Coisa Mais Linda (Netflix) – Resenha

0
605

Coisa Mais Linda – Resenha da série brasileira original Netflix

coisa-mais-linda-netflix-resenha-poster.jpg

Título Original: Coisa Mais Linda
Ano: 2018
Criação: Giuliano Cedroni e Heather Roth | Nº de Episódios: 7
Avaliação: ★★★★★ (Excelente)

Mais nova produção brasileira original Netflix, Coisa Mais Linda é uma criação de Giuliano Cedroni e Heather Roth, com direção de Caíto Hortiz, Julia Rezende e Hugo Prata.

A série tem como principal temática o feminismo nos anos 50, ou seja, a luta das mulheres por igualdade em uma época em que o abismo entre homem e mulher era ainda maior que nos tempos atuais.

coisa-mais-linda-netflix-resenha-01

A trama nos apresenta a Maria Luiza, ou Malu (Maria Casadevall), uma paulista que, ao se mudar para o Rio de Janeiro, onde abriria um negócio com seu marido, descobre que ele fugiu, a traiu e roubou seu dinheiro. E é em um momento de angústia que seu caminho cruza com o de Adélia (Pathy Dejesus), uma empregada doméstica negra que luta para sustentar sua filha de oito anos.

Malu também conhece, por intermédio de sua melhor amiga Lígia (Fernanda Vasconcellos), a escritora Thereza (Mel Lisboa) e o músico Chico (Leandro Lima), que a encanta com sua recém-criada Bossa Nova. A paulista, diante de uma eminente volta a São Paulo, precisa tomar uma decisão que poderá mudar sua vida de forma definitiva, conflitando sua família e os padrões da sociedade.

coisa-mais-linda-netflix-resenha-02.jpg

Há diversos pontos positivos de Coisa Mais Linda e é fácil ressaltá-los, a começar pela excelente escolha do elenco. O quarteto principal composto por Casadevall, Pathy Dejesus, Mel Lisboa e Fernanda mostra um enorme entrosamento e atuações impecáveis, reforçando a personalidade e carisma de suas incríveis personagens.

Leandro Lima também se destaca como revelação: o ator, que teve passagens menos destacadas em produções da Globo, também ganha os holofotes nesta série, dando vida a um personagem que é a síntese e o retrato de um momento e cidade que foi o Rio de Janeiro do fim da década de 50/início da década de 60, o berço da bossa nova.

coisa-mais-linda-netflix-resenha-03.jpg

Ressalta-se que toda a ambientação de um Rio nostálgico e boêmio é representada, além das paisagens e figurino, pela música, uma das maiores qualidades de Coisa Mais Linda. Somos embalados pela bossa, samba e bolero, incluindo algumas canções originais – sem falar na abertura, que traz Amy Winehouse interpretando Girl From Ipanema.

A abordagem sobre o feminismo, que norteia a trama e seu desenvolvimento, traz questões que ainda são muito atuais e, por isso mesmo, importantes de serem abordadas. Fala sobre a necessidade de empoderamento, da independência feminina; mostra a misoginia, relacionamentos abusivos, sexualidade e o racismo institucional, ainda mais relativizado naqueles anos.

coisa-mais-linda-netflix-resenha-04.jpg

Coisa Mais Linda é uma série com uma poderosa mensagem social, protagonizada por personagens de diferentes universos que possuem desafios distintos, mas que, em comum, buscam a vida que desejam e os sonhos que querem realizar. Uma produção que consegue transmitir sua mensagem e também entreter, com sete episódios recheados de uma estória que, de tão boa, parece passar em instantes.

coisa-mais-linda-netflix-resenha-05.png

Não deixe de conferir Coisa Mais Linda: uma excelente e necessária produção da Netflix. E, se você também se contagia por boas trilhas sonoras, confira as playlists da série no Spotify.

Veja outras resenhas de séries aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

ASSINATURA

Análise Crítica
Data
Título Original
Coisa Mais Linda (Netflix)
Nota do Autor
51star1star1star1star1star

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here