Crítica de Duna (2021): O que achamos do novo filme dirigido por Denis Villeneuve, adaptação do livro de Frank Herbert.

Análise crítica de Duna, uma das recentes superproduções cinematográficas! Compensa assistir? Em qual streaming encontrar? Venha conferir!

Análise Crítica de Duna, o novo filme dirigido por Denis Villeneuve

Título Original: Dune
Ano: 2021
Direção: Denis Villeneuve
Produção: Mary Parent, Cale Boyter, Denis Villeneuve e Joe Caracciolo Jr.
Roteiro: Eric Roth, Jon Spaihts e Denis Villeneuve
Música: Hans Zimmer
Gênero: Ficção Científica
Classificação indicativa: 14 anos

Baseado no livro Duna, de Frank Herbert, o novo filme Duna dirigido por Denis Villeneuve já está disponível na HBO. Assim que o filme chegou no streaming, na última sexta-feira (26 de novembro), então já quis assistir e fazer a análise crítica de Duna! A ficção científica é bastante falada nas redes sociais há alguns meses, e muitos já assistiram nos cinemas e deixaram suas opiniões – geralmente positivas!

Assim sendo, compensa assistir ao filme? Enquanto você descobre a resposta, que tal dar play na música de entrada do filme? Falaremos melhor da trilha sonora durante o texto, mas caso você já queira se encantar com a bela produção musical:


A narrativa de Duna: Sede de poder

Em um futuro longínquo, diversos problemas políticos não é exatamente o que se falta no universo. E temos também os problemas porque alguém sempre deseja por mais e mais poder. Embora já possa parecer até mesmo clichê para alguns, Duna consegue nos prender bastante.

Timothée Chalamet interpreta o protagonista Paul Atreides, filho do duque Leto Atreides e da concubina Lady Jessica. Paul é um rapaz com um futuro promissor, não só por ser filho de um duque, mas também por ser filho de Lady Jessica, que também é uma Bene Gesserit. Essas, por sua vez, são uma força social, religiosa e política muito importantes no universo ficcional criado por Frank Herbert, e são bastante interessantes, já que é composta apenas por mulheres. A gente percebe que Paul é o único homem treinado para ter os mesmos poderes que a sua mãe.

Homem branco de cabelos longos preto, com uma adaga acima da cabeça e uma armadura negra.
Timothée Chalamet como Paul Atreides

Paul Atreides é visto por muitos como um messias!

Paul é comumente visto como um messias, e isso fica muito claro durante os primeiros minutos de sua chegada em Arrakis, quando diversas pessoas o recepcionam como “Muad’Dib” (você percebeu isso também?). Por mais que o desenvolvimento dessa “figura religiosa” para os Fremem ocorra mais para frente na história, é importante prestar atenção em cada decisão que o protagonista toma durante toda a parte 1 do filme de Duna.

No início do filme conhecemos o planeta natal da família Artreides, um mundo cheio de vida e lindo. Duque Leto Atreides foi chamado para administrar o planeta deserto de Arrakis, também conhecido como Duna. Tal convite viria diretamente do imperador, e sabiam que apenas em Duna que existe a especiaria Melange, que é a base para toda viagem espacial desse universo e também provoca mutações humanas.

Verme marrom de boca aberta com diversas camadas de dentes ocupando toda a imagem. Em frente, um homem em cima de uma duna de areia.
Não vamos adicionar a foto do filme para não estragar a surpresa 🙂

Mesmo com desconfiança, a família Atreides aceita administrar o novo planeta. Em seguida, o duque também assume o controle de mineração da especiaria, mas sempre lidando com o perigo da presença dos vermes gigantes (bastante estranhos e mortais) que vivem na areia. E pensar que Caladan é um planeta lindo e cheio de florestas e muita água, então seria difícil se adaptar em Duna que é tão diferente.

Após algum tempo no novo lar, Paul se percebe com alguns problemas para resolver. Justamente por ter aprendido a ser multitarefas (pelos treinamentos de sua mãe e também os treinamentos como filho de um duque), ele e sua mãe conseguiram passar pelas dificuldades até se encontrarem com os fremen, nativos originais de Arrakis.

O filme terá a parte 2, prevista para 2023.

Elenco de Duna (2021)

Seis personagens do filme Duna de 2021. 4 homens e 2 mulheres. Todos com armaduras negras e alguns com panos na cabeças.

Acredito que souberam escolher perfeitamente o elenco do filme, pois todos os artistas que participaram trabalham muito bem! Além de Timothée Chalamet como o protagonista, o elenco contou com Rebecca Ferguson como Lady Jessica e mãe de Paul, Oscar Isaac como Leto Atreides e o pai de Paul.

Além disso, temos Jason Momoa como Duncan Idaho, Josh Brolin como Gurney Halleck, Stellan Skarsgård como o Barão Vladimir Harkonnen, Dave Bautista como Glossu Rabban, Zendaya como Chani, David Dastmalchian como Piter De Vries, Sharon Duncan-Brewster como a doutora Liet-Kynes, Charlotte Rampling como Gaius Helen Mohiam, Javier Bardem como Stilgar e Chang Chen como o doutor Wellington Yueh,

Música e áudio de Duna (2021)

Quanto às músicas de Duna, vemos então a produção do compositor alemão Hans Zimmer. E acredito que dificilmente veremos Hans Zimmer errar em suas produções musicais, já que sempre combinam perfeitamente com os filmes. Ainda mais falando-se de Duna, que o compositor é um grande fã!

Para quem não se recorda do nome, Hans Zimmer foi um dos compositores da saga Piratas do Caribe, por exemplo, e também do filme O Código Da Vinci (2006). Caso desejarem, vocês poderão ouvir as músicas feitas para Duna enquanto terminam de ler a matéria:

Entretanto, há algo que ficou chato nos áudios: infelizmente, Duna ficou com o diálogo dos personagens muito mais baixo que os outros sons. Por que isso, se é mais importante ouvir a voz dos atores e dos dubladores do que os efeitos? Assistindo pela HBO, é toda hora abaixando e aumentando o volume da televisão. Em um momento parece completamente sem som, no outro já está alto demais.

Fico imaginando quem assistiu ao filme nos cinemas, ainda mais dublado! Se você também teve esse mesmo problema ou então estava de boa para assistir, nos conte nos comentários!

Curiosidades sobre Duna

Aproveitando a crítica do filme de Duna, trouxemos também algumas curiosidades a cerca da super produção e do universo! Afinal, este universo ficcional inspirou muitas ficções científicas posteriores!

Cerca de 10 mil figurinos foram criados para Duna!

Os figurinistas Jacqueline West e Bob Morgan revelaram ao portal IndieWire que foram criados cerca de mil figurinos para o filme. As inspirações variam: as mitologias grega e romana e até marcas famosas.

As gravações foram feitas em um deserto

Para ser mais realista e precisar menos de efeitos visuais, o diretor Denis Villeneuve preferiu que a equipe fizesse gravações diversas em um deserto. Essas gravações eram principalmente das tempestades de areia.

HQ de Duna: Graphic Novel pela editora Intrínseca

A editora Intrínseca trouxe a Graphic Novel de Duna para o Brasil, que segue fielmente o livro Frank Herbert. A adaptação foi feita por Brian Hebert, filho do autor, e Kevin J Anderson.

Como filho do autor original, Brian Hebert herdou tudo relacionado à obra, incluindo as anotações do seu pai. Então, ele está sempre a parte de todas as produções e sempre sabe perfeitamente a história de todos os povos da ficção científica.

Duna de 1984: A primeira adaptação do livro

Pôster do filme Duna de 1984. Plano de fundo ambientado no espaço, com os personagens no centro. Naves sobrevoando um deserto e uma escadaria ao centro com uma mulher de vestido preto no topo.

A primeira adaptação cinematográfica de Duna foi produzida e lançada em 1984, contando com Kyle MacLachlan dando vida ao Paul Atreides. E relaxem caso não tenham gostado de algum filme anterior, pois nenhum Duna é remake de algum outro. Todos são baseados diretamente do livro. Da mesma forma que a série The Witcher, por exemplo, que foi adaptada diretamente dos livros, ao invés dos jogos (que também são adaptações).

Considerações finais sobre a crítica de Duna (2021)

Eu não vi toda essa lentidão que muitos anunciaram nas redes sociais. Claro que não é um filme que tem uma luta a cada cinco minutos, pois não é um filme de ação! A ficção científica focou em construir a base do universo que Frank Herbert, o desenvolvimento dos personagens, as tramas políticas e mostrar melhor os treinamentos de Paul, assim como os seus relacionamentos com sua família e as outras pessoas.

Da mesma forma, mostra melhor a história do planeta Arrakis e dos Fremen. Algumas dessas explicações pareciam faltar nas outras adaptações do livro de Frank Herbert. Então, se você estava com receio de assistir, talvez não precise de todo esse receio. Afinal, respondendo à pergunta inicial: Sim, compensa assistir Duna! E você poderá ficar tão ansioso pela parte 2 quanto eu!

Se você já assistiu ao filme, então comente aqui o que você achou do filme e da crítica de Duna. Além disso, comente se também está ansioso pela parte 2!

Leiam as nossas últimas análises em nosso portal: Análise de Arcane da Netflix e Tick, Tick…Boom! Filme da Netflix – Resenha

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
Duna
Goiana. Arqueóloga, focada em Educação Patrimonial. Redatora. Escritora. Apaixonada pela Cultura Brasileira e pela Cultura Geek. Cosplayer nas horas vagas gótica e gamer. Aqui no Meta Galáxia, colaboro com matérias sobre o universo geek: notícias, entrevistas com cosplayers, listas de filmes e animes, análises de animes e jogos, curiosidades e muito mais!
critica-duna-2021 Análise Crítica de Duna, o novo filme dirigido por Denis Villeneuve Título Original: DuneAno: 2021Direção: Denis VilleneuveProdução: Mary Parent, Cale Boyter, Denis Villeneuve e Joe Caracciolo Jr.Roteiro: Eric Roth, Jon Spaihts e Denis VilleneuveMúsica: Hans ZimmerGênero: Ficção CientíficaClassificação indicativa: 14 anos Baseado no livro Duna, de...

11 COMENTÁRIOS

  1. Assisti a 1ª, em 1984. Gostei demais! Da 2ª adaptação, não gostei muito. Mas, amei a sua análise desta nova! Assistirei a ela, com certeza! Obrigada!

  2. Eu li este livro e me apaixonei , nesta adaptação para mim faltou um fim mais adequado , tive a impressão de que terá um segundo episódio que concluirá a história.

  3. Assisti no cinema , gostei , mas em alguns momentos confesso que cochilei, talvez por causa do horário, após as 21h30. Assisti novamente em casa e novamente cochilei. Li o livro e concluí que o filme seguiu bem , pois ambos têm momentos bons , com certo suspense, e enfadonhos também. Ambos não são fáceis . Não é um filme que conquista fácil as pessoas, conheço quem dormiu no cinema. Pelo que li no livro , a parte 2 terá muito mais ação , e o final , eeeeeita !

  4. Filme Incrível…
    Assisti pela Apple TV, sem problemas de áudio.
    Trilha sonora com pegadas marcantes do jogo Dune 2000, efeitos especiais do mais alto nível e fidelidade ao livro. Já assisti 3 vezes!
    Dica: Oração Sardaukar antes da batalha. É de arrepiar!

  5. Graças a Deus que estou viva para ver esta adaptação de Villeneuve. Assisti a de Lynch, em 1984, e me apaixonei pela história, mas fiquei sentido falta de muitas explicações. Amei está adaptação de Villeneuve e estou ansiosíssima para assistir a segunda parte. Não vou nem falar de Hans Zimmer que, do meu ponto de vista, é incomparável. \o/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here