Mars Red – Resenha semanal Episódio 13 – Final de temporada

A season finale de Mars Red chega cheia de drama e uma profunda reflexão sobre humanidade através dos conflitos entre os vampiros.

95
Exibição Original: 06 de Abril de 2021 à 29 de Junho de 2021
Título Original: Mars Red
Estúdio: Signal.MD
Obra original: Bun-O Fujisawa | Direção: Kohei Hatano | Roteiro: Jun’ichi Fujisaku

O tão aguardado final de Mars Red chega com muito drama e choradeira por parte dos personagens. Finalizando com episódio 13, ele é nomeado de: “Fragilidade, teu nome é…”. A resenha do episódio anterior está aqui. Vamos ao desta semana. Mars Red está disponível na Funimation.

ALERTA DE SPOILER

Caso queira ler só as considerações finais sobre a temporada, leia a partir do tópico ‘Trama’.

MEMÓRIAS MISTURADAS

Voltamos à luta de Maeda e Kurusu e, enquanto tudo isso acontece, o Coronel começa a ter várias memórias de antes de assumir o Code Zero. Dentre elas estão, sua amizade com Yamagami e a tão falada missão de vigiar Misaki, como conheceu e tem sua retribuição por Nakajima e suas relações com o Code Zero. O interessante de todas estas memórias é que elas se confundiam com coisas do presente. Maeda ao mesmo tempo que lembrava de suas lutas no passado, imaginava também sua vida junto a Misaki (sabemos que eles não se conheceram de fato).

Tudo isso é mostrado com todos os códigos de linguagem de mostrar as memórias, e quanto mais “realista” ela ficava, os cortes secos sem a presença dos personagens nos exibia um delírio de Maeda.

A LUTA FINAL

É então revelado que as crianças vampiras na verdade tem uma super sensibilidade para identificar a posição de outros vampiros. Enquanto isso, Aoi vai até ao confronto final entre Kurusu e Maeda.O jovem oficial tenta a todo custo recobrar a memória de Maeda, enquanto este continua em sua luta com suas memórias e a realidade. Tudo começa a ficar mais dramático quando Kurusu lembra das palavras de Maeda. Mas ao fim, chega na fatídica batalha onde Maeda perde, deixando o outro oficial muito ferido. No final da Batalha, Kurusu pede a Aoi que o ajude dando um pouco de seu sangue para terminar com a tropa de vampiros especiais. Ela reluta, mas Kurusu mostra que, mesmo sendo vampiro, sempre vai lidar com sua humanidade.

DESFECHO

Ao mesmo tempo em que tudo isso acontece, Defrott narra de forma bem filosófica e teatral todo o drama vivido até ali. Ao final de Mars Red é mostrado o desfecho para alguns personagens, mas outros ficam em aberto, sem saber ao certo seus caminhos. Defrott encerra seu ato dando a entender que os vampiros não mais apareceram para a humanidade, não explicitamente.

RESUMO DA TEMPORADA

TRAMA

A obra foi baseada numa peça de teatro do próprio escritor Bun-O Fujisawa. Analisando a temporada do anime de Mars Red como um todo, abordar o Japão do século 20 com todos seus conflitos aparecendo sutilmente durante os atritos é uma forma muito interessante. Trabalhar o tema “vampiro” também é uma ideia muito boa, mas por vezes algumas coisas ficaram batidas ou deixaram de ser questionadas. Ao que tudo indica, falar sobre vampiros foi mais um plano de fundo para falar sobre as fragilidades, o que nos faz humanos e nossas ambições. Claramente tendo em comparação como seria a vida de um vampiro. 

PERSONAGENS

A excentricidade dos vampiros mais antigos como Defrott, Ruffus e Suwa entram para o hall de personagens que passam a ser adorados por sua sutileza e frieza. O interessante de Mars Red é que cada um dos personagens possui uma discussão de quais são os ideias da humanidade e suas vontades. 

ANIMAÇÃO E TRILHA

O que mais teve destaque para toda a temporada de Mars Red com toda certeza foi a animação. Toda a construção traz uma áurea muito mais teatral, tanto pelo enquadramento das cenas, quanto pela resolução/proporção da tela. As falas também corroboram muito com isso. Esses fatores auxiliam ainda mais em trazer um acting muito maior pelo roteiro original ser baseado em uma peça de teatro. O design dos personagens trazem muito o DNA do que a Signal.MD já vem fazendo com seus animes (Net-juu no Susume e Dragon, Ie wo Kau), o que diferenciou um pouco dos traços originais do mangá original, tendo em alguns personagens feições mais duras e mais rudes. A escolha das cores, cenografia e fotografia para dentro do anime também deixaram tudo mais leve dentro do drama. A trilha corroborou para tudo isso utilizando de instrumentos clássicos, principalmente com o shamisen.

CONSIDERAÇÕES

Houveram algumas adaptações em comparação com a obra original do mangá. Apesar de ter uma carga dramática muito boa, Mars Red ainda ficou arrastado em vários momentos. Algumas coisas pareceram nunca terem fim. As cenas de luta foram muito bem coreografadas, mas muito pouco aproveitadas. No início do anime somos bombardeados de efeitos geniais, que depois não são utilizados. Tudo por trás de Mars Red tem um lado muito mais filosófico, que combinou com a ambientação e tema, porém o anime deixou muitas coisas em aberto sobre origem e desenvolvimento dos personagens. Ainda não se sabe se terá uma segunda temporada, pelo fato da obra ser baseada em uma peça e o mangá ainda está em desenvolvimento, mas parado.

Siga o Meta no Twitter e Instagram e veja aqui mais resenhas sobre animes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here