A Aventura na Ilha Nejimaki – One Piece Filme 2

97
Cena do filme A Aventura na Ilha Nejimaki

Segundo filme de One Piece, A Aventura na Ilha Nejimaki, a exemplo do primeiro filme, não passa de um filler despretensioso, que caberia perfeitamente como um tapa buraco para dar distância para o mangá na época. E, assim como o primeiro, temos os coadjuvantes que buscam seus sonhos e servem como forma de identificação com Luffy. Mas diferente do primeiro longa, este aqui possui uma história pouquíssima interessante. O único ponto que poderia ser melhor desenvolvido, seria a história da ilha e os engenheiros.

Todavia este ponto acaba sendo quase que totalmente ignorado e a única influência deles na história acaba sendo no “segredo” da origem de Akisu que não tem qualquer relevância para história ao final. O filme acerta alguns momentos no humor, mas este acaba deixado um pouco de lado e esse é um dos maiores pecados do filme, já que por ser um filme se trata desde o inicio de uma aventura descompromissada.

Pouco tempo

Resta assim, ao longo dos poucos 55 minutos, uma tentativa de criar um ar de preocupação, com a sequência de captura de cada um dos Mugiwaras, tempo este que poderia ser gasto apresentando mais da ilha. Apesar disso foi uma maneira interessante de desenvolver um pouco mais os vilões. Em suma, o problema mesmo foi a falta de tempo.

Uma coisa teria que ser abandonada e em prol de causar qualquer interesse no filme, a escolhida sem dúvidas seria a história da ilha. Os roteiristas no entanto não se preocuparam muito com isso e o filme se tornou uma corrida até o final, para criar lutas quase sem razão. Vale mencionar como ponto positivo a conexão com o filme anterior através dos piratas de El Drago durante uma rápida cena. Algo que da um ar de importância para qualquer filme de anime é criar uma espécie de “linha narrativa” e isso ajuda.

Vale a pena ver a A Aventura na Ilha Nejimaki? 

 Não. Com um vilão genérico, que desta vez a história faz questão de tentar levar a sério, sacrificando a história para que eles fossem mais desenvolvidos, o filme se torna uma sequência desnecessária, corrida e óbvia de lutas. Como resultado é algo que pode agradar alguns fãs, mas que foge ao padrão One Piece. Mesmo no primeiro longa que não passa de mediano, os roteiristas entenderam que o mistério relacionado a Wonnan era o mais importante e o vilão serviu só de “motivação”. Ao tentar leva-lo a sério desta vez, o filme falha geral. Para não dizer que é um desastre total, o final foi bem corajoso, apesar de sem lógica e mal explicado.

1 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here