Resenha do 1º episódio de Metallic Rouge – Carmesim é o som do amanhecer

Metallic Rouge

Resenha do 1º episódio de Metallic Rouge – Carmesim é o som do amanhecer

Num cenário onde humanos e seres artificiais compartilham o mesmo espaço, embarcamos em uma emocionante jornada ao lado de Rouge Redstar, uma garota andróide, e sua leal amiga Naomi Orthmann, enquanto desbravam Marte em uma missão crucial. O objetivo delas é neutralizar a ameaça representada pelos Nove Imortais, um grupo de andróides rebeldes que se opõem agressivamente ao governo estabelecido. Esta é a proposta de Metallic Rouge. Esta é a proposta que chamou a atenção de muitos fãs de animes – e estou inclusa nisso. Por isso, hoje decidi trazer a resenha do 1º episódio de Metallic Rouge – Carmesim é o som do amanhecer. Será que realmente compensa assistir? Venha conferir!

Metallic Rouge

Ficha técnica

Data de estreia: 10 de janeiro de 2024
Estúdio BONES
Direção: Motonobu Hori
Composição da série: Toshizo Nemoto, Yutaka Izubuchi
Design de personagens: Toshihiro Kawamoto
Design mecânico: Tomoyuki Hirao
Direção de arte: Takuya Ebisawa
Direção de som: Haru Yamada
Direção de 3D: Daiki Uchida
Direção de fotografia: Masataka Ikegami
Trilha sonora: Taisei Iwasaki, Towa Tei, Yuma Yamaguchi
Responsável pelo tema de abertura: YU-KA
Responsável pelo tema de encerremento: DAZBEE
Disponível na plafatorma de streaming Crunchyroll
O anime faz parte da temporada de Janeiro de 2024 (Inverno)

Sinopse:

Em um mundo onde os humanos coexistem com andróides chamados Neans, um grupo conhecido como Nove Imortais se levanta contra a sociedade. Com a tarefa de eliminar os rebeldes, um Nean chamado Rouge Redstar (também conhecido como Metal Rouge) e a investigadora Naomi Orthmann vão a Marte para localizá-los… mas primeiro, Rouge quer um pouco de chocolate.

Crunchyroll

1º episódio de Metallic Rouge – Carmesim é o som do amanhecer

Metallic Rouge

Em um mundo onde humanos coexistem com seres artificiais, Rouge persegue criminosos e uma grande organização misteriosa.

O anime começa com um tom meio triste, mostrando algumas pessoas em um trabalho pesado – parecendo uma mineradora ou algo similar. Em seguida, após uma introdução breve, já somos direcionados à protagonista Rouge, que parece ser uma garota comum que recentemente começou a trabalhar para Sarah Fitzgerald, a diva do Club Canal. A diva conquistou muitos fãs com sua voz – e ela própria e até mesmo seus funcionários e o clube conquistam muito dinheiro dessa forma. Contudo, tem coisa mais complexa que isso por trás.

Para começar, Rouge está investigando quem usa Nectar. Ainda pouco se explicou sobre isso, mas é um líquido que os andróides Neans utilizam constantemente. Se eles ficarem um período sem utilizar esse Nectar em seu corpo, eles simplesmente pifam e depois são descartados. O triste é que o andróide que trabalha no clube teve seu Nectar roubado, e acabou sendo descartado muito antes de conseguir outro. Rouge presenciou essa cena triste, e ao seu lado estava a sua colega de trabalho Naomi Orthmann, com a qual se comunicava por um passarinho robótico. Em seguida, elas se reúnem para colocar todas as informações em dia.

Viola do Purgatório

Metallic Rouge

Rouge foi trabalhar para Sarah Fitzgerald, a diva do Club Canal, pela suspeita de que ela fosse Viola Keane, uma Nean que seria um dos Nove Imortais e também conhecida como Viola do Purgatório. A Rouge não desconfia de Sarah e afirma isso abertamente. Acredito que Rouge considera Sarah muito gentil para isso, conforme vemos como Sarah trata as pessoas ao seu redor. Por isto mesmo a jovem se surpreende ao ouvir de Naomi que viu Sarah se injetando com o Nectar.

Em seguida, somos direcionados a uma cena em que Sarah entra em uma igreja e va se confessar com o padre. Contudo, na real quem está no lugar do padre é o Jaron Fate, um sujeito que parece o Vash de Trigun. Ele fala algo sobre Sarah precisar ser bem sucedida de sua missão – e que se já tivesse efetuado tudo, já estaria livre dos Alters. É bem aquela coisa da pessoa querer levar uma vida normal, mas estar sendo ameaçada por algum motivo. Sarah reclama que está se esforçando na missão, e até mesmo foi quase morta por um ser misterioso conhecido como Gladiador Vermelho. Contudo, ela ainda recebeu a ordem de matar aquela que se aproximou dela recentemente: Rouge.

Acabou tornando-se uma bagunça isso. Sarah leva Rouge para uma armadilha, onde confessa realmente ser Viola do Purgatório, onde ela reclama que tudo o que gostaria era de levar uma vida normal. Em seguida, um tal de Giallion entra no meio da treta e derruba Rouge. Ele tem uma habilidade onde pode se passar por outras pessoas – e ele estava justamente parecendo com o tal Gladiador Vermelho. O engraçado é que o Gladiador Vermelho é, na verdade, Rouge, que fingia nem saber muito bem da existência desse ser. O episódio termina após uma luta entre Rouge como Gladiador Vermelho contra Viola, que também se transforma em algo parecendo um daqueles mechas gigantescos de outros animes. Ainda falta o anime explicar muitas coisas, mas este era apenas o primeiro episódio.

Trailer

Obrigada por ler até aqui! Você sabia que o portal Meta Galáxia possui muitas resenhas e análises? Se procura por mais animes legais, você também poderá conferir em nosso portal: Resenha de Bureau of Paranormal InvestigationResenha da 1ª temporada de Black Summoner (2022)Resenha de Trigun Stampede (2023) e Resenha da 1ª temporada de Chainsaw Man: Compensou acompanhar?? Nós também temos as resenhas da 1ª temporada de Tokyo Revengers2ª Temporada de Tokyo Revengers (2023) e da Resenha da 3ª temporada de Tokyo Revengers. Além disso, você também pode ler a nossa matéria: Critérios – Como fazemos Críticas e Análises.

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
1º episódio de Metallic Rouge - Carmesim é o som do amanhecer
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕
resenha-do-1o-episodio-de-metallic-rouge-carmesim-e-o-som-do-amanhecerMetallic Rouge, o mais recente anime original do estúdio Bones, cativou-me com sua narrativa envolvente e personagens memoráveis. A qualidade da animação e o design visual excepcional adicionaram uma camada extra de profundidade à experiência, destacando o talento e a dedicação da equipe de produção. A trilha sonora envolvente e a habilidade do estúdio em criar momentos emocionantes contribuíram significativamente para a atmosfera única da série.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here