Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha

Meu Eterno Talvez, comédia romântica da Netflix é uma grata surpresa do serviço de streaming e traz um ingrediente diferente para o gênero. Vale muito a pena conferir, Meta Galáxia recomenda.

0
214
Meu Eterno Talvez (Netflix) - Resenha

A Netflix trouxe uma grata surpresa para seu serviço de streaming, Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha, na última semana de maio.

Meu Eterno Talvez (Always be my Maybe), é uma comédia romântica um pouco fora do padrão que estamos acostumados, e isso é muito bom. Um filme simples, leve e muito verdadeiro.

Meu Eterno Talvez (Netflix) - Resenha

A história tem como personagens principais a Sasha, vivida pela atriz Ali Wong, e Marcus, interpretado por Randall Park. Eles são amigos de infância, vizinhos, e cresceram juntos até a adolescência.

Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha

Quando pequena, Sasha vivia na casa de Marcus e era muito bem tratada pela família dele, aprendeu a cozinhar com a mãe do protagonista, e nutria uma paixão secreta por ele. Um belo dia, os dois resolvem transar no banco de trás do carro de Marcus, o que acaba ocasionando em uma estranheza entre os dois, que acabam ficando sem se falar por muitos anos.

Alguns anos depois disso, Sasha está no auge de sua carreira como Chef, famosa, badalada, e noiva de um famoso dono de rede de restaurantes. Já Marcus, ficou cuidando de seu pai que tem uma pequena empresa de manutenção de ar-condicionado, Harry & Son.

Meu Eterno Talvez (Netflix) - Resenha

Contudo, apesar da aparente boa fase de Sasha, seu noivo vai viajar para a Índia com o pretexto de abrir um restaurante e garantir que se casar com ela é a decisão correta para o casal. A protagonista fica claramente incomodada, mas acaba aceitando.

Sasha resolve voltar para São Francisco, e o destino faz com que Marcus vá fazer a manutenção do ar-condicionado da casa de Sasha, ocasionando no derradeiro reencontro.

E assim a história de Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha começa a se desenvolver. O que eu gosto muito nesse filme é o aspecto simples e muito convincente de como as coisa acontecem. Marcus, por exemplo, é um cara muito inseguro nas suas atitudes, demora para se mexer e por muitas vezes perde grandes oportunidades por preferir se manter na sua zona de conforto. Algo completamente normal e cotidiano para qualquer mero mortal.

Meu Eterno Talvez (Netflix) - Resenha

Sasha, mostra um lado da mulher que é auto-suficiente, moderna, inteligente e ao mesmo tempo simples como seu pretendente Marcus. Preciso dizer que Sasha é muito atenciosa e que admirou muito a mãe de Marcus, como morreu quando eles eram jovens. Tanto que a protagonista criou um restaurante de “comida a la família”, com as receitas da mãe de seu amado.

Meu Eterno Talvez (Netflix) - Resenha

CLARO, não podemos esquecer da hilária participação de Keanu Reeves, astro que participa como ele mesmo e tem um caso “rápido” com a Sasha, também acaba desenvolvendo uma leve rixa com nosso personagem principal.

É muito nítido a sátira que o próprio Keanu faz com o que aparenta ser a visão que as pessoas tem dele: um cara que gasta 6.500 dólares num jantar bizarro, que tem um apartamento gigantesco, é todo filosófico sobre a vida e outras coisas esquisitas. Nota-se a diversão que ele tem ao interpretar você mesmo da maneira que ele assumidamente não é.

Conclusão Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha

Meu Eterno Talvez (Netflix) – Resenha, é um filme excelente do serviço de streaming que vem para agregar muito a seu acervo. Eu recomendo muito, assista sem medo de dar boas risadas e refletir um pouco sobre as próprias atitudes, medos e como você os encara.

Veja outras resenhas de filmes e séries da Netflix.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here