Guia Silent Hill: Tudo sobre os jogos, resenhas e mais!

Silent Hill

Guia Silent Hill: Tudo sobre os jogos, resenhas e mais!

Boas vindas a um mergulho profundo no mundo sombrio e enigmático de Silent Hill. Esta franquia de videogames, que se estende por mais de duas décadas, cativou e aterrorizou jogadores em todo o mundo com sua narrativa intrigante, atmosfera sufocante e horrores psicológicos. Neste guia abrangente sobre Silent Hill, exploraremos todos os aspectos dessa série icônica, desde os jogos originais até os spin-offs, adaptados para diferentes mídias e as teorias que cercam seu enredo misterioso. Além disso, ofereceremos resenhas detalhadas dos principais títulos, apresentando uma análise crítica e imersiva. Se você é um fã de longa data ou está apenas começando a explorar as ruas nebulosas de Silent Hill, prepare-se para desvendar segredos, enfrentar seus medos mais profundos e embarcar em uma jornada única por um dos universos mais perturbadores e cativantes dos videogames. Você está pronto para mergulhar no pesadelo?

Como tudo começou

Harry Mason

“Silent Hill” é o primeiro jogo da aclamada franquia de survival horror que foi lançado em 1999 para PlayStation. Desenvolvido pela Konami e criado por Keiichiro Toyama, o jogo estabeleceu as bases para o que se tornaria uma das séries mais influentes e assustadoras do mundo dos videogames.

O jogo segue Harry Mason, um homem em busca de sua filha adotiva, Cheryl, que desapareceu na misteriosa cidade de Silent Hill após um acidente de carro. Harry chega à cidade e encontra-a mergulhada em uma densa névoa, e tudo o que ele encontra são pesadelos grotescos e criaturas aterrorizantes. Conforme ele explora a cidade, Harry descobre segredos perturbadores e eventos sobrenaturais relacionados a um culto chamado “The Order.”

O nome “Silent Hill” por si só sugere uma cidade sem um único habitante. É uma cidade remota localizada ao lado do Lago Toluca, nos Estados Unidos, semelhante a muitas pequenas cidades de histórias de terror e filmes. É permeado por um antigo mal demoníaco e povoado por criaturas que apenas indivíduos “especiais” podem ver. Como afirma uma descrição na capa do disco do jogo:

Toda cidade tem seus segredos. Alguns são apenas mais nefastos do que outros.

A cidade muda continuamente entre a nossa realidade e um “outro mundo” decadente, resultado da mente perturbada de um personagem. No primeiro jogo, os protagonistas, de alguma forma ligados à cidade, aventuram-se no que parece ser uma cidade abandonada. No segundo, terceiro e quarto jogos, a cidade atrai pessoas com ligações anteriores a ela.

O jogo tornou-se famoso por sua abordagem única de jogabilidade. Diferentemente de outros jogos de survival horror da época, que frequentemente usavam zumbis ou monstros como inimigos, “Silent Hill” optou por uma abordagem mais psicológica. Os inimigos são criaturas bizarras e grotescas, muitas vezes representações simbólicas dos medos de Harry. O combate é desajeitado, enfatizando a sensação de impotência do jogador, e a ênfase é colocada na exploração e na resolução de quebra-cabeças.

Impacto e Legado

SILENT HILL – 1999

“Silent Hill” foi um grande sucesso comercial e de crítica e rapidamente conquistou uma base de fãs dedicada. Ele influenciou outros jogos de survival horror e teve várias sequências, além de adaptações para o cinema e outros tipos de mídia. A série continuou a explorar temas psicológicos e de terror, tornando-se conhecida por suas narrativas complexas e personagens memoráveis.

O primeiro jogo da franquia é lembrado como um marco no gênero de survival horror, criando um ambiente único de terror psicológico que continua a assombrar jogadores e atraindo uma legião de fãs. Se você ainda não teve a oportunidade de experimentar, prepare-se para uma jornada aterrorizante em um mundo obscuro e perturbador.

Os jogos principais da franquia Silent Hill

Silent Hill (1999)

Silent Hill (1999)

O ano era 1999, e sob a orientação do visionário designer de jogos Keiichiro Toyama, o mundo foi apresentado ao primeiro capítulo da lendária saga “Silent Hill”. Neste lançamento inicial, o jogador encarna Harry Mason, um pai desesperado em busca de sua filha adotiva, Cheryl, que desapareceu nas enigmáticas entranhas da cidade de Silent Hill. À medida que a trama avança, segredos perturbadores e uma conexão sinistra entre Cheryl e a cidade começam a surgir, lançando as bases para o horror psicológico que se tornou a marca registrada da série.

Está na dúvida se realmente compensa jogar? Se sim, então confira tudo o que achamos em nosso portal: Silent Hill – 1999 (PS1) – A cidade mais temida do mundo!

Silent Hill 2 (2001)

Dois anos depois, em 2001, a franquia retornou com “Silent Hill 2”, lançado para o PlayStation 2, Xbox e PC. Nesta instalação, os jogadores seguiram os passos de James Sunderland, um homem assombrado por uma carta póstuma de sua esposa falecida, que o conduz a Silent Hill. Conhecida também como “Silent Hill 2: Restless Dreams” em suas versões expandidas, esta sequência intensificou a narrativa e aprofundou os horrores da cidade, deixando os jogadores perplexos e ansiosos por respostas.

Está na dúvida se realmente compensa jogar? Se sim, então confira tudo o que achamos em nosso portal: Silent Hill 2 (PS2) – Bem vindo a mente de James Sunderland!

Silent Hill 3 (2003)

Em 2003, a saga continuou com “Silent Hill 3”, lançado para PlayStation 2 e PC. Este jogo é uma sequência direta do primeiro título, centrando-se na adolescente Heather Mason, filha do protagonista original, Harry Mason. Heather é arrastada para os abismos aterrorizantes de Silent Hill, desvendando segredos obscuros sobre seu passado e o sinistro legado da cidade.

Está na dúvida se realmente compensa jogar? Se sim, então confira tudo o que achamos em nosso portal: Silent Hill 3 (PS2) – Dando um fim ao começo.

Silent Hill 4: The Room (2004)

No ano seguinte, em 2004, “Silent Hill 4: The Room” viu a luz do dia no PlayStation 2, Xbox e PC. A história acompanhou Henry Townshend, que se encontra trancado em seu próprio apartamento, apenas para descobrir um buraco sinistro que aparece na parede do banheiro. Com vínculos intrigantes ao segundo jogo da série, Henry enfrenta Walter Sullivan, um personagem que já havia sido mencionado anteriormente nos jogos. Originalmente concebido como um título independente, a Konami optou por incorporá-lo à franquia Silent Hill, dadas as conexões narrativas. Inclusive, é um remake que eu gostaria muito de ver acontecendo.

Está na dúvida se realmente compensa jogar? Se sim, então confira tudo o que achamos em nosso portal: Silent Hill 4: The Room – O mistério do Apartamento 302.

Silent Hill: Ørigins (2007)

Em 2007, “Silent Hill: Ørigins” foi lançado, inicialmente para o PlayStation Portable, antes de chegar ao PlayStation 2 em 2008. Este título, não criado pelo Team Silent, mas sim pela Climax Studios, serve como uma prequela, desvendando os eventos que antecedem o primeiro jogo da série. Os jogadores assumem o controle de Travis Grady, cujo encontro com uma misteriosa garota na estrada o leva a uma jornada sinistra em direção a Silent Hill. À medida que ele explora a cidade, segredos sombrios e horrores inomináveis emergem das profundezas.

Estes primeiros jogos da série Silent Hill estabeleceram as bases para o horror psicológico nos videogames, arrebatando os jogadores com narrativas complexas, atmosferas sufocantes e criaturas grotescas, definindo assim um legado duradouro de medo e inquietação.

Silent Hill: Homecoming (2008)

Em 2008, a série deu continuidade com “Silent Hill: Homecoming”, o sexto jogo oficial. Durante a E3 do mesmo ano, em 11 de julho, o jogo foi anunciado para PlayStation 3, Xbox 360 e PC. A narrativa segue a jornada de Alex Shepherd, um soldado que retorna de uma guerra apenas para descobrir que sua cidade natal, Shepherd’s Glen, mergulhou em pesadelos. Seu pai faleceu, sua mãe está à beira da paranoia, e seu irmão mais novo, Joshua, desapareceu misteriosamente.

A busca de Shepherd por seu irmão se desenrola em um enredo sinistro. Diferentemente dos jogos anteriores, “Silent Hill: Homecoming” não foi produzido pelo Team Silent, mas contou com a colaboração da The Collective, parte da Foundation 9 Entertainment.

Silent Hill: Shattered Memories (2010)

Em 2010, chegou “Silent Hill: Shattered Memories”, o sétimo título oficial da série. Este jogo, produzido pela Climax Studios, é uma reimaginação do jogo original da série, mas com uma abordagem completamente inovadora. Os jogadores continuam a controlar Harry Mason, que está em busca de sua filha Cheryl na cidade de Silent Hill. No entanto, diferenças notáveis são evidentes desde o início: o design dos personagens se diferencia e as escolhas dos jogadores afetam o desenvolvimento do jogo. O acidente de carro ocorre em um local diferente, e o jogo começa em uma clínica psiquiátrica, onde tudo é vivenciado em primeira pessoa.

Em dezembro de 2009, o jogo foi lançado para o Wii, e em janeiro de 2010, chegou às versões de PlayStation 2 e PlayStation Portable.

Silent Hill: Downpour (2012)

O oitavo capítulo, “Silent Hill: Downpour,” foi lançado em 13 de março de 2012. A história segue Murphy Pendleton, um prisioneiro que escapa após um acidente com o ônibus que o transportava, encontrando seu caminho até Silent Hill enquanto foge das autoridades. O jogo introduziu uma ênfase na sobrevivência, permitindo que os jogadores utilizassem objetos cotidianos, como cadeiras e barras de ferro, como armas. A Konami, durante a E3 de 2010, anunciou o jogo com a intenção de resgatar a experiência de horror que havia sido um dos pilares da série. “Silent Hill: Downpour” foi lançado para PlayStation 3 e Xbox 360.

Esses títulos continuaram a expandir o universo de Silent Hill, oferecendo aos jogadores novas experiências e desafios, enquanto ainda mantinham a essência do horror psicológico que fez da série um ícone do gênero de survival horror.

Jogos paralelos

Silent Hill: Ascension

Silent Hill Ascension

Silent Hill: Ascension recebeu lançamento no dia 31 de outubro de 2023. Conforme a listagem do Google Play, Silent Hill: Ascension estará disponível apenas para dispositivos móveis ou por meio de um navegador. Nenhum detalhe foi fornecido para o lançamento do console. Além disso, a série foi classificada como “T for Teen” nos Estados Unidos e PEGI 16 na Europa, consistente com as classificações dos jogos anteriores da franquia.

O enredo de Silent Hill: Ascension não se limita a um herói solitário ou a um lugar específico. Em vez disso, ele rastreará várias figuras primárias em todo o mundo, cada uma delas assombrada pelo surgimento de novas criaturas horríveis em Silent Hill. Estes monstros representam um grave perigo, não só para os indivíduos, mas também para os seus descendentes e para áreas metropolitanas inteiras, uma vez que são atraídos para um estado de escuridão por homicídios recentes e por ansiedades e culpabilidade há muito reprimidas.

O jogo apresentará uma variedade de personagens que enfrentam ameaças muito palpáveis e que estarão profundamente entrelaçados entre si. O objetivo é construir um elenco facilmente identificável e com o qual seja simples estabelecer uma conexão, de modo que a audiência verdadeiramente se preocupe com cada um deles.

Site oficial do jogo: SILENT HILL: Ascension

Twitter: SILENT HILL: Ascension (@SHAscension)

Há livros da franquia Silent Hill?

Sim, há livros da franquia, todos eles sendo oficiais. Contudo, infelizmente, os livros da franquia são disponíveis apenas no Japão. Seus títulos são:

  • Lost Memories (2003)
  • Drawing Block: Silent Hill 3 Program (2003)
  • Silent Hill (2006)

Os filmes da franquia Silent Hill

Os filmes da franquia Silent Hill são um fascinante mergulho no mundo do terror e do desconhecido. Baseados na popular série de jogos de survival horror, essas adaptações cinematográficas oferecem aos espectadores uma experiência única e aterradora. Em nosso guia sobre a franquia Silent Hill, não poderia faltar as suas adaptações no cinema, que soube cativar fãs de horror e gamers, explorando os horrores psicológicos e sobrenaturais que habitam uma cidade envolta em neblina, segredos obscuros e pesadelos inescapáveis.

Terror em Silent Hill (2006)

Terror em Silent Hill

O filme Terror em Silent Hill, dirigido por Christophe Gans e lançado em 2006, os leva a uma jornada para o desconhecido, mergulhando-nos em um mundo de pesadelos, criaturas macabras e mistérios sinistros.

A trama gira em torno de Rose, interpretada pela talentosa atriz Radha Mitchell, que embarca em uma busca desesperada para encontrar sua filha adotiva, Sharon. A jornada leva Rose até a cidade abandonada de Silent Hill, uma localidade sombria que guarda segredos obscuros e aterrorizantes. A partir desse ponto, a linha entre a realidade e o pesadelo se torna turva, e o espectador é levado a um pesadelo cinematográfico repleto de suspense e terror.

Atualmente, o filme está disponível para aluguel via Prime Video. Ainda está na dúvida se realmente compensa assistir? Se sim, então confira em nosso portal: Terror em Silent Hill (Filme) – Exemplo de Adaptação | Análise.

Silent Hill: Revelação (2012)

Silent Hill Revelation


Silent Hill: Revelação é o segundo filme da franquia cinematográfica, lançado em 2012, dirigido por Michael J. Bassett e atua como uma sequência direta do filme de 2006, também dirigido por Christophe Gans.

O enredo segue Heather Mason, interpretada por Adelaide Clemens, uma jovem que tem fugido com seu pai Harry (interpretado por Sean Bean) de cidade em cidade, sempre um passo à frente de forças sobrenaturais misteriosas que os atormentam. Quando ela completa 18 anos, a natureza de sua verdadeira identidade e o papel crucial que desempenha na assustadora cidade de Silent Hill começam a se desvendar.

Assim como seu antecessor, o filme explora o mundo distorcido e aterrorizante de Silent Hill, conhecido por sua névoa densa, criaturas grotescas e perturbadoras, e um enredo complexo que mescla elementos psicológicos e sobrenaturais. O filme também apresenta alguns personagens icônicos dos jogos, como Pyramid Head e Claudia Wolf.

O engraçado que este se tornou um daqueles filmes em que o públicou ou amou ou detestou. Afinal, conseguiu manter a atmosfera sombria e opressiva da série de jogos. Contudo, a recepção crítica foi mista, com críticos elogiando a fidelidade ao material de origem, mas apontando fraquezas no desenvolvimento do enredo e no ritmo da narrativa.

Ainda está na dúvida se realmente compensa assistir? Se sim, então confira em nosso portal: Silent Hill Revelation 3D – Demorou pra sair e saiu …fraco (Análise)

Obrigada por ler até aqui! Você sabia que o portal Meta Galáxia possui muitas resenhas e análises? Se procura por mais jogos legais, então leia algumas de nossas últimas publicações: Review Resident Evil 4 Remake e Review Diablo IV: O que achamos do novo lançamento da Blizzard?? Também não poderia faltar Review de Affogato, o RPG estratégico de anime e magia! Além disso, também temos Análise de The Quarry, o mais novo jogo eletrônico de suspense interativoReview de Sunshine Manor: O que achamos do novo jogo de terror da desenvolvedora Fossil Games e Análise de Rogue Lords, o roguelike sombrio que nos convida a jogar com vilões! Além disso, você também pode ler a nossa matéria: Critérios – Como fazemos Críticas e Análises.

Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here