The Witcher (Netflix) – Resenha

The Witcher (Netflix) estreou dia 20 de novembro como uma das maiores promessas já feitas pela Netflix e Geralt, Yennefer e Ciri fizeram juz ao hype!

555

A tão aguardada série The Witcher (Netflix) chegou e atendeu a todas as principais expectativas. A série baseada nos livros e nos jogos estreou no serviço de streaming dia 20 de dezembro com 8 episódios de quase 1 hora de duração cada um.

A saga do bruxo Geralt de Rívia (Henry Cavill) teve um belo início na Netflix, com mais acertos do que erros. A Netflix investiu muito nessa série e nos resta esperar que seja o suficiente para garantir que novas temporadas sejam confirmadas.

The Witcher (Netflix)

The Witcher começa seu primeiro episódio já apresentando uma luta entre Geralt e uma Quiquimora no meio de um lago. A animação gráfica desse primeiro monstro já mostra que a Netflix fez um investimento pesado na série, pois é um CG muito bem feito. Legal observar também que se preocuparam em manter os monstros e apesenta-los ao público, muito importante para a construção do universo.

A partir daí vamos ficar intercalando entre 3 núcleos: Yennefer, Ciri e Geralt.

The Witcher (Netflix)

Yennefer de Vengerberg – The Witcher (Netflix)

Yennefer (interpretada por Anya Chalotra), como no jogo, é uma das personagens mais cativantes da série. Ela é a apresentada como uma pessoa frágil, mas que logo se torna uma das magas mais temidas e poderosas da guilda dos magos.

Para quem não conhecia a história a impressão que se tinha era que Yennefer seria uma vilã, muito graças a excelente atuação de Anya Chalotra que trabalhou muito bem o lado sombrio da personagem.

Ciri – The Witcher Análise Crítica

Ciri (interpretada por Freya Allan) ainda é uma personagem que está sendo construída devido a sua importância para a trama como um todo. Na série da Netflix, Ciri não tem um desenvolvimento tão coerente e além da inconstância da personalidade devido ao roteiro, algumas coisas incomodam e fogem ao controle do direção. O núcleo de Ciri acaba sendo o mais desinteressante, talvez exceto pelo episódio 8.

Geralt de Rívia – The Witcher Resenha

O protagonista foi bem interpretado por Henry Cavill. Apesar de alguns trejeitos do ator incomodar um pouco, a minha visão é de que ele caiu muito bem no papel de Geralt. É um personagem difícil de ser interpretado, não por exigir muita interpretação mas sim por exigir pouca, é um personagem frio e de uma difícil leitura e isso torna a interpretação complicada.

Achei muito legal o fato do ator não ter usado dublês nas cenas de combate armado.

Ainda falando um pouco sobre personagens, Jaskier e suas piadas estão sensacionais! O Bardo ficou muito bem na adaptação.

Ação

Geralt protagonizou grandes cenas de ação em The Witcher da Netflix. Esse é um dos pontos altos. Parabéns a Netflix por ter conseguido levar muita realidade as cenas de ação e de lutas. Foi um trabalho muito bem feito, para quem leu o livro mas principalmente para quem jogou The Witcher, a sensação foi muito boa.

Audiovisual

A fotografia de The Witcher está excelente. A série é bem sombria, geralmente com tons pastéis mas que destaca cores em determinadas situações (olhos de Geralt, capa da Ciri, por exemplo). O trabalho na trilha sonora também foi muito bem feito, acho que eles poderiam ter bebido um pouco mais da trilha sonora do jogo The Witcher 3.

The Witcher (Netflix) - Resenha

CG foi um ponto polêmico. Achei todas as cenas muito bem feitas, exceto uma: as de dragões. E isso foi um ponto negativo que me chamou atenção pois é inevitável colocar um dragão na tela e evitar a comparação com Game of Thrones. O CGI dos dois dragões que apareceram foram muito inferiores à série concorrente, mas devo ressaltar que os outros monstros que apareceram (Quiquimora, Estrige…) foram muito bem trabalhados e se fundiram bem com o ambiente que foram inseridos.

Uma coisa que me chamou atenção foi o figurino. Eu gostei de ter uma fidelidade com relação ao conceito de figurino do jogo, mas a minha percepção é que algumas roupas ficaram um pouco artificiais. Isso me incomodou um pouco. Fazendo um breve comparativo (mas sem querer comparar as séries), o figurino de Game of Thrones é quase impecável, já de The Witcher tem margem para evoluir, deixando as roupas mais reais.

Conclusão

The Witcher (Netflix) é a maior aposta da empresa, desde que ela existe. Posso dizer com 100% de certeza que é uma aposta ganha, pelo menos por enquanto, na primeira temporada. The Witcher é empolgante, instigante, tem muita qualidade e faz você querer assistir até o final. Além disso, ela faz com que você queira conhecer mais sobre esse universo criado pelo escritor Andrzej Sapkowski.

Meu veredito? Assista The Witcher sem medo de ser feliz, e meus parabéns para Netflix pela obra, mal posso esperar pela segunda temporada.

The Witcher (Netflix) - Resenha

Vou ficando por aqui, confira outras resenhas de séries e filmes da Netflix aqui no Meta Galáxia.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here