Representatividade LGBTQIA+ em The Last Of Us

Com os dois jogos de The Last of Us, a Naughty Dog fez um ótimo trabalho ao apresentar personagens LGBTQIA+, pelos quais foi elogiada.

The Last Of Us

Representatividade LGBTQIA+ em The Last Of Us

Junho é o mês do orgulho LGBTQIA+! Dessa forma, por que não aproveitar o momento justamente para conhecer obras LGBTQIA+ e falar sobre representatividade? Por esse mesmo motivo, nós do Meta Galáxia decidimos trazer sobre a Representatividade LGBTQIA+ em The Last Of Us.

Apesar do fato de que as coisas estão mudando lentamente para melhor na vida real das pessoas LGBTQ+, ainda há um longo caminho a percorrer! Isso até que uma representação adequada desses temas seja trazida com mais frequência na tela grande e nos videogames. Basta dizer que, quando The Last of Us Part 2 foi lançado, foi o primeiro jogo de grande sucesso a apresentar uma mulher lésbica como protagonista! Embora seja uma grande conquista, também significa que mais deve ser feito no indústria para agitar as coisas. Entretanto, The Last of Us Part 2 não parou simplesmente na orientação sexual de Ellie, e também apresentou um personagem bissexual/pansexual e um jovem trans. Este post contém spoilers da série The Last of Us.


Os temas LGBTQ+ não são algo totalmente novo para a franquia The Last of Us, pois a primeira parte da série também apresentou um NPC gay e depois um beijo lésbico muito gracioso no DLC Left Behind. Todo o projeto também é entregue por vários funcionários queer da Naughty Dog; portanto alguns dos personagens são retratados por indivíduos LGBTQ+, o que o torna ainda mais saudável e significativo.

Ellie

Ellie - The Last of Us

Como mencionado acima, Ellie é uma personagem muito original porque ela se torna a primeira protagonista feminina queer apresentada em um grande jogo de sucesso. Ellie também foi um personagem importante em The Last of Us e se tornou o único personagem jogável de The Last of Us: Left Behind, um DLC onde seu relacionamento com uma amiga de infância chamado Riley é mostrado, e é a história de fundo da imunidade de Ellie e sua exploração adolescente de sua sexualidade. A história de Ellie toma um rumo feliz no início de The Last of Us Part 2, com ela finalmente encontrando um parceiro adequado em Dina, mas as coisas ficam muito escuras muito rapidamente, e Joel é brutalmente morto por sua filha adotiva.

Joel sempre foi um pouco atrofiado emocionalmente e, embora Ellie pareça sempre ter aceitado sua sexualidade, ela acabou escondendo isso de sua figura paterna não por vergonha, mas porque temia qual poderia ter sido a reação de Joel. Eventualmente, ela disse a ele, e ele a apoiou e realmente não deu muita importância a isso. Isso é algo que The Last of Us faz, já que a sexualidade e a identidade de gênero não são uma coisa tão grande depois do Cordyceps, e as pessoas geralmente aceitam mais os tópicos LGBTQ +, mesmo que outros mantenham visões do velho mundo.

Dina

Dina

Falando em Dina, ela também oferece grande representatividade para pessoas bissexuais e pansexuais. Ela estava em um relacionamento com Jesse antes de começar a namorar Ellie; a franqueza com a qual ela pode formar laços íntimos com homens e mulheres é algo que The Last of Us Part 2 realmente prega. A sexualidade de Dina não é algo que a defina nem algo pelo qual ela queira ser definida, e ela apenas vive sua vida romântica e sexual como ela vem.

Dina é uma ótima personagem porque sempre apoia as pessoas com quem se importa, mesmo quando está lidando com seus problemas. Isso mostra quando ela descobre estar grávida do filho de Jesse, mas ainda continua para ajudar Ellie a se vingar de Abby e seu grupo, apesar de todos os perigos. É Dina quem primeiro beija Ellie, e ela o faz na frente de todos porque não vê sua sexualidade como um problema nem como segredo.

Lev

Lev - The Last of Us

Lev é provavelmente a inclusão mais notável no elenco de personagens de The Last of Us Part 2, não necessariamente por ser um dos personagens mais importantes do jogo, mas porque ele é o primeiro homem trans a aparecer em jogos de sucesso. Não só isso, como o dublador de Lev também é um homem trans que passou por algumas das dificuldades que o jovem Seraphite tem que suportar no jogo, tornando sua história ainda mais crível. Lev é o deuteragonista do arco da história de Abby, e depois de perder sua irmã e sua mãe, ele não tem ninguém no mundo, assim como Abby depois que Ellie e Tommy matam todos com quem ela se importa.

A história de Lev também recebeu feedback misto, com uma parte da base de jogadores feliz com a maneira como o jovem trans foi retratado; já outros dizem que foi traumático para eles e que sua identidade de gênero poderia ter desempenhado um papel maior. Principalmente, os jogadores ficaram chateados com a morte de Lev!

Riley, Bill e Cat

Representatividade LGBTQIA+ em The Last Of Us

Esses personagens não estão relacionados entre si de forma alguma, mas são menções honrosas quando se trata de todos os personagens LGBTQIA+ em The Last Of Us. Começando com Riley, ela é a deuteragonista do DLC Left Behind, e ela é a melhor amiga de Ellie. O DLC retrata a amizade de Riley e Ellie e até sugere algo mais quando Ellie beija sua amiga; depois diz que sente muito, ao que Riley diz que não tem nada para se desculpar. Embora nunca tenha confirmado ser lésbica, bissexual ou pansexual, Riley, no mínimo, parece uma aliada.

Bill é um personagem que Joel e Ellie visitam no primeiro jogo, e ele os ajuda em sua jornada. Bill é gay e teve um relacionamento com um homem chamado Frank, mas logo ele é morto no jogo, para desgosto de Bill. Ao contrário de Dina, Bill tenta esconder sua homossexualidade e inicialmente se refere apenas a Frank como alguém de quem ele se importava.

Cat é a única personagem da lista que não aparece em nenhum dos jogos. Entretanto, ela é mencionada em The Last of Us Part 2 como membro da comunidade de Jackson e ex-namorada de Ellie. Ela é uma tatuadora e tatuou o braço de Ellie para cobrir as marcas de uma mordida que ela recebeu anos antes. Não se sabe muito sobre Cat, mas ela e Ellie parecem ainda estar em bons termos.

The Last of Us Part 2 já está disponível para PS4 e PS5. Confira a página oficial da PlayStation Store: PlayStation®

Em conclusão, esse é o texto de hoje, com a representatividade LGBTQIA+ em The Last Of Us. Confira também em nosso portal: Cinco quadrinhos LGBTQIA+ para conhecer

Goiana. Arqueóloga, focada em Educação Patrimonial. Redatora. Escritora. Apaixonada pela Cultura Brasileira e pela Cultura Geek. Cosplayer nas horas vagas gótica e gamer. Aqui no Meta Galáxia, colaboro com matérias sobre o universo geek: notícias, entrevistas com cosplayers, listas de filmes e animes, análises de animes e jogos, curiosidades e muito mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here