Tower of God: review sem spoilers

Review de Tower of God: anime de aventura popular e esperado por adaptar uma famosa obra coreana. Faz parte do catálogo de animes originais da Crunchyroll.

128

Oi pessoal. Tudo bem com vocês? Como prometido nas impressões do episódio final, trouxe hoje a review de Tower of God: anime original da Crunchyroll bastante aguardado por adaptar uma obra coreana de bastante sucesso.

Informações:

  • Diretor: Takashi Sano (Sengoku Basara: Judge End).
  • Estúdio: Telecom Animation Film (Orange, Lupin 3 de 2015 em diante, Sengoku Basara: Judge End).
  • Ano: 2020
  • Material original: web mangá.
  • Sinopse: a história se passa em uma torre capaz de conceder desejos para quem sobe até o topo. Nesse local, o Bam é um garoto que está a procura da Rachel, a qual o abandonou pelo seu anseio de ver as estrelas.

Proposta:

Primeiramente, devo dizer que não li o material original, porém essa primeira temporada de Tower of God me pareceu um prelúdio para o enredo, mostrando o que aconteceu com os personagens no teste anterior à subida da torre. Portanto, o principal intuito desse começo não foi apresentar o objetivo dos personagens e os conceitos desse mundo, mas sim preparar terreno para quando eles realmente começarem a explorá-lo.

Execução:

Dito isso, eu mudei minha opinião quanto a série ser desnecessariamente nebulosa. Essa falta de informação pode causar desinteresse em algumas pessoas, porém felizmente as ideias e os personagens são cativantes por si só, então não acho que esse fator prejudicará a experiência do público em geral com a obra.

Esse problema não poderia ser resolvido com posteriores flashbacks? Bom, essa escolha é bem comum de se fazer e daria certo caso o diretor tivesse habilidade em encaixá-los em momentos convenientes. Só que não achei de todo mau a ideia de apresentar esses acontecimentos antecipadamente, visto que a narrativa não precisa mais quebrar sua fluidez para explicar algo que já ocorreu. Entretanto, caso o roteiro revisite esses momentos no futuro, aí sim essa temporada tem chance de se tornar descartável.

Uma questão que é realmente um ponto negativo nessa história é o protagonista. Apesar do roteiro abordar os seus defeitos, inclusive com uma metáfora bem criativa próximo do final, ele começa como um gado sem graça e com pouco mérito pelas suas conquistas e termina da mesma forma. É verdade que o garoto evoluiu em termo de força, mas em termos de personalidade e motivações foi quase zero.

Quanto a parte técnica, a série se saiu surpreendentemente bem. A trilha sonora já era de se esperar uma qualidade por ser composta por Kevin Penkin, contudo o anime também teve uma animação descente e a direção conseguiu dá uma identidade visual interessante para a obra.

Por fim, apesar de Tower of God ter seus problemas principalmente quanto ao seu protagonista, é uma série bem cativante e produzida que merece sua atenção, sem falar dos bons momentos. A falta de informações pode gerar incomodo nesse início, mas poderemos ser recompensados futuramente com um enredo mais dinâmico nas próximas temporadas.

Outros comentários:

Adoro quando Tower of God usa essa estética.
Você vai cansar de ouvir esse elogio ao protagonista.
Sim, o autor deu o nome disso de touro. Ele também chama foca de golfinho. É melhor se acostumar.
Única ponta solta que me incomodou.

Posts relacionados à review de Tower of God:

Os personagens da obra.

Guia da temporada de abril 2020.

Lançamentos da Crunchyroll na temporada de abril 2020.

Os primeiros animes originais da Crunchyroll.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here