One Piece – Arco Romance Dawn | Análise

1085

Primeiro arco do anime, Romance Dawn serve de apresentação ao mundo de One Piece. Assim o protagonista e seus elementos principais são mostrados, contendo todas as informações necessárias para que nos contextualizemos nesse mundo, passando a acompanhar.

Capitão Morgan, um dos inimigos do arco Romance Dawn.

A abertura

Iniciemos a análise pela abertura. Acima de tudo, talvez seja pelo ar de nostalgia, mas ela é quase perfeita. Principalmente por mostrar o tom divertido da história ao mesmo tempo que mostra o necessário sobre cada um. Entretanto incomoda um pouco a questão do spoiler que dava sobre os recrutas, que já eram conhecidos desde o primeiro episódio devido a isso, deixando nada de mistério quanto as suas sagas de recrutamento. Ademais a música é boa e passa a mensagem que o anime tenta passar desde seu primeiro episódio também.

Arco Romance Dawn

No primeiro episódio temos a introdução ao protagonista, Monkey D. Luffy (para quem não assistiu ainda, o “D” não tem um significado conhecido) e ao coadjuvante e futuro “rival”, Coby. Além disso, há a apresentação dos piratas e da marinha, mostrando o lado bom e ruim de cada uma. Já indicando algo que seria uma das grandes marcas em One Piece, o mal não tem classificação. Sejam piratas, marinheiros, civis ou qualquer tipo de pessoa, existem bons e ruins em todos os lados e a graça de One Piece é ver e descobrir o quão bom ou malvado é cada um e quais suas razões.

Nesse primeiro arco não temos muitas “razões”, já que ambos os inimigos, Alvida e Morgan são vilões não desenvolvidos, até porque o foco era a apresentação de Luffy, Coby, Helmeppo e Zoro. Além de a gente já ir acompanhando um pouco de Nami que, diferente do mangá, é a primeira Mugiwara a aparecer na história do anime.

Inesperadamente, os roteiristas optaram por não desenvolver a história e o passado de Zoro aqui, algo que vira regra nos arcos de recrutamento do resto do bando. Talvez seja pela opção de não encher a história de flashbacks logo no começo e prejudicar o dinamismo da história antes das pessoas resolverem engajarem realmente no anime, mas sem dúvidas é uma escolha bem feita, já que essa primeira parte é uma das mais “chatinhas” e talvez se fosse enchida de flashback logo no começo, muita gente acabasse abandonando. 

Por se tratar de só três episódios, não só não da para analisar muito, como não da para tirar conclusões. Portanto, para quem está começando, One Piece tem mais a oferecer do que nestes episódios de apresentação em Romance Dawn, apesar de não serem ruins. 

Para ler mais sobre One Piece, confira nosso Guia completo para assistir One Piece e confira nossa opinião sobre arcos e filmes!

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
One Piece: Arco Romance Dawn
9
Quem quiser saber quem sou, olha para o céu azul...Amante de infinitas coisas, desde animes, games, filmes, séries, música, futebol, literatura...Toda e qualquer uma dessas artes, mas, principalmente, a escrita, que torna minhas palavras imortais igual ao meu tricolor!

3 COMENTÁRIOS

  1. Os pontos positivos nesse pequeno arco é a abertura, ending, o humor e o carisma dos personagens, mas seria melhor começar contando a historia do Luffy criança assim como no manga, e a Toei fez bem em fazer isso no filme do East Blue, mas é um arco ok, acho melhor que Syrup.

    • Também acho, causaria um impacto melhor para quem está começando. Gosto bastante do primeiro episódio, especificamente, mas seria mais fácil de criar uma empatia com a história e com Luffy (até mesmo com Shanks), através do flashback do Luffy, como é no mangá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here