Demolidor Amarelo – Resenha

Com uma abordagem carregada de sentimentos, sem dúvida alguma, Demolidor Amarelo figura entre as melhores histórias do herói

252

Resenha da HQ: Demolidor Amarelo, da dupla Jeph Loeb e Tim Sale!

Demolidor-Amarelo-Resenha-02

” … Agora, é como se eu pudesse realmente ver as coisas do jeito que elas são. Um cego capaz de ver Karen, é uma coisa muito rara. Como você foi…”

Matt Murdock ao escrever para Karen Page

O início da Quadrilogia das Cores

Demolidor-Amarelo-Resenha-03

No começo da década dos anos 2000, a dupla criativa Jeph Loeb e Tim Sale começaram a esculpir um trabalho que visava recontar o passado de alguns dos personagens pilares da Marvel Comics. Histórias de origens no mundo os super-heróis é o que não falta. Mas o que seria diferente nessa abordagem de Loeb e Sale? A dupla visaria recontar o inicio de carreira destes heróis por um aspecto mais um pouco mais sentimental e nostálgico.

Com isso em mente a dupla escolheu quatro personagens para tal: Demolidor, Homem-Aranha, Hulk e Capitão América. E haveria duas outras características vinculadas a essas histórias. Os heróis estariam vinculados emocionalmente à alguém que lhes foi importante e também à uma cor, que dentro da história teria um significado. E assim a primeira delas nasceu, e é sobre ela que vamos falar: Demolidor Amarelo.

Recentemente a Editora Panini Comics republicou essa historia em formato de capa dura e papel couchê.

 A Premissa de Demolidor Amarelo

Demolidor-Amarelo-Resenha-04

A origem do Demolidor já é bem conhecida do grande público das HQs, e isso se expandiu com a ótima série da Netflix. Matt Murdock sofreu um acidente quando era adolescente, quando este tentou salvar uma pessoa de ser atropelada e acabou sendo atingido por produtos radioativos / químicos. Isso acabou lhe privando do sentido da visão, porém aguçou os demais. E depois de alguns anos e devido a alguns fatos, Matt Murdock viria a se tornar o acrobata cego, Demolidor.

Nos dias atuais, o Demolidor já é um vigilante estabelecido e carrega consigo diversas cicatrizes dos anos de combate ao crime. Algumas delas ainda doem muito, e não apenas fisicamente, mas principalmente aquelas fincadas ao coração do herói da Cozinha do Inferno. Na trajetória do herói, houveram duas pessoas muito importantes para ele: o seu pai e boxeador veterano, Jack Murdock e a jovem e bela Karen Page. No presente, Matt sente uma falta imensa deles, principalmente de Karen. E como matar essa saudade e curar essa dor?

Seguindo o conselho de seu melhor amigo, Foggy Nelson, Matt Murdock começa a escrever uma carta para Karen. E é por meio desta carta que a narrativa de Demolidor Amarelo se passa. Uma história feita de lembranças e sentimentos, já que Karen havia falecido durante o arco O Diabo da Guarda.

O Nascimento do Demolidor

Demolidor-Amarelo-Resenha-05

Como dissemos acima, a origens dos poderes do Demolidor já são algo bem enraizado dentro do universo dos quadrinhos. Em Demolidor Amarelo, Loeb e Sale nos contam de uma nova perspectiva as motivações e fatores que culminaram na origem e nos primeiros passos na transformação de Matt em Demolidor. A dupla nos mostra com muita sensibilidade por meio da carta que Matt escreve o que se passava nos seus pensamentos e sentimentos.

A relação dele com seu pai é muito bem explorada no início da obra. Vemos todos os laços entre os dois e o porque de Jack ser um dos pilares para Matt Murdock. Então quando acontece a tragédia envolvendo Jack, isso ataca Matt de duas maneira muito intensas. Uma que é pela perda do pai, o que lhe estraçalha o coração. E a outra é em relação ao sistema judiciário e as leis. Matt pela primeira vez sente que o caminho que seu pai lhe indicou (para s tornar um advogado e não ter que lutar nos ringues de boxe como ele) possui falhas e limitações. Ele como advogado não consegue levar adiante a punição aos algozes de seu pai.

E por meio de uma narrativa carregada de sentimentos e uma arte espetacular de Tim Sale, acompanhamos essa origem. Sim, a base dessa recontagem é a mesma da origem já estabelecida do Demolidor. Porém, aqui Loeb insere alguns pequenos detalhes e entrelinhas que deixam a história com uma nova roupagem, mesmo que nos traga um sentimento de nostalgia. Esse é um dos grandes trunfos de Demolidor Amarelo: lhe apresentar algo clássico, só com uma nova perspectiva.

Karen Page

Demolidor-Amarelo-Resenha-08

Após o nascimento do Demolidor, Matt em paralelo começa a sua carreira de advogado como seu amigo e sócio Foggy Nelson. É muito divertido acompanhar esse início da carreira dos jovens advogados, uma vez que a relação de amizade entre eles é muito bem pontuada dentro de Demolidor Amarelo. Sejam pelos diálogos ou pelas situações que eles passam, tudo fica muito crível que os dois realmente se conhecem há tempos e que são verdadeiros amigos. E o fato de explorar os dons do Demolidor e intercalar isso as rotinas do cotidiano também são bem pontuadas.

Com o escritório começando a operar, os dois amigos notam que precisam de uma secretária. E após diversas entrevistas mal sucedidas, uma bela jovem acaba sendo contratada por Foggy. Esta jovem era Karen Page. Ela estava entrando na vida dos advogados, e na vida de Matt / Demolidor ela teria uma importância sem igual, já que acabaria se instalando para sempre no coração do herói.

Com o passar do tempo, vamos acompanhando o Demolidor combatendo o crime, advogando, e aos poucos estreitando os laços com Karen Page. A relação dos dois é bem desenvolvida, com um clima leve e romântico no ar, já que a narrativa é em primeira pessoa, conseguimos captar os sentimentos de ambos. Em meio aos afazeres do escritório e aos combate com alguns vilões, sempre havia um ponto para o qual o Demolidor voltava, um ponto que ele precisava salvar. Karen Page representava isso na vida do herói cego, ela dava luz a vida tão triste de Matt. Era um brilho que fazia com que um cego pudesse enxergar.

A Cor Amarela

Demolidor-Amarelo-Resenha-06

Um dos primeiros pensamentos que podem vir a nossa cabeça quando pegamos essa historia para ler é, o porque do Amarelo no título. Qual seria o significado? Dentro de Demolidor Amarelo, vamos encontrar possíveis respostas para essa questão. Algumas talvez mais claras e outras talvez mais subjetivas e poéticas, dependendo do ponto de vista.

O uniforme do Demolidor mais marcante e tradicional, é sem dúvidas o Vermelho. Mas como vemos aqui, o seu primeiro uniforme no início de carreira , é amarelo. E aliás, que belo uniforme hein? A escolha das cores e do design desse uniforme são belíssimos. E no decorrer da história podemos ligar que a escolha dessa cor amarela ser predominante no seu uniforme, se dá pelo fato de ser a mesma cor que o pai de Matt, Jack utilizava nos ringues de boxe. Assim seria uma homenagem ao seu falecido pai, e com isso ele levaria adiante os valores aprendidos com Jack Murdock.

Demolidor-Amarelo-Resenha-07

Outra possível interpretação para a cor amarela, pode estar relacionado aos seus significados em diversos âmbitos. O amarelo é relacionado ao sol, prosperidade, riqueza e ouro por exemplo. Como também pode estar vinculado a luz, ao sol, ao brilho, otimismo e felicidade. Se olharmos a carreira do Demolidor, que tem um grande legado de perdas e tragédias, e olharmos a história de Demolidor Amarelo, acho que podemos traçar um paralelo.

A Cor Amarela que estaria vinculada sim a luz, prosperidade e felicidade. Isso simbolizado pela personagem de Karen Page. Sua alegria, seu jeito otimista e sincero de levar a vida, trouxe novos rumos para a vida tão permeada de escuridão do Demolidor. Ou seja, por meio do seu sorriso e de seus cabelos loiros, o amarelo do título pode vir a ter esse significado para o nosso herói.

Demolidor Amarelo, vale a pena?

Demolidor-Amarelo-Resenha-01

Demolidor Amarelo é sem dúvida alguma, um quadrinho que vale a pena a leitura. Poucas vezes acompanhamos uma abordagem tão bem executada, tanto de roteiro quanto de arte. Loeb e Sale sabiam muito bem o que queriam nos contar / mostrar.  Os diálogos e recordatórios por meio de cartas foi um grande acerto. Isso dá um peso enorme a trama. E a arte de Sale está incrível. Há sequências de ação espetaculares, assim como enquadramentos e expressões muito bem construídas. Um trabalho inspiradíssimo do artista. E ainda a obra conta com participações de outros personagens da Marvel, como o Quarteto Fantástico e vilões como Electro, Coruja e o Homem-Púrpura (Killgrave). Todos utilizados de forma bem precisa e pontual.

A unica ressalva fica não por conta da história, mas sim pela edição da Editora Panini mencionada no início da postagem. A edição está muito bonita, com um ótimo acabamento gráfico, contando com uma introdução e extras bem legais. Porém, a edição de Demolidor Amarelo tem erros de português e também de ordem de balão / recordatório que estão trocados. Um erro ou outro de ortografia, as vezes não nos tira da imersão da história. Porém aqui em Demolidor Amarelo, isso infelizmente acontece. Fica o apontamento e torcida para que isso seja sanado nas futuras edições publicadas pela editora.

Em suma, Demolidor Amarelo é uma das melhores historias do personagem. E olha que o Demolidor é um dos personagens mais bem escritos das HQ’s, contando com inúmeras histórias icônicas. Aqui acompanhamos um Matt Murdock que nos escreve uma carta de amor e saudade. Uma carta que representa muito bem os seus sentimentos e dores. Mas que acima de tudo, nos mostrando o quanto ele foi feliz ao lado de Karen Page.


Clique aqui para mais resenhas de quadrinhos No Meta Galáxia!

assinatura_andre

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here