Exame Hunter – Hunter x Hunter | Análise

469

O fundamental em uma boa história é gerar curiosidade no leitor e, a partir deste efeitos, surpreendê-lo constantemente, através de uma história dinâmica e coesa. Hunter x Hunter é um Shonen, porém, busca em diversos momentos fugir da fórmula mágica de Dragon Ball. Nem mesmo utiliza a estratégia de adaptar os princípios do anime, ainda que conte com um protagonista clássico do gênero. Todos os elementos que definem o anime e seu estilo, naturalmente, são apresentados no Exame Hunter, que cumpre espetacularmente sua função de introduzir Gon, seus amigos e o mundo Hunter.

A dinâmica dos protagonistas

Para começar, por mais difícil que seja introduzir diversos personagens de uma única vez, Hunter x Hunter introduz logo três protagonistas já no primeiro episódio. Tal opção, rapidamente dá o tom do resto da obra, onde um atrás do outros, diversos nomes vão surgindo. Alguns desaparecem logo na sequência, mas deixam suas marcas. Em questão de pouco tempo, temos dois analistas e dois explosivos no time. Claro que resumi de maneira bem porca, mas Gon e Killua, Kurapika e Leorio, formam claramente duas duplas de personagens que se completam.

Além de suas histórias individuais serem o suficiente para nos interessarmos, a dinâmica entre eles também funciona magistralmente. Kurapika é o termômetro de Leorio e Gon é a Bússola moral de Killua. A função das duas duplas fica bem clara, principalmente na fase do exame em que eles ficam na floresta. Além disso, temos Hisoka fazendo o papel do anti-herói. O personagem, mais do que qualquer um, mostra o quanto Togashi não tinha pressa em entregar tudo que havia planejado e não fez questão nenhuma de introduzir um vilão em meio ao arco, como foi feito no Exame Chunin em Naruto. Hisoka é frio e misterioso, mas não age em nenhum momento contra as regras. Uma incógnita para o espectador.

A constante quebra de expectativas

Talvez o maior mérito do anime, que começa e funciona bem no Exame Hunter, é a quebra de expectativas. É um elemento muito utilizado, mas facilmente capaz de se transformar em uma arma contra a história. Pode, por exemplo, tornar algum elemento incoerente, indo totalmente contra o que foi feito antes. Quebrar expectativa é algo difícil e que Hunter x Hunter faz a todo o momento. A personalidade bem clara dos personagens ajuda também, já que Hisaka parece estar sempre prestes a explodir e matar alguém, o que gera tensão, mas não o faz.

Gon, mais do que qualquer um, através de sua personalidade inocente, sempre pensa em maneiras criativas de sair de alguma enrascada. Enquanto Kurapika e Killua, por exemplo, insistem que não há saída. É um elemento bem simples, Togashi nos convence que alguém, em algum momento, será eliminado e usa Gon para nos surpreender. Assim, trabalha a personalidade de seu protagonista, ao passo em que conta uma boa história.

Fica claro a tentativa do roteiro de fugir ao clichê e contar uma história mais madura. Assim, é criado um ambiente pesado, em uma história que é contada do ponto de vista de alguém leve como é o caso de Gon. No final, a maior quebra de expectativas se dá ao acharmos que Togashi se entregaria ao simples torneio de lutas, mas ele surpreende com um torneio em que quem perde segue e quem ganha encerra sua participação. Além da boa sacada, ainda temos Gon tornando uma situação totalmente contrária em favorável, através de sua personalidade aplicada, que foge a lógica da maioria dos que o cercam.

Em Conclusão

Há diversos elementos que compõe o ótimo anime que é Hunter x Hunter, mas uma análise completa daria um livro. O Exame Hunter, de maneira geral, introduz todos eles e vamos dissecando conforme analisamos os demais arcos. Particularmente, considero a melhor introdução dos Shounen conhecidos e um dos melhores arcos do anime, mas tem quem não goste. Apresentando o que é um Hunter e o universo em que Gon irá se aventurar, o Exame Hunter cumpre todas suas funções e está no pódio dos arcos do anime. Quem são os outros dois? Veremos!

ANÁLISE CRÍTICA - NOTA
Nota do Arco
10
Quem quiser saber quem sou, olha para o céu azul...Amante de infinitas coisas, desde animes, games, filmes, séries, música, futebol, literatura...Toda e qualquer uma dessas artes, mas, principalmente, a escrita, que torna minhas palavras imortais igual ao meu tricolor!

4 COMENTÁRIOS

  1. Tambem sou da opinião de que esse é o melhor arco de intrução em um shounen, sendo melhor no anime pois o manga tem uma falha que é a arte as vezes desleixada do Togashi, no anime é simplesmente impecavel, mesmo sem ter lutas “espalhafatosas”, alias, as pessoas que tendem a nâo gostar, é justamente as que esperavam ver um battle shounen padrão, e não um foco maior nos dialogos e desenvolvimento dos personagens (que sâo impecaveis). Nesse arco mesmo ja da pra ver que aquele papo de “descontruindo e revertendo” o shounen é verdade, a ideia do “torneio” no final é tão simples mas ao mesmo tempo tão genial, pois foi essa tal quebra de expectativa bem executada E é legal como o Togashi, mesmo que sultilmente soube fazer as pessoas terem expectativas sobre o que tem mais nesse universo, principalmente no caso do Killua, que é simplesmente o “MVP” do arco.

    Eu sempre comparo as semelhanças (não quero dizer copias) de Naruto com HxH, pois tem varias ideias que o Kishimito claramente pegou do Togashi, que não da pra acreditar só em conhecidencias (Kurapika e Sasuke principalmente), um desses casos é a prova chunnin, só que, mesmo o exame hunter não tendo nenhuma luta do nivel de Rock Lee vs Gaara, em quesito roteiro e etc esta em um nivel muito superior, ai sabe o que acontece? Exame Hunter é considerado um arco chato pra uns, pra esses mesmos a prova chunnin é um dos melhores, é de lascar. Por isso infelizmente HxH não teve tanta popularidade como outros shounens, por justamente fazer algo diferente pegando todo esse cliche do battle shounen, e subverter de uma maneira genial, que nem todos conseguem compreender.

    Belo texto, eu sempre quis que vc escrevesse sobre HxH um dia, vc se mostrou perfeito pra esse tipo de texto com os de One Piece.

    Ps: Espero um dia vc tambem fazer analises sobre os arcos de Naruto Classico/Shippuden, pq mesmo eu criticando bastante ainda sou fã da obra kkkk e ps… adoro a prova chunnin (brinks) kkkkk bye.

    • O grande problema deste tipo de análise que os fãs fazem, é o de partir de um principio de comparação, ao analisar uma obra de acordo com outra. Só pq o Exame Chunin e o Exame Hunter são semelhantes em seu conceito, as pessoas esperavam algo igual. Cada um é interessante da sua maneira e servem, igualmente, como base para o que viria lá na frente. É o grande mal das fandons de hoje em dia, essa necessidade compulsiva de comparar sua obra favorita com outra, na intenção de diminuir o que os outros gostam. Pra eles só existe 8 ou 80, ou é o que eles gostam ou é horrível.

      Agradeço aos elogios! Sobre Naruto, eu pretendo fazer os textos sim, mas ando meio sem tempo até para os semanais que faço – manga de One Piece e Horimiya -, nem mesmo terminei os arcos de OP ainda e só consegui fazer um de HxH. Mas quando der, eu vou fazer os de Naruto sim. Tenho muitas críticas sobre o anime, mas fez parte da minha infância e eu sou fanzasso também!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here