Another – Anime (Análise) – O mistério do excedente!

32
Cena da abertura de Another
Ficha Técnica
Nome: AnotherData: 2012
Estúdio: P.A. WorksGênero: 
Anime; Drama; Mistério; Suspense; Terror;
Diretor: 
Tsutomu Mizushima
Episódios: 12 (~25 minutos cada)

São poucos os exemplos de animes de terror que temos disponíveis por aí. Another – já em 2012 – é um dos casos mais famosos, se não for o mais. Não sei as razões do pouco investimento nesse tipo de produção, talvez questões comerciais lá do Japão. Talvez haja tal investimento, mas, num geral, as outras são tão descartáveis que nem chegam ao nosso conhecimento. Sendo assim, é impossível para fãs do gênero terror e de animes, que Another passe despercebido.

Obs: Contém alguns poucos spoilers.

Uma primeira parte de construção

Primeiramente, fica bem claro que a história tem duas maneiras diferentes de andar, dois ritmos. O primeiro, é o de mistério, de terror e tensão. Não entendemos nada, assim como o protagonista. Há a possibilidade de Mei ser um fantasma e tal possibilidade é mantida de maneira inteligente até onde dá. O medo se encontra, principalmente, no desconhecido.

A maneira passiva com que os personagens lidam com as mortes é que incomoda. Uma tensão maior poderia ser aplicada a eles, já que poderiam morrer a qualquer momento, algo parecido com a série “Premonição”. A história aqui anda pouco, pode soar um pouco arrastada, mas permite que lá na frente o ritmo aumente gradativamente até seu clímax.

Já uma segunda, de matança.

Já na segunda parte, com a maioria do mistério revelado e sabendo o que estão enfrentando, os protagonistas partem para uma tentativa de confrontar a maldição e ela parece reagir. O mistério passa a ser outro e a temática muda. Menos cauteloso, o roteiro solta toda a tensão que os demais personagens foram acumulando ao longo dos episódios anteriores. Tal construção não foi exatamente bem feita, mas não chegou a surgir do nada.

O plot twist final surpreende até certo ponto devido a uma artimanha narrativa de ocultação de informações, muito mais do que de construção. Até aquele momento, acreditávamos que somente os alunos poderiam ser “o excedente”, mas tal afirmação nunca foi feita. Mérito a quem desconfiou de toda a atenção dada para a professora assistente aparentemente sem razão.

Personagens não tão interessantes

Como eu citei acima, os personagens talvez não tenham sido desenvolvidos o suficiente para o clímax. Toda a matança e mudança do mistério/suspense para o slasher que vemos ao fim se torna um pouco abrupta. Talvez não incomode a todos, mas pelos menos os personagens principais poderiam ter recebido mais atenção nesse quesito. Além disso, o protagonista não é capaz sequer por um minuto de carregar a história. Sua passividade, característica de protagonistas de shounen, não funciona numa história como essa.

Já Misaki Mei, apesar de todo clichê envolvendo a garota misteriosa e dark comum a histórias do tipo, possui vida. É irônico afirmar isso considerando o contexto da história, mas Mei é, em Another, a personagem mais próxima de estar viva. A garota possui personalidade própria, motivações, princípios e seus próprios dramas. Pequenas coisas são citadas e adicionadas a sua história, sem necessariamente serem super aprofundadas, mas que são o suficiente para construção da personagem.

Conclusão

Enfim, Another possuí um mistério eficiente e bem construído. Acaba, no fim, sofrendo com uma quebra de ritmo, estragando algo que vinha fazendo bem construindo e elevando a tensão rapidamente. Tal coisa pode surgir como uma surpresa e agradar, quando bem planejada e executada. Sua animação mostra tudo a que o anime se propõe através da violência gráfica. Já sua trilha sonora é um pouco instável, começando e acabando quase que do nada na maioria das vezes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here