Diferenças entre DLC e episódio 7 de The Last Of Us: Left Behind

Jogos e até mesmo pacotes de expansão (também conhecidos como DLCs) também podem excelentes para adaptações para TV e cinema.

Storm Reid e Bella Ramsey em The Last of Us da HBO
Storm Reid e Bella Ramsey em The Last of Us da HBO

Diferenças entre DLC e episódio 7 de The Last Of Us: Left Behind

O episódio desta semana da série de sucesso da HBO realmente inova, fazendo algo que poucas ou nenhuma adaptação fez antes: provando que não apenas jogos, mas até mesmo pacotes de expansão (também conhecidos como DLCs) podem excelentes para adaptações para TV e cinema. Dito isso, vamos então comentar sobre Left Behind de The Last Of Us?

O Episódio 7 é sobre a vida de Ellie (Bella Ramsey) no QZ antes de conhecer Joel (Pedro Pascal). Isso em particularmente uma única noite formativa em que ela se reuniu com sua melhor amiga e paixão, Riley (Storm Reid). Contudo, como sabem os fãs da série da Naughty Dog já viram, esses eventos estão em uma DLC e não na trama principal. Mais especificamente, surgiram oito meses depois, em um pacote de expansão chamado “The Last of Us: Left Behind”.

A trama de The Last Of Us: Left Behind é integral

Os pacotes de expansão existem há décadas. Os pacotes de expansão e DLC tendem a divertir bastante, mas eles nem sempre são tão substanciais quanto os jogos principais. Eles são um pouco como uma versão de um álbum com faixas bônus. Contudo, o conteúdo bônus torna-se tão integral à experiência artística quanto o evento principal.

The Last of Us: Left Behind” sempre pareceu o último: um raro conteúdo bônus que parece bem feito e parte integrante da trama em questão. Enquanto “The Last of Us Part II” explora ainda mais a sexualidade de Ellie, é “Left Behind” que nos mostra o fato de que ela é uma personagem queer e uma adolescente que experimentou a alegria confusa e fugaz dos primeiros momentos de amor

Os espectadores viram a história de origem de Joel no episódio piloto do programa, e “The Last Of Us” o posicionou como um cínico cauteloso em contraste com o garoto efervescente e quase ingênuo de Ellie. Mas o fato de Ellie ter amado e perdido antes reenquadra seu relacionamento e sua personagem completamente. Agora sabemos que ela não é apenas naturalmente boba e otimista, pois ela escolhe ser assim, apesar de ter enfrentado tragédias brutais antes mesmo de ter idade suficiente para entender o mundo ao seu redor.

Quão perto série se compara ao jogo?

O sétimo episódio trás os eventos perfeitamente entrelaçados na narrativa principal, com esse vislumbre do passado de Ellie. Na maioria das vezes, isso funciona como uma memória feliz e melancólica quando Ellie e Riley aprontam várias bagunças juntas – algumas, talvez típicas de adolescentes. Presenciamos essa dupla indo ao shopping, e com a sensação de que o local é extremamente mágico. Afinal, ir a shoppings num ambiente pós-apocalíptico não é exatamente algo comum, não é mesmo?

O mais interessante é que várias cenas são retiradas diretamente do jogo: passeios de carrossel no parque de diversão a até mesmo sessões em cabines de fotos e danças com máscaras de Halloween. Além disso, não podemos nos esquecer que novamente vemos The Last of Us fazendo referência à famosa franquia de jogos de luta Mortal Kombat. Não sei vocês, mas eu sempre fui fã de Mortal Kombat, e fiquei bastante empolgada com essa referência. De qualquer forma, a nova série de sucesso da HBO recriou cada uma dessas cenas da maneira mais fiel possível ao jogo da Naughty Dog e é algo bonito de se ver. Os criadores da série prometeram que a adaptação ficaria fiel ao game e estão cumprindo!

Uma das poucas diferenças entre a DLC e episódio 7 de The Last Of Us: Left Behind é que a série conseguiu trabalhar melhor a personagem Riley, e deixando o seu triste fim com um aspecto muito mais assustador do que no jogo. Isso é algo que achei bastante interessante na série.

A perda de Riley é onde realmente vemos como as jornadas de Joel e Ellie são semelhantes. De volta ao presente, ao cuidar de Joel, Ellie precisa lidar com as dores do próprio passado. Sim, isso graças ao medo de perder mais uma pessoa que ela ama e é aqui eles percebem que a vida um sem o outro se torna inimaginável. Certamente, uma das melhores formas de mostrarmos que há quase nenhuma diferença entre a DLC e episódio 7 de The Last Of Us: Left Behind é deixando aqui um vídeo de comparação feito pelo IGN:

Trailer oficial

Fã de The Last of Us? Se sim, então vai gostar de também ler em nosso portal:

Come to the Dark Side. We have coffee with cookies! ☕

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here