Análise de Road 96, jogo vencedor do Game Awards 2020

Análise de Road 96, o jogo indie que foi o vencedor do Game Awards 2020!

96

Review Road 96

Análise de Road 96, o jogo indie que foi o vencedor do Game Awards 2020!

Não a América, mas Petria. Não agora, mas 1996, um mundo de fitas cassete para coletar e um lugar onde uma história de política e as massas, e várias partes em movimento, pode se desenrolar sem a intervenção estranha das mídias sociais. Rodovias, motéis, lanchonetes de fast-food e estrelas da TV a cabo. Acompanhem então a análise de Road 96, vencedor do Game Awards 2020!

Imagem para a análise de road 96.
As fitas cassete podem ser encontradas, recebidas ou roubadas. Fonte: Voxel

Verão de 1996. Hoje é o dia!

Este mundo imperfeito mostra pelo menos um lugar perfeito. No início da jornada da vida, um acampamento no deserto sob as estrelas, centenas e milhares delas, espalhando açúcar pelo enorme céu brilhante. A paisagem acima parecia iluminada por dentro. Abaixo, fogueiras queimando e campistas agrupados perto. Um caminho passando pelas vans até um homem dançando e uma pilha de papelão. Você vai dormir um pouco, posteriormente se junta a um companheiro de viagem sentado em um poleiro com vista para a coisa toda. Mas logo são solicitados a seguir em frente – isso sendo lá pelas 3 horas da manhã.

Um lugar lindo, que você poderia então ficar lá por horas, mas esse é o ponto do Road 96: é um jogo narrativo de cenas e encontros e conversas, então você está sempre em movimento. Petria, em 1996, é o lar de um regime quase totalitário à beira de uma eleição inflamada. É o tipo de lugar onde o discurso congelou e onde é mais provável que os adolescentes queiram fugir para a fronteira – onde certamente há um muro – do que ficar por perto para ver o que o próximo governo oferece.

Você interpreta uma série desses adolescentes, um após o outro, abrindo caminho até a parede e encontrando pessoas ao longo do caminho enquanto pedem carona, caminham, roubam carros, economizam para comprar táxis. Cada novo adolescente leva você de volta ao início geograficamente, mais uma vez longe da travessia, mas o relógio continua correndo. Eventualmente, você leva seu último adolescente até a fronteira e é dia de eleição, e como este é um jogo narrativo, cheio de escolhas grandes e pequenas, o resultado é baseado na história que você nem sempre sabia que estava contando juntos nessas cenas e encontros e conversas, a receita particular que você descobriu que estava seguindo.

E você precisa se concentrar em cada jornada individual, de cerca de uma hora de duração, conforme você fecha cada lacuna. Além disso, você gerencia seus fundos e seu medidor de energia, porque precisará de ambos se quiser ter uma chance de cruzar com sucesso. Você pode conseguir uma carona com John, um caminhoneiro, que deve ter autoconsciência porque seu equipamento se chama Grizzly. Oito bola na alavanca de câmbio, dedos faltando na mão direita, um gigante que – em uma vinheta – teve que se sentar no banco do passageiro de um compacto, um movimento engraçado e bastante comovente. A gentileza de quem cresceu em grande escala. Ele está apaixonado pela voz no rádio CB, e ele tem segredos sacudindo em seu caminhão junto com as latas vazias de bebida energética que ele engole, uma marca chamada “Life”.

Então, a gente encontra John repetidamente enquanto mergulha e sobe neste jogo como uma agulha de costura cósmica, interpretando pessoas diferentes, mas todas com a mesma motivação e objetivo: aquela fronteira. A primeira vez que encontramos John, ele quase nos mata. Na segunda vez, um jogo de futebol. Na terceira vez, já é então uma pequena leitura do mapa. A maior parte do jogo se desenrola como conversas de múltipla escolha, conforme você move a câmera, interage com o ambiente e conversa com quem quer que esteja com você desta vez. Seja esperto e você pode pegar uma barra de energia ou algum dinheiro extra. Depois, há os minijogos que são divertidos para quebrar as coisas. Mas principalmente você faz perguntas e ouve as respostas, à medida que mais da história se torna aparente para você e à medida que sua sorte nesta corrida em particular flutua.

Nem todo mundo é tão bom quanto John. Existem idiotas, um policial e fugitivos. E talvez, algo que você poderá considerar muito mais preocupante: você encontra todo mundo de novo e de novo, mas você está em um corpo diferente, e eles estão em momentos diferentes da mesma história. Há uma tensão interessante não resolvida entre o que você sabe em qualquer um desses momentos e o que a pessoa que você está interpretando atualmente conhece. Nesse aspecto, embora Road 96 não seja um jogo de loop temporal, pode parecer um.

É divertido e constantemente interessante. A caracterização é baseada no deslumbramento: é ampla, mas tende a combinar uma qualidade com a outra em cada uma das pessoas que você encontra, numa oposição interessante que só se revela com o tempo. Um cara assustador é realmente muito engraçado. Os personagens de quadrinhos também são meio trágicos. Um personagem cruel fica vulnerável pela culpa. Funciona: uma abordagem superficialmente rápida para a profundidade, eu acho, perfeita para um jogo que dura oito horas. Se aquela velha citação de Fitzgerald diz que cada americano é uma dúzia de pessoas diferentes, a maioria dos petrianos são exatamente dois.

Não vou estragar a fronteira – e você verá isso o suficiente ao longo de todo o jogo. Entre as corridas, as narrativas individuais desaparecem e o jogo se torna muito mais semelhante ao de um jogo. Você obtém medidores de conclusão para cada personagem que conheceu ao longo do caminho e pode examinar as atualizações permanentes que coletou, o que pode permitir que você arrombe fechaduras, digamos, hackear coisas ou tenha sorte em mergulhar no lixo. Algumas dessas atualizações abrem novas opções de conversação, que é sobre o que realmente se trata, eu acho.

Inúmeras possibilidades durante o jogo!

Eu costumo gostar de jogos assim, que temos muitas possibilidades dentro do jogo! Jogos assim seguem o estilo de jogos como Chrono Trigger, que você quem escolhe o rumo de cada conversa ou o que vai fazer primeiro.

O seu final pode não ser o meu final! Muitos dos jogadores adoram também por sua teia intrincada, suas animações e personagens de desenho animado!

Trilha sonora

Ok, posso não ter gostado muito de todas as músicas do jogo, mas não posso deixar de achar legal o cuidado com as músicas escolhidas! Sim, priorizaram colocar canções da década de 1990.

Assista ao trailer:

Concluindo a análise de Road 96

Sendo uma bela e louca viagem na estrada, Road 96 certamente é o jogo ideal para quem gosta desse estilo! Será uma diversão garantida, então não deixe de conferir o trailer e obter o jogo! Você pode adquirir o jogo pela Epic Games (acesse aqui para comprar e baixar)! E não deixem de comentar se gostaram de nossa análise de Road 96!

Leia também nossas outras análises:

Temos muitas análises de jogos em nosso portal, entre elas: a Análise de Labyrinth City: Pierre The Maze Detective e a Análise do jogo Out of Line. E também temos análises de animes, como por exemplo Análise de Evangelion 3.0+1.0: A Esperança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here