A verdadeira história por trás do fungo de The Last Of Us

A infecção global vista em The Last of Us, da HBO, decorre de um fungo da vida real que inspirou Neil Druckmann, da Naughty Dog, a fazer o jogo de survival horror.

the last of us
Reprodução: The Last Of Us / Naughty Dog / HBO

A verdadeira história por trás do fungo de The Last Of Us

The Last of Us, a mais nova série da HBO, começa ameaçadoramente com uma transmissão de TV de 1968, na qual dois cientistas discutem cenários globais de pandemia. Enquanto o apresentador do programa descarta muitos desses cenários com piadas, o tom muda rapidamente depois que um cientista expressa sua crença de que a ameaça mais séria e preocupante não viria de um vírus ou bactéria, mas de um fungo. A transmissão expande o prólogo do jogo como outra introdução ao que se segue. Mas, embora o resultado apocalíptico seja fictício, o fungo descrito pelo cientista existe de The Last of Us – e inspirou o jogo eletrônico da desenvolvedora Naughty Dog no qual o programa se baseia.

Conforme Washington Post, Neil Druckmann ficou fascinado com a série de documentários da BBC, Planet Earth, que mostrava insetos sendo infectados por fungos. Sim, muitas histórias de zumbis se baseiam em ciência especulativa ou comecem com vírus criados em laboratório. Entretanto, Neil Druckmann optou por uma base mais científica ao criar seu videogame de sucesso. E o método específico de transmissão do fungo atendeu aos parâmetros de um cenário apocalíptico que contribuiu para a fama de The Last of Us.

Qual fungo é retatado em The Last of Us?

O documentário da BBC em questão trás o fungo cordyceps, um fungo parasita que afeta insetos. O fungo tem muitas variações diferentes, dependendo do inseto hospedeiro. A infecção cresce dentro do inseto e, após matá-lo, desenvolve caules semelhantes a gavinhas. A gavinha cresce por um certo período de tempo – geralmente algumas semanas – e então libera esporos para infectar insetos que combinam com as espécies hospedeiras nas proximidades. Quando o inseto é infectado com os esporos, ele começa a se comportar de forma irregular, perdendo o controle de sua mente e funções motoras – em outras palavras, agindo como um zumbi.

Em The Last of Us, o cordyceps sofre mutação para afetar os humanos da mesma maneira. Ele busca se espalhar para todos os seres humanos, exatamente como o cientista alertou em 1968. Felizmente, no mundo real, as chances de uma mutação que pode afetar a humanidade é altamente improvável.

Na vida real, fungo de ‘The Last of Us’ tem propriedades medicinais

Como os fãs do jogo e da nova série já sabem, o apocalipse de The Last of Us começou pelo fungo Cordyceps – que existe na vida real mas não (pelo menos até agora) transforma humanos em zumbis canibais. Quem traz detalhes sobre isso é Alexandre Guglielmelli em uma reportagem da Uol!

Na vida real, o Cordyceps está presente principalmente em florestas tropicais (como as do Brasil). Esta criatura é do filo Ascomycota e, como o fungo em The Last of Us, tem a capacidade de controlar seu hospedeiro. Felizmente (para os humanos), o Cordyceps infecta apenas artrópodes, como insetos e aranhas. Ele também tem uma queda por formigas e larvas de mariposas.

Os esporos de Cordyceps se desenvolvem dentro do hospedeiro, consumindo todas as estruturas musculares de dentro para fora. Durante todo o período de “possessão”, o artrópode permaneceu vivo e realizou atividades diárias normais. No entanto, duas semanas após a infecção, o fungo começou a afetar o sistema nervoso central do hospedeiro. A partir daí, os artrópodes começaram a se comportar de forma estranha, como se fossem zumbis.

A infecção também causa convulsões persistentes que impedem o movimento do invertebrado e eventualmente levam à morte do artrópode. Quando o hospedeiro morre, uma estrutura emerge do cadáver, liberando novos esporos para infectar outros artrópodes, garantindo assim o ciclo de vida do fungo.

Para os humanos, o Cordyceps não representa perigo. Muito pelo contrário: na medicina tradicional chinesa, indiana e japonesa, os fungos são usados ​​para tratar anemia, imunidade enfraquecida, impotência e retardar o processo de envelhecimento. Atualmente, o Cordyceps é uma espécie em extinção devido ao seu uso medicinal frequente.

Documentário National Geographic: Parasita ‘zumbi’ domina insetos através do controle da mente

The Last of Us vai ao ar aos domingos na HBO e na plataforma de streaming HBO Max.

Fontes: Observatório do Cinema (uol.com.br), Washington Post e CBR – The World’s Top Destination For Comic, Movie & TV news

Fã de The Last of Us? Se sim, então vai gostar de também ler em nosso portal:

Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here