As duras realidades de assistir animes de garotas mágicas

Apesar de quão amados animes de garotas mágicas são para alguns fãs, mesmo os espectadores mais endurecidos podem admitir que animes de garotas mágicas têm alguns problemas.

As duras realidades de assistir animes de garotas mágicas
Shugo Chara! Anime disponível pela Crunchyrolll.

As duras realidades de assistir animes de garotas mágicas

O anime de garotas mágicas conquistou muitos fãs ao longo dos anos, especialmente desde que o próprio anime cresceu em popularidade. Há momentos em que assistir a uma série de garotas mágicas pode ficar um pouco complicado. Às vezes, é porque colocam certos estigmas nos fãs do gênero, enquanto outras vezes é como tratam o próprio gênero. Dessa forma, decidimos trazer as duras realidades de assistir animes de garotas mágicas.

Existem até coisas que aparecem regularmente em séries de garotas mágicas que podem ser desgastantes para todo e qualquer fã. Apesar de tudo o que há para amar no gênero, mesmo os espectadores mais endurecidos podem admitir que o anime de garotas mágicas tem alguns problemas.


Os animes de garotas mágicas tem muitos subgêneros

Prender uma garota mágica típica pode ser difícil porque existem muitos tipos diferentes. Crianças do tipo bruxa fofa dos anos 1960, como Sally The Witch. As crianças da década de 1980 tinham o gênero de ídolos mágicos, como Creamy Mami. A década seguinte popularizou a ideia de combinar garotas mágicas com o gênero de super-heróis, como Sailor Moon. A década de 2010 também viu uma série de releituras sombrias da premissa, como Kill la Kill. Por isso, encontrar uma série para gostar pode acabar como comparar maçãs e laranjas. Há também uma tendência de tratar uma tendência como superior a outra.

Dizer a diferença entre uma nova tendência ou uma cópia é difícil

Um gênero naturalmente é codificado quando histórias semelhantes são contadas. Então, quando um trabalho semelhante sai, é difícil dizer se é um roubo ou uma homenagem. Os fãs do anime de garotas mágicas sabem disso muito bem. Houve debates sobre se Sally The Witch ou Himitsu no Akko-chan é a primeira série e se Wedding Peach é uma série irmã ou imitação de Sailor Moon. Os shows de ídolos mágicos da década de 1980 tendiam a evitar isso porque o Studio Pierrot trabalhava em muitos deles, mas ainda havia competição entre os estúdios.

Os espectadores ocidentais têm sorte de conseguir o que podem

Enquanto alguns dos primeiros shows de garotas mágicas conseguiram encontrar fãs na Europa, os fãs de anime dos Estados Unidos, Brasil e outros países do continente americano realmente não tiveram tanta sorte. Os shows de garotas mágicas geralmente não são dublados e lançados por várias razões. Os fãs de anime retrô têm dificuldade em encontrar boas versões legendadas de uma série mais antiga, quanto mais uma versão dublada. Os próprios estúdios geralmente se preocupam em lançar shows de garotas mágicas. A dublagem em inglês de Mermaid Melody, por exemplo, nunca recebeu uma dublagem em inglês porque os dubladores não conseguiram garantir um acordo de TV obrigatório.

Garotas mágicas são consideradas um tópico de nicho

Mesmo entre os otakus, as obras de garotas mágicas têm muitas forças trabalhando contra elas. As séries shounen, por exemplo, costumam ter preferência nas listas de animes de TV. Outras vezes, os programas de garotas mágicas são vistos como infantis! Dessa forma, alguns fãs de shoujo preferem outras séries.

Outro detalhe importante é que fala-se muitos dos lançamentos de jogos baseados nas obras shounen. Você vê comentários dos jogos de Attack on Titan e Naruto. Agora, você sabia que há jogos da franquia Madoka Magica? Pois é, Magia Record: Puella Magi Madoka Magica Side Story teve seu lançamento em 2017, mas onde você vê alguém citando o jogo? Lembra de ter visto alguma notícia? Eu não! Descobri o jogo enquanto eu pesquisava onde assistir Madoka Magica (resposta que sequer descobri).

Os homens que são fãs do gênero recebem críticas

Shoujo é, por definição, destinado a meninas, mas mesmo assim pode agradar a qualquer um. Os fãs mais jovens do sexo masculino são frequentemente vistos como inferiores aos fãs do sexo feminino, já que se supõe que os homens não se vejam representados em personagens shoujo. Fãs do sexo masculino às vezes são até considerados perversos ou necessariamente homossexuais, o que pode ser especialmente injusto se forem fãs de animes de garotas mágicas porque cresceram com elas.

Fãs debatem onde exemplos ocidentais se encaixam no gênero

Garota mágicas não são completamente desconhecidas em obras ocidentais. Afinal, o gênero tem suas origens no amor do Japão pela sitcom americana, Bewitched. Ao longo dos anos, houve franquias ocidentais que antecedem exemplos de animes de garotas mágicas com ideias semelhantes, como Princesa Ametista da DC ou She-Ra. Outras séries são claramente inspiradas em animes, como Winx Club. Por causa disso, muitas vezes há um debate se essas séries devem ser incluídas nas fileiras das garotas mágicas do Japão.

Uma das realidades é que as séries em anime de garotas mágicas são frequentemente editadas ou censuradas

Parece haver uma regra tácita de que as histórias de garotas mágicas são limitadas no que elas podem retratar. Naoko Takeuchi queria matar as Sailor Scouts no final da série antes de ser informada de que ela não poderia fazer isso em uma série shojo. Da mesma forma, Tokyo Mew Mew deveria ser uma série de terror antes de ser reescrita.

Isso pode se tornar um problema ainda maior em lançamentos internacionais, já que os lançamentos ocidentais são frequentemente censurados ainda mais. A dublagem de Sailor Moon de 1990 por Dic, por exemplo, foi fortemente editada para lançamento na América do Norte. Há também séries que ultrapassaram os limites, como Puella Magi Madoka Magica.

Relacionado: 10 Lições de Vida que Aprendemos com Garotas Mágicas

Séries de garotas mágicas tendem a ser curtos

Sailor Moon teve 200 episódios durante sua execução original e a franquia PreCure pode sobreviver a todos nós, mas eles tendem a ser as exceções à regra. A maioria dos shows de garotas mágicas duram pouco. O trabalho dos anos 80 do Studio Pierrot tornou-se gradualmente mais curto. Em sua ordem cronológica, Creamy Mami teve um mínimo de 50 episódios, Persia teve um mínimo de 40 episódios, Magical Emi teve um mínimo de 30 e Pastel Yumi teve um mínimo de 20. Algumas séries de garotas mágicas modernas receberam apenas 13 episódios, enquanto outros têm a sorte de obter uma segunda temporada.

Heroínas de garotas mágicas frequentemente perdem suas vidas

As heroínas guerreiras mágicas que lutam contra o mal quase sempre perecem durante sua batalha final com o vilão. Mesmo quando a heroína não luta contra o mal, ela ainda pode perder a vida, como quando Minky Momo foi atropelada por um caminhão. Isso é triste e ainda pode ser traumático para muitos. A primeira temporada de Sailor Moon termina com as Sailor Scouts sendo mortas uma após a outra em uma história, e os boatos dizem que a história traumatizou crianças no Japão. Afinal de contas, nenhuma criança quer ver isso nas telas. Talvez, nem pessoas mais velhas! O personagem salva o mundo para morrer depois?

Em conclusão, essas são as duras realidades de assistir animes de garotas mágicas. Você já reparou em algum outro fato triste sobre isso? Comente com a gente!

Goiana. Arqueóloga, focada em Educação Patrimonial. Redatora. Escritora. Apaixonada pela Cultura Brasileira e pela Cultura Geek. Cosplayer nas horas vagas gótica e gamer. Aqui no Meta Galáxia, colaboro com matérias sobre o universo geek: notícias, entrevistas com cosplayers, listas de filmes e animes, análises de animes e jogos, curiosidades e muito mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here