Wata Games é processada por manipulação de preço em jogos retrô

Os clientes da Wata Games entraram com uma ação coletiva contra o varejista por práticas comerciais ilegais em torno da venda de seus jogos retrô.

retro games

Wata Games é processada por manipulação de preço em jogos retrô

Isso mesmo! A Wata Games é processada por manipulação de preço em jogos retrô. Agora a Wata Games enfrenta uma ação coletiva de vários clientes reivindicando danos por práticas comerciais ilegais da empresa em suas vendas de jogos retrô.

De acordo com Kotaku, o processo de ação coletiva, arquivado no Tribunal Distrital Central da Califórnia, é em nome de Jacob Knight, Jack Cribbs, Jason Dohse e outros indivíduos potencialmente “semelhantemente situados”. De acordo com o processo, a Wata Games e seu proprietário, Collectors Universe, supostamente enganaram seus clientes sobre seus produtos; ou seja, aumentaram a bolha de coleta de jogos retrô e conduziram um “padrão de atividade de extorsão”. Esses atos supostamente iniciaram a corrida para comprar jogos clássicos e inflacionar os preços.


Essencialmente, os clientes enviavam seus jogos para avaliação por Wata para determinar como eles classificam como colecionáveis, julgando a raridade e a qualidade. Dessa forma, a Wata Games cobrava dos colecionadores para agilizar o processo junto com uma comissão de 2% em jogos avaliados em mais de US$ 2.500. Agora, muitos colecionadores afirmam que Wata os enganou inflando o mercado com suas estimativas, aumentando sua comissão e cobrando prêmios por serviços, mas não devolvendo os jogos aos proprietários em tempo hábil para seu processamento “acelerado”.

Embora os tempos de espera para casas de classificação colecionáveis tenham aumentado exponencialmente durante a pandemia, os atrasos relatados para Wata parecem ser extraordinariamente longos. Embora o tempo de espera mais longo estimado seja de 150 dias, um cliente relatou que sua cópia de Fire Emblem: Path of Radiance, a nona da série Fire Emblem, para o GameCube levou 18 meses para ser recebida. A Wata Games ainda não comentou as alegações.

Agora, tem até um mini-documentário sobre a Wata Games!

Karl Jobst fez um mini-documentário sobre o assunto e publicou no YouTube. No vídeo, acusa a Wata Games, a casa Heritage Auctions e outros colecionadores de conspirar para aumentar o valor de jogos retrô raros usando métodos como por exemplo licitantes secretos, classificações subjetivas e preços de venda recordes.

Um exemplo é a venda de um jogo Super Mario Bros em 2019. Em 2017, o preço máximo do jogo retrô ficou em US$ 30.000 por uma cópia lacrada de alta qualidade. Em 2019, a Wata Games classificou uma cópia do Super Mario Bros, vendido em leilão por US$ 100.150. Os três compradores incluíam o fundador da casa Heritage Auctions, Jim Halperin. Mais tarde naquele ano, o fundador da Wata e chefe de classificação, Deniz Kahn, apareceu no Pawn Stars e afirmou que a cópia exata do jogo agora valia até US $ 300.000.

Em 2021, Wata classificou uma versão do jogo que alegou ser uma cópia ultra rara em caixa e selada. Dessa forma, sua venda foi feita por US$ 2 milhões. Além disso, uma versão em cartucho selado de Super Mario Bros. para o Nintendo Entertainment System também teve a sua venda em abril de 2021 por US$ 660.000.

Confira abaixo o vídeo:

Após o documentário de Jobst, Kohn, Halperin e outros mencionados no documentário negaram irregularidades. Alguns meses após o fato, então a Wata Games divulgou relatórios de população para vários jogos, uma demanda frequentemente relatada por colecionadores de jogos. Relatórios populacionais estimam o número de jogos selados de qualidades específicas ainda existentes com base em pesquisas e vendas anteriores. Esses relatórios ajudam os coletores em sua vocação, proporcionando uma enorme transparência sobre os fatores que determinam a classificação. Desde o lançamento dos relatórios, não houve vendas recordes de leilões de jogos retrô.

Fonte: Kotaku

Confiram aqui mais notícias em nosso portal! O Meta Galáxia possui muito conteúdo sobre HQs e games, assim como animes e mangás!

Goiana. Arqueóloga, focada em Educação Patrimonial. Redatora. Escritora. Apaixonada pela Cultura Brasileira e pela Cultura Geek. Cosplayer nas horas vagas gótica e gamer. Aqui no Meta Galáxia, colaboro com matérias sobre o universo geek: notícias, entrevistas com cosplayers, listas de filmes e animes, análises de animes e jogos, curiosidades e muito mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here