Conheça Desespero, uma entre os Perpétuos de The Sandman

Desespero, interpretada por Donna Preston em The Sandman da Netflix
Desespero, interpretada por Donna Preston em The Sandman da Netflix

Conheça Desespero, uma entre os Perpétuos de The Sandman

Um dos mais recentes sucessos do streaming Netflix é The Sandman, série que gostei tanto que rapidamente maratonei e escrevi a Resenha de The Sandman. Pouto tempo depois, decidi trazer um pouco sobre a origem de Morte, uma entre os Perpétuos de The Sandman e, agora, estamos aqui com a sua irmã Desespero, interpretada pela atriz e escritora Donna Preston. Quem é essa personagem? Qual sua origem? Confira aqui, mas cuidado! Afinal, pode ter spoilers dos quadrinhos e da série!

Desespero (Donna Preston) - The Sandman
Desespero, interpretada por Donna Preston em The Sandman da Netflix

Conheça Desespero

Desespero foi criada por Neil Gaiman para as HQs de The Sandman, com publicação pela entre 1989 e 1996 pela Vertigo, selo da DC Comics. Os Perpétuos são representações antropomórficas de características comuns a todas as pessoas: Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio. Uma curiosidade é que, em inglês, os nomes de todos os sete irmãos começam com a letra D, mas não foi algo fácil de fazer com todos os idiomas. Bom, mas vamos focar em Desespero. Ela é a irmã gêmea de Desejo, apesar de se mostrar como uma aparência diferente.

Desespero sempre se mostra como muito gorda, pele pálida e escamada e cabelos negros curtos. Ela não costuma usar roupas nas HQs. Na mão esquerda usa um anel com um gancho engastado, o seu símbolo próprio que usa para rasgar a própria pele, igual mostrado na série da Netflix. Literalmente, é para dar agonia ao público. Seu reino é um espaço cinzento, envolto em névoa na qual flutuam inúmeros espelhos. Cada um desses espelhos é idêntico a um espelho que existe na Terra e Desespero os usa para observar as pessoas desesperadas.

Desespero nem sempre está agindo em conjunto com Desejo, mas está ali sim quando ambos tramam contra um Perpétuo mais velho. Mesmo amando aprontar, ela se mostra muito mais próxima dos outros Perpétuos do que o seu gêmeo (ou gêmea, a maneira que você preferir já que Desejo é uma entidade não-binária), sendo que parece ter carinho por Delírio e sentir falta de Destruição. Não fala muito e parece ser bruta.

Um parece não existir sem o outro

Desespero e Desejo parecem muitos dos irmãos gêmeos da ficção, onde é extremamente difícil falar de um sem citar o outro. Afinal, mesmo que ela apareça pouco na série ou nos quadrinhos, Desespero está junto de várias artimanhas de Desejo. Sei que está ficando redundante isso, mas é exatamente essa a relação entre os dois: gêmeos inseparáveis.

A dualidade marcante de Desejo e Desespero vai muito além das aparências ou da forma como encaram o mundo. Se Desejo é a personificação gritante de tudo aquilo que desejamos ter e ser, Desespero nos marca pela paciência e pelo silêncio ensurdecedor.

Entre os Perpétuos, as irmãs gêmeas são as mais novas, criadas apenas um pouco antes de Delírio, caçula dos sete irmãos. Assim como os demais, possuem seus próprios reinos, poderes e responsabilidades, tudo para que o universo siga seu fluxo até que tudo deixe de existir. Além disso, eles possuem personificações diversas ao longo do tempo, mas com características marcantes que as tornam reconhecíveis em qualquer época ou lugar. Ou seja, assim como Morpheus que já teve altos visuais, incluindo uma aparência de etnia africana, qualquer um dos Perpétuos pode fazer o mesmo.

Como Desejo se apresenta:

Desejo em “Sandman” (Imagem: reprodução)
Desejo em “Sandman” (Imagem: reprodução / Neil Gaiman / DC Comics)

Considerando que Desejo não tem gênero definido, sempre irá aparecer da maneira mais andrógina possível. Isso quando não pega logo uma aparência mais feminina ou mais masculina. Para quem estranhou essa maneira andrógina na série, lamento, pois é exatamente assim nos quadrinhos. Desejo é referenciada também pela sua beleza extenuante, conforme os padrões de beleza de cada época. Ela/ele possui agradável odor de pêssegos, mesmo quando aparece fumando um cigarro.

Desejo sempre é descrito como uma beleza tão estonteante que uma pintura ou outra representação jamais captará sua beleza. Quem a vê se apaixona imediatamente, mas de um jeito doloroso, que cega e machuca. Afinal, é a mais lasciva e sensual entre os Perpétuos, na mesma intensidade em que é egocêntrica e egoísta, com atitudes são cruéis. O reino de Desejo se chama Limiar e é representado por uma imensa estátua a sua própria imagem, feita de carne, sangue, ossos e pele. Bom, acho que tem algumas bizarrices a mais do que sua irmã gêmea. O Limiar é colossal, mas vazio! E tem um motivo para isso: único lugar onde Desejo poderia habitar é o coração, já que um coração de vidro é o seu símbolo, utilizado na galeria dos Perpétuos para invocá-la.

Como Desejo se apresenta:

Desespero em “Sandman” (Imagem: reprodução)
Desespero em “Sandman” (Imagem: reprodução / Neil Gaiman / DC Comics)

Enquanto Desejo é sempre a criatura mais linda possível, conforme os padrões de beleza atuais, Desespero é o oposto. Ela é gorda, também tem a pele pálida, mas a sua é fria e pegajosa, com aparência escamosa. Seus cabelos sempre estão com aspecto sujo e desgrenhado. Seus olhos são da cor de um céu cinza e úmido e a sua voz é quase como um sussurro gelado de tristeza e pesar. Ela não exala nenhum cheiro, mas sua sombra tem um toque almiscarado. Sempre carrega seu símbolo, um anel em forma de gancho como um anzol, e costuma utilizá-lo para se autoflagelar na esperança de aplacar qualquer sentimento.

O seu reino é repleto de névoa e ratos, que correm por ele e até pelo seu próprio corpo, mordiscando-a, enquanto o nada toma conta de tudo. E há também os citados espelhos. Em cada um deles, cujas ligações terminam em um espelho na Terra, Desespero observa pessoas desesperadas. Ela enxerga também o pior da humanidade: em mais de uma passagem aparecem assassinos, abusadores e pedófilos, por exemplo. Contudo, nem sempre ela consegue de fato encará-los, pois não sabe lidar com a inquietação de tantas almas degradadas.

Primeira aparição

A primeira aparição das gêmeas acontece na edição #10, no arco Casa de Bonecas. Logo fica claro que Desejo pretende interferir na vida de Sonho, seu irmão mais velho que acaba de retornar após o aprisionamento. E Desespero participa das artimanhas, mais por sua ligação com a irmã do que pelo interesse em ver Sonho sucumbir. Na edição #16 deste arco, Sonho confronta Desejo e confessa saber de suas intenções, ainda que sem entender os motivos. No diálogo, ele declara que os Perpétuos são servos dos vivos, e não seus mestres, fato que Desejo parece desconsiderar.

Desejo e Desespero em “Sandman”
Desejo e Desespero em “Sandman” (Imagem: reprodução / Neil Gaiman / DC Comics)

E há mais aparições deles! Na graphic novel “Noites Sem Fim” temos mais uma dose da verdadeira essência dos Perpétuos. Em “O que eu experimentei do Desejo”, os traços de Milo Manara dão vida a um conto sobre o ato de desejar. Sobre querer algo com tanta força a ponto de não desejar mais nada, mas, principalmente, sobre ter consciência de que alguns desejos nos levam à perdição. Além disso, eles também aparecem em “15 retratos de Desespero”, desenhado por Barron Storey e Dave McKean, quinze fragmentos sobre este sentimento aterrador nos faz refletir sobre a miséria da alma humana.

Caroline Ishida Date
Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here