Aladdin (Live Action 2019) – Resenha

0
619
Aladdin (Live Action 2019) - Resenha lampada
Aladdin (Live Action 2019) - Resenha POster

Parece que a Disney pegou o jeito de fazer seus clássicos como Live Action pois Aladdin (Live Action 2019) está INCRÍVEL.

É até difícil expressar como eu me senti assistindo o filme de Aladdin (Live Action 2019) , meu clássico favorito da Disney, mas eu vou tentar e espero que esse texto seja interessante para vocês!

Antes de tudo, devo dizer que o fator nostalgia é muito forte, 1º por causa dos personagens e 2º por causa das músicas. Então eu falei para mim mesmo “Matheus, é uma releitura, desapega do que era o original” e olha, me ajudou um pouco, mas no geral o filme É MUITO FIEL ao original. Posso dizer que quase chorei!

Mas vamos ao que interessa, a resenha sobre Aladdin (Live Action 2019).

O filme segue fielmente a história do desenho original da Disney, de 1992, com as devidas adaptações necessárias de quando se faz um port de um desenho para um filme live action. Sendo assim não vou entrar no mérito da história em si, mas sim dos aspectos que compõe o filme.

Aladdin (Live Action 2019) - Resenha
Agrabah muito bem aproveitada no Aladdin 2019

1º A Fotografia / Aspecto Visual

O FILME É LINDO PRA CARALHO

O visual do filme esta absolutamente incrível. E esse era um dos maiores medos que eu tinha. O filme de 92 era bem avançado para sua época, foi produzido com tecnologia de ponta em animações, produziam cores realmente vivas (era só ver as cores douradas dos tesouros).

Aladdin (Live Action 2019) fez jus ao original e trouxe uma fotografia muito bem trabalhada. Cores vibrantes ocupavam a maior parte da tela, principalmente na parte de figurino e das músicas, onde a ação era bem intensa. Partículas voavam por todos os lados na música do Gênio (Will Smith) na caverna dos tesouros.

Os figurinos foram criados com muito capricho, trazendo nova vida para os icônicos conhecidos (e simples) trajes da versão original. A Disney trabalhou bem isso, mas asseguro que nada ficou exagerado, pelo contrário, tomaram o cuidado de deixar mais proprietário culturalmente. Aliás, parabéns aos produtores por deixarem o palácio parecido com um palácio árabe e não com o Taj Mahal, consertando a gafe clássica do original.

Naomi como Jasmine e Mena como Aladdin

2º A Música / Áudio – A Nostalgia pega PESADO aqui.

Ponto forte de quase todas produções Disney! Mas Aladdin (Live Action 2019) tem algo especial e único, e olha que, era difícil fazer algo no nível do original com A Whole New World (Um Mundo Ideal) e as músicas do Gênio e Ali.

O que fizeram foi simplesmente inédito. Mantiveram a letra e a essência da música mesmo trazendo ritmos atuais, danças e algumas pequenas modificações que julgo necessárias para uma adaptação.

As músicas empolgam, arrepiam e fazem uma lágrima escorrer até nos mais fortes (Nostalgia pega PESADO aqui).

Destaque claro para Will Smith que trouxe seu toque para as músicas do Gênio e para Naomi Scott que trouxe o talento musical que faltava para o elenco, com direito a música da Jasmine inédita, Speechless.

3º Os Personagens (CHUPA MUNDO, Will Smith fez história)

Lembra daquela polêmica primeira impressão que tivemos do Gênio/Will? Pois continue lendo…

Will Smith – Se doou completamente, superou seus medos e o fardo de interpretar um dos maiores e mais carismáticos personagens dos desenhos (Originalmente interpretado pelo lendário Robin Williams). Que treta em Will? Só um MALUCO no pedaço pra aceitar um desafio e se sair bem nele.

Trouxe seu toque para o personagem, trouxe uma ótima releitura SEM PERDER A ESSÊNCIA criada pelo mestre Robin Willians para o Azulão. Com direito a dancinha hip-hop, piadinhas e tudo que há de bom. Will roubou a cena como um bom Gênio deve fazer, assim como foi no original.

Aladdin (Live Action 2019) - Resenha
Will Smith como Gênio da Lâmpada

Aladdin – O que dizer sobre esse AL? O ator Mena Massoud é muito parecido com o protagonista, é engraçado, faltou talvez um pouco de emoção em algumas cenas (Olha a nostalgia puxando), mas acima de tudo ele transmite a pessoa humilde e simples que talvez um Aladdin devesse ter, um pouco diferente do AL mais confiante do original.

Jafar – A galera tem criticado o Jafar de maneira muito cruel e eu quero tirar isso da mente de você que está lendo. Acredito sim que a escolha do ator talvez tenha sido equivocada, mas entendo os motivos da Disney que era trazer alguém mais jovem para ser o vilão, mais enérgico e que trouxesse algum tipo de identificação com o publico. Motivos esses que eram errados e que marca como um dos poucos erros da produção.

Aladdin (Live Action 2019) - Resenha jafar
Jafar foi muito criticado por não parecer tanto com o original, mas atuou muito bem.

Esse Jafar podemos dizer que interpretou muito bem, um dos mais exigidos nesse quesito no filme todo. Não é culpa do Marwan Kenzari que o personagem exigia um outro perfil, ele foi escolhido e tinha a missão de fazer seu melhor, e assim o fez.

O maior problema fica mesmo devido a estranheza de se ter um Jafar jovial em contraposto a um Jafar mais velho, alto, sarcástico, maquiavélico e sínico como era no original. O atual confrontava diretamente o sultão, sendo que o original seria sínico e comeria pelas bordas até alcançar seus objetivos.

Jasmine – CANTA MUITO. A segunda maior surpresa depois de Will, na minha opinião. Canta muito bem, atua muito bem e trouxe outra cara para a Jasmine, que no original era um pouco mais “esperta” mas que nessa releitura teve um espaço muito maior. Essa Jasmine é aquela mulher que é dona da própria vida, das decisões e uma SULTONA.

Aladdin (Live Action 2019) - Resenha Jasmine

4º As Cenas – OLOKO MEU, QUANTA EMOÇÃO

Muitas cenas mudam, muitas se mantém em Aladdin (Live Action 2019).

Cena Fuga em Agrabah – Algumas eu estranhei, como a música/cenas de fuga logo no início do filme, na cidade de Agrabah, em que deixaram tudo meio acelerado. Ficou estranho, mais um dos poucos erros.

Abu Elefante – Outra cena que me decepcionou foi a transformação do Abu em elefante, que normalmente é bem engraçada.

Tapete Voador – AH, faltou espaço para o tapete. No original ele É UM PERSONAGEM. Aqui pouco apareceu, mas a cena em que ele surge é muito legal.

Música Gênio na Caverna – Sensacional, ainda mais porque mudaram o início dela, fazendo uma versão tosca com o Abu e em seguida o Will pergunta “Não impressionou né?” e ai ele dá um show.

Música Ali – Essa é minha predileta, a música do Ali A Babua (que teve uma explicação muito boa do “por quê” desse nome).

Aladdin (Live Action 2019) - Resenha

Quem não assistiu, ASSISTA! Aladdin (Live Action 2019) é sensacional, nostálgico e atual, renovando o clássico Disney de várias maneiras, principalmente com humor. Agora quero ver dublado! Ah, confira nossa seção de FILMES, e veja outras resenhas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here