Análise de Evangelion 3.0+1.0: A Esperança

Confira a análise de um dos mais recentes lançamentos do mundo dos animes e disponível na Amazon Prime: Evangelion 3.0

100

Confira a análise de um dos mais recentes lançamentos do mundo dos animes e disponível na Amazon Prime: Evangelion 3.0+1.0: A Esperança

Ano2021
Título originalEvangelion 3.0+1.0 Thrice Upon a Time
DireçãoHideaki Anno, Kazuya Tsurumaki, Mahiro Maeda
RoteiroHideaki Anno
Data de lançamento8 de março de 2021 (Japão)
Duração2h 35min
Classificação 16 anos. Nudez e violência.
SinopsePosteriormente ao final devastador do último filme, Shinji Ikari precisará lidar com o trauma que passou e causou às outras pessoas, enquanto busca coragem para auxiliar a WILLE numa batalha final contra a NERV, chefiado por seu próprio pai.

A animação lançada em 2021 está disponível na Prime Video, como continuação dos filmes anteriores. O filme em formato de animação segue o gênero mecha, e certamente não poderíamos deixar de assistir e lançar a análise.

Válido ressaltar que os filmes são baseados especificamente na série em anime Neon Genesis Evangelion. Também há o mangá Neon Genesis Evangelion, publicado pela Kadokawa Shoten e pela Editora Conrad, no Brasil.

Cuidado, pois há spoilers na análise de Evangelion 3.0+1.0: A Esperança!

Análise de Evangelion 3.0+1.0: A Esperança

Evangelion 3.0+1.0
Imagem: Khara,Inc / Amazon Prime Video

Os filmes vieram para dar um novo final para a série de anime transmitida pela TV Tokyo de 4 de outubro de 1995 a 27 de março de 1996. Entretanto, ficou dividido entre os que amaram o final dos filmes e os que odiaram (e não deixe de comentar se você amou ou odiou).

No filme anterior, mostra que Shinji Ikari passou por um grande trauma: anteriormente, ele desobedeceu a ordem de pilotar novamente o EVA e causou o Quase Terceiro Impacto. Mesmo sendo um “quase”, isso deu o maior problema para as pessoas ao seu redor e destruiu muitas famílias. Ou seja, tudo ficou ainda pior! Para quem não sabe ou não se recorda, os Impactos anteriores deixaram o mundo numa era apocalíptica. Muitos animais foram extintos, e muitos adolescentes mal conhecem os animais que sobreviveram, como por exemplo os gatos ou os pinguins. E ocorre enfim bastante coisa durante esse filme.

Rei Ayanami, uma das principais dos filmes e amiga do protagonista Shinji, é então uma clone criada apenas para ser um vaso humano da alma de Lilith. E aqui mostra uma outra clone apelidada de “senhorita Cópia” e começamos a entender o mistério por trás das clones. A senhorita Cópia ficou um bom tempo trabalhando e ajudando as pessoas por onde ela viveu, descobrindo coisas novas como os sentimentos humanos e sobre os animais, mas simplesmente deu um erro e explodiu na frente de Shinji. E certamente foi uma cena tensa do filme, e também não demora para percebermos que as clones foram feitas para gostarem do Shinji.

Shinji Ikari finalmente acorda para a vida!

No mesmo dia da explosão da Cópia que o Shinji começou a acordar para a vida. Seus amigos estavam irritados, pois continuava o mesmo rapaz solitário e depressivo e que acreditava que não merecia sequer estar ali. Chegou ao ponto de Asuka, a garota que também pilota um EVA, precisar forçar o rapaz a se alimentar. Mesmo tendo salvo muitas pessoas, o rapaz não reagia. Enfim, ele foi atrás de saber sobre o que estava ocorrendo, principalmente entender o seu pai, Gendo.

No final das contas, Gendo era um cara estranho que parecia não saber se queria ser eternamente solitário, dominar o mundo ou unir todas as pessoas. Ao mesmo tempo que está na vibe de que a humanidade toda pode acabar, ele quer que todos sejam unidos como uma só alma. Então, você demora a compreender melhor o personagem e o porquê de todas as suas atitudes. Por sinal, ele quem criou as clones e foi com o rosto de sua esposa porque nunca conformou com a morte dela, e não se importou nada por ter sido um pai cruel a vida inteira. Irônico o fato de amar a esposa e ser cruel com o filho, ao ponto de sempre arriscar a vida do rapaz durante as batalhas.

Sendo assim, o protagonista pegou novamente seu EVA para pilotar, mesmo que muitas pessoas fossem contra isso, e foi para a batalha final. O rapaz covarde enfim inaugurou uma era de paz. Para inaugurar a paz, ele precisava fincar a Lança de Gaius em si mesmo e no EVA 01 para dar início ao novo mundo e reverter o Terceiro Impacto. A alma de Yui que o salva no final da batalha. Infelizmente, sua amiga Misato não sobreviveu para ver a era pacífica e voltar para o seu filho…

Posteriormente, Shinji e Mari vão juntos para uma nova jornada e um novo começo.

Gráficos

Os gráficos certamente foram bonitos, com artistas que se empenharam em desenhar bem todos os personagens e todo o cenário. Além disso, teve vários efeitos bonitos e ninguém pode negar isso. Então, uma das minhas melhores notas vai para os gráficos.

Áudio e Trilha Sonora

Há cenas em que os efeitos sonoros ficam mais altos que as vozes, o que certamente pode se tornar super irritante para muitas pessoas. Você não sabe se aumenta o volume para ouvir melhor as falas ou então se abaixa o volume.

E quanto as músicas, há poucas músicas no filme. Entretanto, as poucas músicas que tem em Evangelion 3.0+1.0 não combinam muito. Afinal, por que escolher músicas românticas para cenas de ação e luta? Senti que cortou todo o clima da batalha final. São boas músicas, mas não combinam!

Concluindo sobre a análise de Evangelion 3.0+1.0: A Esperança

Conforme dito anteriormente, este e os filmes anteriores foram baseados na série em anime, vindo então para dar um novo final para a série. Aparentemente, o público não havia gostado do final da série, sendo assim os produtores optaram fazer a saga de filmes. Pelo mesmo motivo, ficará extremamente confuso se você assistir aos filmes sem ter assistido à série ou lido os mangás. Diferente de muitos filmes inspirados em mangás e animes e que explicam melhor todo o universo, esse já presume que você acompanhava a obra e não se preocupa com explicar determinados detalhes.

Para quem não sabia do anime, assim como eu: se você quer assistir ao filme Evangelion 3.0+1.0: A Esperança para entender melhor todos os anteriores, com os questionamentos de sobre os anjos e toda aquela tecnologia, certamente você ficará chateado. E além disso, o filme perde muito tempo com cenas lentas e pouca explicação.

Acredito que foram tantas cenas lentas (e muitas vezes mostrando apenas cenário) que poderiam ter sido aproveitadas para cenas de lutas ou maiores explicações para o público novo. Afinal, por que o mundo está nesse apocalipse? Lilith? Adão? O filme é tão comprido, e explicou pouco sobre as tecnologias alienígenas. Quem acompanhava anteriormente a obra garante existir maiores explicações e até mesmo mais tipos de anjos, então recomendam ao menos assistirmos os animes!

Também há a dificuldade de entender sobre o mundo real e o mundo das ideias assistindo apenas aos filmes. Conforme discussões em redes sociais e em outros portais, muitas pessoas também ficaram confusas com a toda a obra. Então, muitos precisaram recorrer a matérias que explicassem o final e muitos debatiam que acaba sendo a interpretação pessoal de cada um.

E há outro detalhe que pode incomodar algumas pessoas: sensualizaram demais as garotas, que são apenas adolescentes. A obra não é para o público juvenil, o que torna bizarro ver garotas de 14 anos nuas ou com roupas sensuais. Portanto, apenas esse detalhe faz a obra ser bastante polêmica.

Em conclusão, essa é a análise da obra e se você assistiu ao filme, comentem se gostou ou se também não curtiu! Não deixem de conferir as nossas outras análises e resenhas: Evangelion: 1.0 – Você (Não) Está Sozinho – Resenha, Análise da trilogia Rua do Medo da Netflix e X-Men: Fênix Negra – Resenha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here