Resenha de Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre

Black Science Volume 1

Resenha de Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre

Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre mergulha os leitores em uma aventura interdimensional vertiginosa, onde a fronteira entre a ciência e a magia se desfaz. Criado pelo renomado roteirista Rick Remender, este volume inaugura uma narrativa arrebatadora que desafia as noções convencionais de realidade. Ao explorar os limites da física e da moralidade, a história apresenta um grupo de cientistas destemidos que se aventuram por portais interdimensionais, desencadeando uma série de eventos imprevisíveis que testam não apenas suas habilidades científicas, mas também seus próprios limites emocionais. Em meio a mundos desconhecidos e ameaças surreais, Black Science tece uma trama que envolve o leitor em uma jornada de descobertas e dilemas éticos. Entretanto, será que é tão bom assim quanto comentam? Descubra aqui sobre o que se trata!

Black Science Volume 1

Ficha técnica

Obra por Rick Remender e Matteo Scalera
Editora Devir
Data da publicação no Brasil: 29 de março de 2019
Parte da série Black Science
Idade de leitura: 12 anos e acima

Disponível à venda via Amazon (clique aqui para garantir o seu exemplar)

Sinopse:

Grant McKay, líder da Liga Anarquista de Cientistas, finalmente realizou o impossível: ele decifrou a Ciência Sombria e abriu caminho através das barreiras da realidade com a sua criação, o Pilar. Mas algo deu errado, e agora Grant e a sua equipe estão perdidos, perambulando pela vastidão sem limites do Sempreverso, fantasmas vivos naufragados em um oceano infinito de mundos alienígenas. O único caminho é adiante. A única pergunta é: quão longe eles estão dispostos a ir para voltar para casa? Junte-se ao escritor Rick Remender (Fabulosa X-Force, Vingadores Secretos) e aos fantásticos artistas Matteo Scalera (Vingadores Secretos, O Indestrutível Hulk) e Dean White (Fabulosa X-Force, Kick-Ass) em uma alucinante aventura de ficção científica sem limites para a imaginação, repleta de horrores incompreensíveis e descobertas sem fim.

Enredo de Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre

A obra já começa nos apresentando Grant McKay, líder da Liga Anarquista de Cientistas, mas num momento de reflexão e tristeza. Como já pudemos ver pela sinopse, ele decifrou a Ciência Sombria e abriu caminho com a sua criação, o Pilar. Entretanto, tudo dá errado! Com essa Ciência Sombria, abriu-se um portal para outro mundo – e claro, nem sempre outros mundos são pacíficos. Grant McKay, seu filho e sua equipe começam num planeta em que era dominado por sapos gigantes. Um dos motivos de sua tristeza? Sua esposa morreu enquanto ia a este mundo.

Não vi falar o nome daquele mundo em planeta algum, só vemos o desespero da equipe em ir embora dali o mais rápido que lhes é possível. Os sapos gigantes, que vivem como uma sociedade autocrática (e repleta de indivíduos malucos), não hesitavam em destruir invasores. Inclusive, Grant também conhecem os homens-peixes, que sempre tinham guerras contra os sapos.

Após saírem desse mundo, a equipe vai para um mundo que parece um desertão. Eles estão com a nave deles, entretanto a única forma de voltarem para casa de uma vez por todas estava defeituosa. Alguém parece ter sabotado os controles. Ainda por cima, fica uma briga bem agressiva entre os membros da equipe. Rebecca, a engenheira projetista, e Grant desejando concertar tudo para irem embora, inclusive vemos também o filho do Grant querendo voltar para casa logo, embora em luto pela sua mãe. Contudo, Chandra lembrando que “este projeto é do Kadir” e que ninguém poderia tomar grandes decisões. E são muitas outras informações apenas no início da obra.

Grant, o seu filho e a sua equipe estão perdidos, em uma aventura que lembra uma versão mais perigosa de Perdidos no Espaço. Quão longe eles estão dispostos a ir para voltar para casa? Uma pessoa já foi morta nesse processo. Outros foram feridos. Intrigas e desconfianças constantes.

Realmente compensa ler?

Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre, embora tenha uma narrativa sólida e arte impressionante, infelizmente, deixa a desejar em termos de envolvimento emocional e dinamismo. A trama, embora repleta de conceitos intrigantes, parece carecer do ritmo necessário para manter o interesse constante do leitor. As situações complexas e as mudanças constantes de cenários, apesar de visualmente cativantes, podem tornar a leitura monótona, resultando em uma experiência que, embora tecnicamente competente, deixa a desejar no quesito empolgante e memorável.

Se você é um grande fã de quadrinhos, portanto você também gostará de conferir nossas resenhas: Resenha de Sin City: O Assassino Amarelo, de Frank MillerResenha de Vênus Invisível: Coleção de Histórias Curtas, com o Melhor de Junji Ito e Resenha de Hitler, mangá de Shigeru Mizuki publicado pela Editora Devir!! Você também pode conferir: Resenha crítica de Érica, a Magnífica, HQ da franquia Stranger Things e Resenha da HQ Vote Loki, por Christopher Hastings, Stan Lee e Larry Lieber. Além disso, você também pode ler a nossa matéria: Critérios – Como fazemos Críticas e Análises.

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
Black Science Volume 1: Como Cair para Sempre
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕
resenha-de-black-science-volume-1-como-cair-para-sempreBlack Science Volume 1: Como Cair para Sempre, embora tenha uma narrativa sólida e arte impressionante, infelizmente, deixa a desejar em termos de envolvimento emocional e dinamismo. A trama, embora repleta de conceitos intrigantes, parece carecer do ritmo necessário para manter o interesse constante do leitor. As situações complexas e as mudanças constantes de cenários, apesar de visualmente cativantes, podem tornar a leitura monótona, resultando em uma experiência que, embora tecnicamente competente, deixa a desejar no quesito empolgante e memorável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here