Resenha do anime Onimusha (2023): Virou fanfic shounen

Onimusha (2023)

Resenha do anime Onimusha (2023): Virou fanfic shounen

Quando saíram os primeiros anúncios da adaptação para anime de Onimusha, previsto para 2023 na plataforma de streaming Netflix, fiquei bastante feliz. Sem exageros, realmente fiquei emocionada, porque é uma franquia que gosto muito. Eu me revoltava com o fato de nem todos os jogos da franquia terem vindo de forma oficial ao Ocidente. Contudo, infelizmente, tenho que expressar minha profunda decepção com o resultado desta adaptação. Embora a arte do anime seja notavelmente bonita, esse é praticamente o único ponto positivo que posso destacar. Embora o streaming cite a classificação indicativa para o público maior de 16 anos, ainda assim me parece mais uma fanfic shounen dos jogos. Vamos aos fatos: do que se trata o anime? Por que virou apenas uma fanfic? Acompanhe a resenha!

Sinopse oficial do anime Onimusha (2023):

De posse de uma arma demoníaca que consome almas, um espadachim lendário e uma irmandade de samurais tentam deter uma insurreição de zumbis sedentos por sangue.

Netflix

Enredo

onimusha netflix

Junto aos anúncios, já podíamos ver que Miyamoto Musashi seria o protagonista do anime. Isto aumentou a hype dos fãs, pois a lenda do ronin (termo que se refere ao samurai que não seguia a um daimyo) é famosa mesmo aqui no Ocidente. Um dos fatos mais icônicos sobre esta figura lendária, que realmente viveu no período do Japão Feudal, é ter criado o estilo de luta com duas espadas. Algo que impressiona na série em anime Onimusha, mas de forma negativa, é que Miyamoto Musashi aproveita muito mao o estilo das duas espadas.

Em mosteiro, o ronin pega emprestado a icônica manopla que suga as almas dos demônios, também conhecidos como gemma no universo Onimusha. A manopla fica maior parte do tempo guardada em uma caixa. Musashi é acompanhado por um dos monges, que deverá retornar a manopla para o mosteiro no final de 33 dias. O que é irônico, pois assim o espadachim precisa ficar abrindo a caixa toda hora, para poder batalhar contra seus oponentes.

Sim, fica parecendo mesmo aqueles animes shoujo e shounen, em que os vilões ficam esperando de braços cruzados as transformações dos heróis. Completamente ridículo. É melhor assistir logo Dragon Ball ou Sailor Moon, considerando este aspecto. Ainda mais que, uma vez que um guerreiro Oni era escolhido, não têm porque tirar a manopla do braço tão rapidamente. Não é para Miyamoto Musashi sugar as almas dos gemma? Então, era para ter usado a manopla em todas as lutas e sugado mais almas.

O monge e o espadachim precisam resolver o problema de uma vila, em que todo mundo desapareceu – restou apenas uma garota chanada Sayo, que aparenta ter uns 10 anos de idade. Talvez, 12 anos de idade. Eles são acompanhados por um grupo de samurais e, logo de início, Musashi percebe que há um traidor entre eles.

Falando-se na garota, muitas vezes o anime aproveitava os momentos de Sayo para fazer uma coisa voltada para a comédia. Cheio demais de piadinhas, algo que não ocorre nos jogos. Ok que adoro garotas extremamente espertas e que tentam ser fortes o máximo que lhes é possível. Sayo é uma dessas personagens sensacionais. Contudo, é irônico chegar ao ponto dela ter muito mais resistência física para longas caminhadas e tudo a mais, em relação aos samurais. O monge também se mostrou muito mais bruto que a maioria do grupo.

Considerações finais

Onimusha netflix

O principal problema com a adaptação de Onimusha é a drástica mudança de tom e estilo em relação aos jogos originais. Enquanto os jogos eram conhecidos por seu conteúdo maduro, atmosfera sombria e enredos complexos, a série animada parece ter se desviado completamente desse caminho. O anime se assemelha mais a uma fanfic shounen genérica do que a uma adaptação fiel de Onimusha.

Os personagens foram simplificados e desprovidos da profundidade que os fãs dos jogos esperavam. Além disso, a trama parece ter sido diluída e simplificada para atender a um público mais jovem, perdendo assim a riqueza e a complexidade que faziam dos jogos originais uma experiência tão marcante.

Em resumo, não posso deixar de expressar minha profunda decepção com a transformação da série em algo que mais se assemelha a uma fanfic shounen do que a uma adaptação fiel dos jogos originais. Fica a esperança de que futuras adaptações possam levar em consideração a base de fãs leais e respeitar a natureza da obra original.

Obrigada por ler até aqui! Você sabia que o portal Meta Galáxia possui muitas resenhas e análises? Se procura por mais animes legais, você também poderá conferir em nosso portal: Resenha de Bureau of Paranormal InvestigationResenha da 1ª temporada de Black Summoner (2022)Resenha de Trigun Stampede (2023) e Resenha da 1ª temporada de Chainsaw Man: Compensou acompanhar?? Nós também temos as resenhas da 1ª temporada de Tokyo Revengers e da 2ª Temporada de Tokyo Revengers (2023). Além disso, você também pode ler a nossa matéria: Critérios – Como fazemos Críticas e Análises.

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
Onimusha (2023)
Austra Caroline
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕
resenha-do-anime-onimusha-2023-virou-fanfic-shounenOnimusha (2023) exibe uma bela arte como seu único ponto positivo, no entanto, é lamentável testemunhar como a adaptação se desviou drasticamente do espírito adulto e sombrio dos jogos originais, transformando-se em uma mera fanfic shounen. Essa mudança de público-alvo comprometeu gravemente a integridade da série, deixando os fãs desapontados com a falta de profundidade e complexidade que caracterizou a franquia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here