Vale a pena assistir The Office? Saiba tudo sobre a série!

389
Ficha da série
Nome: The OfficeAno: 2005
Duração: 9 Temporadas (201 episódios)Criador: Greg Daniels
Emissora Original: NBCGênero: Comédia, Sitcon, pseudodocumentário.
Onde assistir?
– Globoplay
– Amazon Prime

Recentemente muitos sitcons como Modern Family e The Office se tornaram bastante populares na Internet brasileira, ainda que já fossem muito famosos em sua terra natal. Claro, você podia já conhecê-las antes do hype, mas você não é todo mundo, não é? Enfim. The Office se trata de uma série de comédia em um pseudodocumentário ou mocumentário, como são conhecidos. O formato foi muito utilizado no terror pra aproximar o telespectador de algo ‘realista’ e no humor é bastante usado para novas formas de piada.

Bom, sem mais enrolações, vamos conhecer o formato da série, seus personagens e, ao fim, uma opinião pessoal sobre ela para que você possar decidir se assistirá ou não.

OBS: Prometo evitar spoilers, mas alguns surgirão eventualmente.

História geral

The office conta a história de uma empresa de papel, a Dunder Mifflin. O diretor da empresa, Micheal, é o protagonista e principal gatilho de humor da série. Os demais personagens são seus funcionários, alguns mais relevantes, que serão citados a seguir e outros que fazem pontas aqui e ali. Num geral, a história conta o dia a dia do funcionamento da empresa e a dinâmica entre os funcionários. Naturalmente, com o passar dos episódios e temporadas, temos um aprofundamento pessoal da maioria deles, com plots envolvendo casamentos, mudanças de emprego e alguns episódios especiais fora da empresa.

A principal forma de humor que diferencia a série da maioria é a utilização da câmera ‘amadora’, que permite uma constante quebra da quarta parede e que os personagens façam confissões sobre situações, caretas hilárias e também ângulos diferentes de filmagens. É como se a todo o momento alguém estivesse com uma câmera filmando e vez ou outra alguns deles entram numa sala e falam diretamente para ela. Resumidamente: Um documentário. Não há nenhuma risada de fundo ou platéia.

Personagens de The Office

A premissa é bem simples e pode ser resumida somente na parte do cotiado da empresa, porque é disso que se trata, mas não espere uma série de negócios, já que poucas vezes isso é abordado. De resto, num geral, os personagens são a alma da série, então vamos a cada um deles pra que você entenda melhor de que se trata The Office.

Michael Scott (Steven Carrel)

Grande astro da série, Steven Carrel dá vida a Michael Scott, o protagonista de The Office. Michael é o chefe do escritório e grande ponto de partida das histórias dela. Naturalmente é, também, o personagem mais desenvolvido ao longo da trama e sempre protagoniza um dos plots, enquanto os demais se alternam no plot secundário. É simplesmente o personagem mais inconveniente que já vi em qualquer série, vivendo numa linha tênue entre a inocência e a sociopatia. Para que assistiu The Big Bang Theory, como referência, Michael é pior do que o Sheldon!

O comportamento dele, portanto, é a principal razão para que muitos sejam incapazes de acompanhar a série, abandonando-a logo no começo. A verdade é essa, se você sofreu com esse tipo de pessoa, é bem provável que Michael seja incômodo pra você, caso o seja capaz de suportá-lo, é um grande passo pra apreciar o humor da série. O protagonista, claro, é uma grande piada sobre o tratamento que muitos chefes dão a seus funcionários de forma exagerada. Porém, no fim, a jornada de aprendizado e evolução de Michael é ótima de se acompanhar e no fundo ele é um cara carinhoso. O melhor chefe do mundo!

Jim Halpert (John Krasinski)

Jim é, de uma forma geral, nosso principal ponto de vista da série e se considerarmos por proximidade, seria o centro dos protagonistas. Par romântico de Pam (não é spoiler, qualquer um que veja um episódio sabe que em algum momento eles ficarão juntos!), ele é a ‘sensatez’ diante tanta loucura do escritório. Seu principal passatempo é tirar o tempo de Dwight e paquerar Pam, sua companheira de zoeira. Seu gatilho humorístico, muitas vezes, é exatamente sua sensatez que foge ao padrão do escritório, fazendo com que muitas vezes ele seja o estranho, numa inversão hilárias que ocorre em diversos episódios.

AVISO: A palavra sensatez aqui é utilizada em um contexto de loucura extrema, não representando uma pessoa sensata na realidade hahaha!

Pam Beesley (Jenna Fischer)

Única representando feminina do elenco principal, Pam é a secretária de Michael e par romântico de Jim. A principio, no entanto, a personagem vive um eterno noivado com Roy, um personagem secundário que aparece vez ou outra. Pam vive quase todos seus plots ao lado de Jim, seja no desenvolvimento da relação deles, quanto nas constantes pegadinhas com Dwight, a dupla é um dos grandes atrativos da série.

Assim como Jim, pode ser considerada ‘sensata’, ainda que se deixe levar pelas loucuras de Michael em diversos momentos. A amizade com o chefe é um grande ponto de evolução dela, que vê em Michael um apoio para ter um pouco mais de atitude. A considero, ao lado do protagonista, a melhor atuação da série, Pam Beesley tem vida e a química de Fischer com Steven Carrel é incrível.

Dwight Schrute (Rainn Wilson)

Se por um lado a inconveniência de Michael pode ser comparada a de Sheldon, somente como referência, a esquisitice maior fica para Dwight. Criado em uma fazenda, o personagem possuí as clássicas manias estranhas de personagens assim em comédias. Maneiras incomuns de resolver situações, crenças em todo tipo de loucuras e teorias da conspiração. É um estereótipo dos mais fortes, até mais do que o chefe inconveniente, já que Dwight é provocado por Pam e Jim o tempo todo.

A loucura do personagem fala por si só e é facilmente perceptível ao primeiro olhar. A imagem de cima é de um dos episódios em que Dwight mais pega pesado e simplesmente um dos melhores de qualquer série. Vale a pena assistir The Office só por ele!

Ryan Howard (B. J. Novak)

Ryan, o eterno estagiário… Só isso mesmo! B. J. Novak é um dos idealizadores da série e dirigiu diversos episódios, mas, como personagem, passa a maior parte do tempo em segundo plano. É o funcionário favorito de Michael, assim como seu amigo pessoal – pelo menos do ponto de vista do chefe. Ryan é extremamente arrogante e se acha melhor que os outros por ser mais novo e ‘atualizado’. Há momentos na série que ganha mais espaço, mas, num geral, passará despercebido por você.

Outros personagens de The Office

Enfim, o maior destaque vai para o elenco de apoio da série. Há os vendedores, o pessoal da contabilidade, do depósito e da matriz. Todos, sem exceção, são únicos e engraçados a seu modo. Talvez seja o elenco mais variado que já vi em uma série, sendo mais eficiente até do que Modern Family nesse sentido de lidar com muitos personagens ao mesmo tempo. Há espaço e piadas para todos, apesar de alguns naturalmente ficarem batidas com o tempo. Enfim, mais do que os protagonistas que descrevi acima, há todo um elenco eficiente ao seu redor.

Considerações finais

Por fim, para evitar spoilers, fica difícil descrever demais, mas a única coisa que posso dizer é que os personagens de The Office são ótimos, ainda que sigam diversos estereótipos na maior parte do tempo. A química e dinâmica, além da funcionalidade do roteiro para lidar com todos nos traz um elenco como poucos.

A série, num geral, lida com o dia a dia dessas pessoas que vos apresentei, se não gostar delas, não há como se aproximar da série em algum nível emocional.

Agora que já descrevi os personagens, vamos a uma pequena opinião. Claro que estou aqui para descrever a série, então caso não queira ser influenciado por alguém que claramente gosta e tirar suas próprias conclusão, está na hora de assistir. Se ainda tiver na duvida, vem comigo pra uma rápida análise.

Opinião pessoal sobre The Office

Assim como a maioria das série de comédia, The Office precisa de um tempo para te fisgar. É necessário uma aproximação, um entendimento do tipo de humor, das peculiaridades dos personagens e por melhor que a série seja, isso só passa a funcionar melhor a partir da segunda temporada. Sendo assim, vai da sua disposição insistir ou não. Além disso, a série sofre com um problema parecido com o de Dois Homens e Meio, que é perder seu protagonista antes do fim. Michael, assim como Charlie, era a alma da série e, de repente, tudo muda. É um golpe na qualidade dela, foi um golpe na audiência e que naturalmente causou seu cancelamento pouco tempo depois. Porém, assim como no caso da série do eterno Charlie, o que vale mesmo é a viagem, o processo até lá.

Ainda assim, não significada que a perfeição dure até a saída de Michael. Muito pelo contrário, há uma oscilação enorme na qualidade da quarta temporada em diante, que só se agrava com a perda do protagonista. The Office atinge uma qualidade absurda em diversos momentos, mas também é capaz de entregar episódios muito ruins e torturantes em alguns momentos.

Conclusão

Em conclusão, The Office vive de altos e baixos, mas possuí momentos memoráveis e personagens extremamente carismáticos. A série, no entanto, apela para diversas causas sensíveis em seu roteiro e você pode não gostar da maneira que ela aborda estas questão, como sexualidade e racismo. Independente disso, a avaliação deve ser sempre pessoal e individual. Então, já se decidiu se vale a pena assistir The Office? Michael e a Dunder Mifflin estão te esperando!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here