do rap.

Há certa polêmica em torno dos raps de anime muito forte atualmente. Falaremos um pouco sobre isso na próxima matéria do Dia Nacional do Rap. Porém, essa polêmica vem mudando muito quando conhecemos mais sobre as músicas dos rappers niLL e Yung Buda.


Podemos ouvir em diversos outros raps nacionais sobre a citação ou referência a algum personagem ou situação do universo geek e/ou dos animes, como por exemplo nos próprios Racionais:

“How, how, Brown

Acorda, sangue bom

Aqui é Capão Redondo, tru

Não é Pokemón

Zona sul é o invés, é stress concentrado

Um coração ferido, por metro quadrado”

(Racionais MC’s – Vida Loka)

Ou então em algumas referências do Emicida, que além de já ter trabalhado com quadrinhos, também faz referências em suas músicas e participações publicitárias

Mas as principais referências hoje no cenário do rap, que utilizam de várias referências, principalmente de anime, e se tornaram grandes no cenário são os rappers citados no início. niLL e Yung Buda citam diversos personagens em suas letras, referenciam eles e até mesmo sampleam sons de alguns animes em seus beats. Todas essas coisas logicamente misturadas às suas vivências de pessoas negras e periféricas, o que acaba os tornando mais referência ainda para o público desta mesma situação e fãs da cultura geek.

niLL – Loopers (VideoClipe Oficial) Part. De leve e Ogi
Yung Buda – Akatsuki de Vila

Yung Buda conta com 222,3 mil ouvintes mensais no Spotify atualmente e niLL com 192,3 mil. Os dois com boa parte de suas vivências em Jundiaí também fazem parte do selo Sound Food Gang, que conta com a participação de outros rappers que também seguem em um estilo semelhante.

SoundFoodGang – Camisa de Anime

O trabalho executado aqui por niLL e Yung Buda mostram o quanto pode ser quebrado esse preconceito que existe ainda com o estereótipo do nerd e o consumo de rap. Um dos principais exemplos disso tudo foi a recente 2ª edição da PerifaCon (que escrevemos sobre), que mostrou que muitas pessoas periféricas consomem, e muito, a cultura geek e de anime. Inclusive, o niLL estava lá presente no Palco do evento falando sobre animes e suas experiências musicais.

Papo sobre música e anime com Load e niLL na PerifaCon / Foto: Kelvin Alves

Não perca a próxima matéria onde falaremos sobre os rappers e os raps de anime.

Siga o Meta no Twitter e Instagram e veja aqui mais resenhas sobre animes.

1 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here