SK8 the Infinity – Resenha do anime

1013

Exibição Original: 10 de Janeiro de 2021 à 04 de Abril de 2021
Título Original: SK∞ | SK∞ エスケーエイト | Sk8 the Infinity
Estúdio: Bones
Criação: Hiroko Utsumi

Chegou ao fim neste sábado (03/04) um dos animes mais hypados desta temporada de inverno de 2021. SK8 the Infinity entregou uma das tramas mais interessantes com um tema muito incomum do que já temos ao longo destes anos. A Obra é uma animação original da ABC e da TV Asashi, o anime tem como criadora Hiroko Utsumi junto ao próprio estúdio Bones. Aqui no Brasil ele é distribuído pela Funimation.

RESUMO

Sk8 the Infinity conta sobre a relação entre Reki e Langa e suas devoções pelo skate. Os dois se conhecem logo após Langa ser transferido do Canadá para o Japão, para a sala de Reki. A partir daí eles tornam-se amigos e Reki ensina Langa a andar de skate. Ao mesmo tempo que eles interagem mais e mais, os jovens se envolvem mais a fundo no universo da “S”, uma corrida supersecreta próximo a uma mina abandonada onde vários outros skatistas se juntam para competir.

Dentro da “S” somos apresentados a vários outros personagens, um mais excêntrico que o outro, com seus estilos particulares de andar de skate. Dentre eles, um chama atenção: Adam. O homem é o mais respeitado e temido skatista da “S”, tendo um jeito perigoso de andar de skate. Sua busca por alguém que entenda seu modo e seja tão igual quanto ele movimenta ainda mais a trama e a relação de Reki e Langa.

TRAMA

SK8 the Infinity, como já citado na resenha de primeiras impressões, é um anime que traz um conceito mais interessante para este universo de esportes, principalmente do skate envolvendo suas animações. Desde o início os personagens chamam atenção por serem muito diferentes um dos outros, seja por seu estilo de se vestir e se portar, até o modo como lidam e andam de skate. Isso torna a dinâmica da “S” muito mais intensa.

Apesar do final não surpreender muito do que já imaginávamos, os meios até aquele lugar e os obstáculos enfrentados pelos personagens são muito intrigantes. Esse deve ter sido um dos fatores de sucesso do anime. Outro ponto que contribui para isto é a relação entre Reki e Langa. O suporte que um oferece ao outro é bem trabalhado. Reki, muito mais do que qualquer outro personagem, é mais aprofundado devido às suas questões de comparação com outros skatistas. Isto tirou o anime de um lugar mais lúdico, trazendo um pouco mais de realidade.

O anime foi divido em dois arcos, um de exploração da “S” e outro do Campeonato arquitetado por Adam, dessa forma também evitou que a monotonia das corridas entre os personagens acontecesse.

PERSONAGENS

SK8 the Infintiy trouxe muita complexidade para cada um dos personagens, até mesmo para os de suporte. Mesmo apostando na relação aprendizado contínuo entre amigos, e o clássico protagonistas antagônicos que se complementam, o anime ainda traz muita dinâmica para história de cada um. E isso vai até o final, pois o dilema de Adam só é resolvido de fato no último episódio, enquanto de todos os outros personagens, até mesmo dos protagonistas já são debatidos e resolvidos no decorrer da trama. Confira a lista de personagens do anime.

TRILHA E ANIMAÇÃO

A animação de SK8 the Infinity não deixa a desejar. O estúdio por trás da produção é o Bones, responsável por animes como Fullmetal Alchemist, Mob Psycho 100 e Boku no Hero. Por ser um universo muito dinâmico e rápido, como o do skate, nada disso deixou passar. As cenas normais, junto as mais rápidas, cheias de manobras, e com a câmera lenta para dar mais dramaticidade deu mais emoção para o anime. Além disso, a produção combinou muito bem as cores, trabalhando muito sombra (pelas corridas da “S” serem à noite), mas também pelas cenas de treinamento (sempre extrapolando os horários, utilizando do entardecer).

Junto a tudo isso, as trilhas mais agitadas também deram mais adrenalina para as corridas. A opening e ending cumprem o papel de todo shounen. Enquanto a inicial é mais dinâmica e apresenta o que é a ideia do anime, ao final ela traz calmaria e tranquilidade a toda adrenalina.

CONSIDERAÇÕES

Mesmo sendo curta, como já dito, a utilização de dois arcos no anime trouxe mais ânimo para o anime. Tudo isso combinado à uma boa estruturação de personagens e diversas rivalidades trouxe o sucesso para o que foi essa temporada de Sk8 the Infinity. Por ser uma obra original, ainda é muito vago entender se terá continuação, mas se houver é provável que seja bem recebido pelo público.

Siga o Meta nas redes sociais e veja aqui mais resenhas sobre animes.

Análise Crítica
Data
Título Original
Sk8 The Infinity
Nota do Autor
41star1star1star1stargray

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here