Quem são os Númenorianos do universo de Anéis de Poder?

Númenorianos de O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder
Númenorianos de O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder (Imagem: Prime Video)

Quem são os Númenorianos do universo de Anéis de Poder?

Afinal, quem são os Númenorianos do universo de O Senhor dos Anéis: Anéis do Poder, da Prime Video e baseada nas obras de JRR Tolkien? Os Númenorianos, ou Dúnedain, eram descendentes dos Edain, a raça mais nobre dos Homens na Primeira Era. Este povo recebeu a ilha de Númenor no início da Segunda Era pelos Valar. Conheça abaixo mais sobre a história e origens dos Númenorianos do universo de O Senhor dos Anéis: Anéis do Poder!

Origens dos Númenorianos

Como recompensa por seus serviços durante a Guerra da Ira, os Valar deram aos Edain sobreviventes uma ilha-continente no mar ocidental, que se tornou Númenor, como seu local de permanência. Eles também foram dotados de uma vida muito mais longa (média de 300 anos ou mais), maior estatura e maior sabedoria.

Númenor, que havia sido erguido por Ulmo, tinha a forma de uma estrela sobre o oceano e estava entre Aman e a Terra-média. Esses Edain chegaram à ilha no ano 32 SA. Elros, o irmão de Elrond, foi seu primeiro rei.

Características físicas dos Númenorianos em O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder

A maior parte de Númenor foi colonizada por Edain da Casa de Hador, que eram de cabelos dourados e altos, com pele clara e olhos azuis, enquanto as regiões do noroeste da ilha foram colonizadas principalmente pelo povo da Casa de Bëor, que eram geralmente de cabelos escuros com olhos cinza ou castanhos. Poucosdo povo cada vez menor da Casa de Haleth sobreviveram à ruína de Beleriand! Contudo, há evidências de que um pequeno remanescente atravessou o mar para Númenor e trouxe consigo os últimos refugiados Drúedain que moraram nas Fozes de Sirion. No entanto, estes começaram a deixar a ilha durante o tempo de Tar-Aldarion, prevendo o mal que viria. Com a Queda de Númenor, os Drúedain deixaram a ilha há muito tempo.

Os númenorianos também eram em média muito altos. O próprio Elendil com o apelido de Elendil, o Alto, por ter quase dois metros e meio de altura. Uma característica que os diferenciava dos homens típicos era a longevidade. Os númenorianos não eram imortais como os Elfos ou Ainur, no entanto, em gratidão por seu serviço durante a Guerra da Ira, eles foram abençoados com uma expectativa de vida estendida três vezes maior que a de outros homens. Os descendentes da Casa de Elros podem viver por cerca de 400-500 anos. Eles também envelheceram mais lentamente do que os outros Homens. Quando sentiram que seu período de vigor terminou, foram capazes de se deitar e entregar suas vidas pacificamente.

A história dos Númenorianos

Míriel sobre os penhascos de Meneltarma pouco antes de sua morte, conforme descrito por Ted Nasmith
Míriel sobre os penhascos de Meneltarma pouco antes de sua morte, conforme descrito por Ted Nasmith

Desde o início, houve amizade entre os Dúnedain do Oeste e os Eldar de Tol Eressëa. Os navios de cisne branco dos Eldar trouxeram muitos presentes para os Númenorianos, como por exemplo pássaros, árvores e ervas. Com o passar do tempo, os Reis de Númenor começaram a invejar os Eldar por sua imortalidade, e o medo da morte infectou a ilha. Inveja e medo excessivo sempre dando problema? Que nada! Mais tarde, os reis caíram mortos, decrépitos e tolos, enquanto se agarravam irremediavelmente às suas vidas. Assim se desvaneceu a bem-aventurança dos númenorianos, se não seu poder. Eles navegaram a terra para o leste em seus navios de madeira, e até mesmo vislumbraram de suas proas de navios altos os Portões da Manhã, no continente oriental. Eles fundaram muitas colônias na Terra-média, norte e sul.

Com a criação gradativa de um império colonial, o orgulho dos reis cresceu. Os antigos costumes foram em sua maioria abandonados; aqueles que foram mantidos foram mantidos por medo dos Valar. A maioria dos Númenorianos, os Homens do Rei, distanciou-se dos Eldar e, no final, perseguiram qualquer um que estivesse em comunhão com eles. Estes eram os Fiéis, uma pequena minoria que ainda mantinha os velhos modos de reverência aos Valar e amizade com os Eldar.

O vigésimo quinto e último rei, Ar-Pharazôn, ficou furioso com o ressurgimento de Sauron em Mordor. O rei enviou um vasto exército, tão grande e imponente que Sauron se viu abandonado por seus próprios exércitos, sem uma única grande batalha travada. Mas o que Sauron não pudesse esmagar com seus exércitos, ele manipularia com mente astuta e língua de mel. Ele se prostrou diante de Pharazôn e foi feito prisioneiro. Em menos de três anos, o Lorde das Trevas passou de prisioneiro para o maior conselheiro do Rei. Quase todos do Conselho do Cetro chegaram a quase adorar Sauron como um deus. A exceção vem de Lorde Amandil de Andúnië, o único que foi contrário a isso.

Após muitos anos, o rei sentiu a sombra da morte próxima. Sauron, sempre o oportunista, aproveitou sua chance. Ele se mostra como “O Doador de Liberdade e Vida”, Melkor. O rei, desesperado para escapar da morte, voltou-se para a adoração das Trevas. Por insistência de Sauron, construíram um grande templo e cortaram a árvore branca Nimloth, embora não antes de Isildur, neto de Amandil, escapar com um fruto da árvore.

Sauron também exortou Pharazôn a tomar o que o rei desejava há tanto tempo, a imortalidade de Aman. Em nove anos, uma vasta frota estava pronta, e Farazôn, quase vacilante, embarcou em sua nau Alcarondas e partiu. 39 dias depois, acho que não é exagero falar que Númenor encontrou o apocalipse. O rei havia desembarcado em Aman, e os Valar cederam a guarda de Arda para Eru. Eru arrancou Aman do mundo e formou o disco plano de Arda em um globo.

Númenor foi inundada por uma grande onda, e suas altivas torres e muralhas desmoronaram. Míriel, a legítima rainha de Númenor, tentou subir o pico de Meneltarma para escapar da subida das águas, mas pereceu. Sauron, no entanto, foi pego de surpresa, e sua forma física foi destruída. Ainda assim, Sauron deu um jeito de escapar e nem todos os númenorianos foram mortos. Nove navios, liderados por Elendil, filho de Amandil, escaparam para as regiões do norte da Terra-média, e ali fundaram os reinos de Gondor e Arnor. Eles não foram os únicos Dúnedain a escapar, no entanto, a raça dos Númenorianos Negros sobreviveu em Umbar e Harad ainda, assim como o resto das colônias Númenorianas.

Para conhecer mais as suas histórias, você pode comprar Contos Inacabados De Númenor E Da Terra-média + Pôster pela Amazon.

Gosta de compreender melhor a árvore genealógica dos povos criados por J RR Tolkien? Se sim, então confira em nosso portal: A Árvore Genealógica dos Elfos em Os Anéis de Poder e A Árvore Genealógica dos Anões de Durin em Os Anéis de Poder. Veja também: Tudo sobre Galadriel em Os Anéis de Poder e Quem é Finrod, irmão de Galadriel, de Os Anéis de Poder?

Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here